Checklist de Documentos - Viagens Internacionais



Planejar sua viagem ao exterior é fundamental para evitar problemas e imprevistos que, eventualmente, podem estragar a sua viagem. Minha recomendação é que você antecipe tudo que estiver relacionado à sua viagem, ainda aqui no Brasil. Por exemplo, reservando as passagens internas, pagando os hotéis, reservando os passeios, adquirindo o seguro-saúde e locando o veículo, pois isso minimiza os riscos de imprevistos  e pode também garantir preços mais em conta.



Um dos aspectos deste planejamento é montar uma pasta com a documentação de viagem e levá-la consigo na bagagem de bordo. 


A seguir, apresentamos um checklist de documentação de viagem:

1. PASSAPORTE

O passaporte é o principal documento de viagem. Recomenda-se extrema cautela com a sua guarda e conservação, durante toda a viagem. 

Sugere-se que você guarde o documento no cofre do hotel e faça os passeios portando somente uma cópia. Entretanto, quando fizer compras com o cartão de crédito ou débito, é possível que os vendedores solicitem o seu passaporte.


Alguns países exigem que o passaporte tenha validade mínima de 6 meses, para a entrada no país. Confira a validade do seu documento e, se for o caso, providencie a emissão de um novo documento na Polícia Federal. Lembre-se que não há renovação de passaporte, há sempre a emissão de um novo documento e você tem que apresentar novamente todos os documentos exigidos para a emissão.

Se estiver viajando para a Argentina, Chile e outros países vizinhos, é admitida a utilização do RG. emitido pelas Secretarias Estaduais de Segurança no Brasil. 

2. CARTEIRA NACIONAL DE HABILITAÇÃO (CNH), caso pretenda alugar algum veículo no exterior.

Verifique se, no país de destino, é aceita a CNH brasileira, ou se é necessária a Permissão Internacional  de Dirigir (PID).  É recomendável que você obtenha a permissão internacional de dirigir, uma vez que o país de destino não está obrigado à reconhecer a CNH brasileira. Confira a relação de países onde é aceita a PID.

3. CARTEIRA DE IDENTIDADE (RG)

O RG pode ser útil em caso de perda de passaporte para a emissão de um novo documento junto ao Consulado Brasileiro. Além disso, conforme já mencionado, o RG recente e em bom estado pode ser usado para ingressar nos nossos países vizinhos.

4. AUTORIZAÇÃO DE VIAGEM PARA MENOR e CÓPIA AUTENTICADA DO RG, caso o menor esteja viajando desacompanhado de algum dos pais.

Segundo o Estatuto da Criança e do Adolescente, para viajar ao exterior a criança ou o adolescente, se desacompanhado de um dos pais, deverá portar autorização do outro genitor com firma reconhecida (art. 84, I). Esta autorização não é necessária se o menor estiver viajando com ambos os pais.

O Conselho Nacional de Justiça (CNJ) regulou o assunto na Resolução n° 131, permitindo que a firma seja reconhecida apenas por semelhança, não necessitando reconhecimento por autenticidade, ou seja, na presença no tabelião, conforme exigido anteriormente. A autorização também dispensa a fotografia do menor.

O CNJ elaborou uma cartilha para viagens de menores ao exterior. Confira aqui.

5. Cópia das PASSAGENS AÉREAS PRINCIPAIS

A passagem de retorno é frequentemente solicitada pelo oficial da imigração, quando o turista entra no país.

6. Cópia das PASSAGENS AÉREAS INTERNAS

Recomenda-se a compra das passagens internas já no Brasil. Você pode ser questionado pela imigração acerca do trajeto da sua viagem e ter que demonstrar isso para o oficial de imigração apresentando, inclusive, as reservas de hotéis.

Caso o país de entrada e retorno não sejam os mesmos, é possível que a própria companhia aérea exija esta passagem interna ou que você tenha permissão de residência no primeiro país.

