Santorini, Grécia - Dia 3



Hoje foi dia de passeio pelo vulcão, hot springs e Thirasia, finalizando com o por do sol em Oía.

Como já disse, fizemos os passeios pela Kamari tours. Não sei quais outras empresas fazem esse tour, mas acho que a Kamari extrapolou: barco extremamente cheio, daqueles que você levanta e roubam teu lugar. A sonorização era ruim, não conseguimos entender nem metade das explicações da guia, pois não a ouvíamos.



Entrada do Parque Nacional Geológico de Nea Kameni

Primeira dica: leve tênis e chinelo, pois você vai subir no vulcão e depois vai à praia! Não nos avisaram isso e, então, escalamos o Parque Geológico Nacional, na ilha de Nea Kameni, um terreno pedregoso, de chinelos com certa dificuldade! A subida é cansativa, mas a vista compensa!  Ficamos cerca de 1 hora e 30 min lá, pois só a subida dura uns 30 minutos.


O arquipélago de Santorini, composto pelas ilhas de Thira, Thirasia, Nea Kameni, Aspronisi,  é o que restou de uma grande erupção vulcânica, ocorrida há 3600 anos. A ilha Nea Kameni é de origem vulcânica, também chamada de Vulcão, não é habitada, e foi formada a partir de diversas erupções de cinzas e lavas, nos últimos milênios.



Depois disso fomos mergulhar nas “hot springs”. Ao pular do barco, a temperatura da água estava em torno de 15 °C e, ao nos aproximarmos das “hot springs”, chegava a uns 35 °C.  Você precisa saber nadar, uma vez que pula do barco num trecho com profundidade de 12 a 15 metros e nada por um canal até chegar ao ponto desejado. Lá nas “hot springs”, você consegue apoiar os pés no chão e pisar na lama vulcânica de cor amarelada que fica ao fundo.



Entrada do canal para chegar até às Hot Springs

A água é ferrosa e você fica com aquele cheiro estranho o restante do passeio. O cabelo endurece e precisa de um excelente condicionador no final do dia.

Cuidado com os biquinis: Você perde um tempo enorme lavando aquelas manchas ferrosas e não sei se o branco acaba ficando manchado!


Paramos em Thirasia, uma ilha habitada do arquipélago de Santorini, para almoçar. São vários restaurantes: o que escolhemos foi péssimo! Não me lembro ao certo, mas acho que era Restaurante da Tonia. Não sei se você terá melhor sorte em outro, mas fuja desse!

Você pode subir uns 120 degraus para ir à parte de cima da vila. Estávamos cansados e optamos por não ir. Ainda bem! Você já saberá o porque!

Depois do almoço, um pausa para mergulho nas águas cristalinas em torno dos restaurantes, e pegamos o barco para o Porto de Oía (Oía é um "bairro" da ilha de Thira).

Os que compraram o pacote completo com direito ao Por do sol em Oía descem e os outros voltam para o Porto de Fira, de onde partem os ônibus que os levarão de volta aos locais de início da excursão (pick-up places).

Detalhe: em Santorini, as empresas de turismo não pegam os passageiros na porta do hotel. Isso porque, alguns hotéis nem são acessíveis ao automóvel. É marcado um local de embarque e um horário em que você deve aguardar o ônibus. Em Fira, o local de embarque é na frente do Hospital.

Segunda dica: Opte por este segundo trajeto! O passeio é exatamente o mesmo, exceto quanto ao por do sol em Oía! 

Após o desembarque no Porto de Oía, há uma subida íngreme, enorme, que dá vontade de chorar! Você pode optar por subir de burrinho, pagando 5 euros, mas sou contra essa exploração animal, então fomos a pé!





Você sobe, sobe, sobe e divide o espaço com os burrinhos, que muitas vezes vão para cima de você e fazem com que você pare em pânico. Se você ficar no caminho, quando eles estão descendo o morro em alta velocidade, definitivamente será atropelado. 

Continuando a caminhada, quando seu coração já está disparado pelo cansaço da subida e você inspira profundamente para tentar relaxar, sente o cheiro das fezes dos animais.

Portanto, se você não é nenhum atleta e nem está acostumado a se exercitar, não caia nesse erro. Vá apreciar o por do sol de Oía num outro dia! Ficamos tão extenuados da subida e do restante do passeio que desistimos de ver o por do sol e pegamos um ônibus de transporte público para retornar para o hotel! Mas, antes disso, pudemos apreciar um pouco da vista de Oía.






À noite, jantamos no Theoni´s Kitchen. Super recomendo! Pedi uma kafta de frango que estava deliciosa e meu esposo um contra-filé. A comida é bem caseira e bem servida. Tomamos um vinho da casa que também estava bom. Os pedidos são anotados pelos proprietários que são super-atenciosos. E no final, nos agraciaram com uma sobremesa free (melancia), Pela qualidade e quantidade, considero super barato. Gastamos 29 euros (casal).

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Booking.com