Santorini, Grécia - Dia 4




Estávamos tão cansados do dia anterior que quase desistimos do último passeio. Mas, nosso lado turista falou mais alto.




Fizemos um tour que incluía a visita ao Prophet Elias, um monastério. Segundo nossa guia, esse é o ponto mais alto da cidade e era morada de apenas 3 monges. 


Vista do Aeroporto de Santorini a partir do Monastério

Um dia, um barco turco, estava em alto mar e perdeu-se devido às condições climáticas. Todos já estavam desenganados quando avistaram fogo e conseguiram guiar-se por ele. Esse fogo nada mais era que uma fogueira acendida pelos monges para cozinhar e que, por motivos obscuros tomou proporções enormes a ponto de chamar a atenção dos marujos. Após estarem a salvos, os turcos procuraram os responsáveis pela sua salvação e deram bastante ouro para os monges que puderam reconstruir o monastério.




Depois passeamos pela charmosa vila de Megalochori. Seu nome significa “vila grande”. Mas, diz a lenda que esse nome surgiu por ter pessoas muito importantes da história grega nascidas na região, pois de grande a vila não tem nada! É um lugar bastante gracioso, perfeito para um jantar romântico para quem está de carro na região.




Por falar em carro, não vi necessidade de alugar um. As estradas são tortuosas e ninguém respeita o trânsito… dê preferência ao ônibus de linha, que, como já disse é confortável (você só precisa saber os horários)… mas, se você faz o tipo aventureiro. Há muito carro e quadriciclo para alugar!



Próxima parada: sitio arqueológico de Akrotini. O sitio está muito bem preservado e é a única escavação coberta do mundo (isso foi feito para proteger as ruinas, mas confesso que facilita muuuuito a visita!). Pagamos 5 Euros a entrada.



Acredita-se que esse sítio tenha as ruínas de uma vila mercante, onde os comerciantes da Europa e África faziam suas vendas. Diferente de Pompeia, não existem corpos na escavação, pois a cidade foi evacuada muito antes da erupção vulcânica. Não se sabe como a população anteviu isso, mas imagina-se que foi pela piora progressiva dos tremores de terra. A população, aparentemente retirou tudo o que tinha de valor e partiu em direção à ilha de Creta. Parece-me que todos morreram durante a travessia por causa dos tsunamis.
Vale muito a pena a visita a esse Sítio!




Fizemos uma parada para almoço na praia de Perivolos. Embora a areia fosse preta, a água era transparente e estava numa temperatura agradável. Se for ficar vários dias em Santorini e quiser ficar “jiboiando” na praia, vá para Perivolos. Existem vários restaurantes na frente da praia e você pode alugar um guarda sol com 2 cadeiras por 6 a 10 euros por dia. Novamente, existem ônibus locais que te levam até la!


Almoçamos no Afros. Experimentamos o bolinho de tomate que estava delicioso (crocante por fora e um recheio de tomate que escorria ao cortarmos o bolinho). Aproveitamos para nos despedir do Gyros e da Kafta. Ambos os pratos eram bem servidos e bem gostosos (o gyros era acompanhado de uma batata frita crocante e um Tsatsiki divino!)



Finalizamos o tour com uma parada na Vinícola Santo Wines Winery. Se você for escolher o passeio para degustar os vinhos, desista! A vista do local é fabulosa! Talvez a mais bonita de todos os tours que fizemos, entretanto, você senta numa mesinha e eles arremessam o vinho (isso mesmo, jogam o vinho no seu copo, de qualquer maneira e saem pingando para a outra mesa, perdendo toda a beleza de se tomar uma taça de vinho). Experimentamos 3 tipos de vinho branco. Não gostei de nenhum, mas não sou parâmetro, pois não gosto de vinho branco.




Vi algumas pessoas fazendo degustação real de vinho. Ai sim parece valer a pena. Tinham umas 10 taças de vinho, tanto branco como tinto, e vários aperitivos. Isso, naquele por do sol, deve ser magnifico. Fica a dica e quem sabe faço isso numa próxima oportunidade!



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Booking.com