7. Cópia das PASSAGENS DE TRENS, ÔNIBUS, BARCOS ou PASSES DE VIAGENS

8. CARTÕES DE FIDELIDADE de Companhias Aéreas, Hoteis, etc.

9.  SEGURO-SAÚDE

Alguns países exigem que você já tenha contratado o seguro-saúde, com determinada cobertura, para ingresso no país. Alguns cartões de crédito fornecem este seguro gratuitamente.

Além disso, é importante ter uma proteção em caso de eventualidade. O seguro é algo que a gente compra sem a expectativa de utilizá-lo.

10. CARTÕES DE CRÉDITO, DE DÉBITO, TRAVELMONEY, CHEQUES DE VIAGEM

Não esqueça de habilitar os cartões de crédito e de débito para uso no exterior. Sugiro que você possua cartões emitidos por pelo menos 2 bancos diferentes. Caso ocorra algum problema com um dos cartões, você pode utilizar o outro.  Explico: Cartões do Banco do Brasil são vinculados um ao outro, de modo que, se houver um bloqueio, todos os cartões acabam bloqueados. 

Não se esqueça de levar os telefones do seu gerente e do banco emissor do cartão, para eventualidades.

11. MOEDA ESTRANGEIRA EM ESPÉCIE

Além de servir como uma reserva no caso dos seus cartões não funcionarem, uma certa quantia em moeda estrangeira é exigida como comprovação de que você tem condições de se manter naquele pais.

A maior parte dos países, entretanto, exigem declaração de porte de moeda em espécie a partir de determinado valor.

Nos Estados Unidos, Pessoas ou famílias que, individualmente ou em conjunto, possuam valores em espécie superiores a US$10,000.00 (dez mil dólares) devem, obrigatoriamente, declarar o valor no formulário apropriado e apresentá-lo às autoridades alfandegárias no aeroporto de entrada nos Estados Unidos. Com efeito, o Portal Consular o Itamaraty alerta que brasileiros tem sido detidos ao ingressar nos EUA por porte não declarado de valores em espécie. A não declaração pode implicar não apenas no confisco dos valores, mas na detenção do portador e eventual processo criminal.

12. VISTOS e AUTORIZAÇÕES ESPECIAIS para viajar, conforme o país/localidade de destino.

13. CERTIFICADO DE VACINAÇÃO contra Febre Amarela ou outras doenças, conforme o destino.

Alguns países exigem o Certificado Internacional de Vacinação contra Febre Amarela como requisito de ingresso no seu território. Atente-se ao fato de que a vacina deve ser tomada com no mínimo 10 dias de antecedência da viagem, no Posto de Saúde mais próximo da sua residência. De posse desse comprovante (confira se foi anotado o lote da vacina aplicada), você deve se dirigir ao posto da Anvisa nos principais aeroportos internacionais para a emissão do certificado internacional.

Outros documentos (não essenciais):

14. COMPROVANTE DE VÍNCULO PROFISSIONAL NO BRASIL

Não é um documento essencial de viagem, mas pode ser útil para demonstrar a sua intenção de retornar ao Brasil.

15. EXTRATO DE CONTA-CORRENTE E CARTÃO DE CRÉDITO

Também não é um documento essencial de viagem, mas pode ser útil para demonstrar que você dispõe de meios para se sustentar enquanto estiver no país estrangeiro.

16. CARTÕES DE TRANSPORTE URBANO LOCAL, caso possua.

Se você viaja frequentemente para um determinado país ou cidade, pode ser útil ter um cartão de transporte público local. Não esqueça de levá-lo.

17. NOTAS FISCAIS de equipamentos eletrônicos que esteja levando ao exterior.

Estas notas fiscais podem ser úteis quando retornar ao Brasil, na alfândega brasileira, para demonstrar que o equipamento não foi adquirido durante a viagem.

Por fim, não se esqueça de consultar os Consulados dos países para os quais deseja viajar para saber mais detalhes sobre os requisitos de ingresso. 

Boa viagem!


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Booking.com