7 dias em Portugal - Alfama (Dia 3)



Dia 3. Terça-feira. Enquanto nossos amigos foram em excursão para Fátima, permanecemos em Lisboa.

Do hotel, fomos caminhando até a Estação Entrecampos, para comprar nossos tickets de trem, ou melhor, de comboio, para Évora no dia seguinte. Das estações de trem de Lisboa, a Entrecampos é a melhor para viajar para Évora.
Na própria estação Entrecampos, pegamos o metro até a estação Santa Apolônia, que fica no tradicional bairro de Alfama.



A primeira parada foi no Panteão Nacional.



“Criado por Decreto de 26 de setembro de 1836, o Panteão Nacional destina-se a homenagear e a perpetuar a memória dos cidadãos portugueses que se distinguiram por serviços prestados ao País, no exercício de altos cargos públicos, altos serviços militares, na expansão da cultura portuguesa, na criação literária, científica e artística ou na defesa dos valores da civilização, em prol da dignificação da pessoa humana e da causa da liberdade” (Fonte: Wikipedia)



No Panteão, havia o Cenotáfio de Vasco da Gama, Camões, Pedro Álvares Cabral e do Infante D. Henrique.

Cenotáfio é um monumento sepulcral erigido em memória de um morto sepultado em outro local. (Fonte: Dicionário Priberam)

Além disso, havia a exposição temporária sobre Humberto Delgado (1906-1965), um militar da Força Aérea Portuguesa, que ficou conhecido como “General sem Medo”. 

Foi opositor do Regime de Salazar tendo se candidatado à Presidência da República nas eleições de 1958. Passou um tempo de Exílio no Brasil. Foi assassinado por agentes da PIDE (Polícia Internacional e de Defesa do Estado), uma polícia política da época do Estado Novo. O Aeroporto de Lisboa, a partir de maio de 2016, passará a se chamar Aeroporto Humberto Delgado, em sua homenagem.



No Panteão, recomendo muito a visita ao Terraço, onde você poderá ter uma espetacular vista do Rio Tejo e do bairro de Alfama.




Ao lado do Panteão, às terças-feiras e aos sábados, ocorre a Feira da Ladra, uma feira tradicional de objetos usados.



Finalizada a visita a esta atração, fomos caminhando até o Restaurante Crisfama, para almoçar.

O Restaurante é um daqueles pequenos restaurantes típicos e familiares de Lisboa, com poucas mesas. Quem atende é o Sr. Fernando e a sua esposa fica responsável pela cozinha. Vale à pena experimentar. Mas cuidado para não comer além da conta! É muito bom! Comemos bacalhau, salmão, couvert e tomamos uma jarra de vinho. Tudo saiu por 24 Euros.

Bem alimentados fomos caminhando até o Museu dos Azulejos.

A propósito, se desejar visitar o Panteão e o Museu dos Azulejos, não esqueça de comprar o ticket combinado, que é mais vantajoso.



O Museu dos Azulejos é imenso. Apresenta a história do Azulejo em Portugal ao longo de cinco séculos. É interessante ver os diferentes padrões e painéis nas diferentes salas que compõem o Museu.




Retornamos ao Hotel de UberX (6 Euros).

Era terça-feira de Carnaval. Algumas atrações estavam fechadas e à noite fomos visitar o Chiado e o Bairro Alto.

Basta descer no metro Baixa-Chiado e pegar a saída para o Largo de Camões, com diversas escadas rolantes ...

A região é cheia de ruas estreitas e de restaurantes agradáveis.




Nas proximidades do metrô, há a Livraria Bertrand, considerada a mais antiga do mundo. Há a estátua do escritor Fernando Pessoa e, ainda, um pequeno Centro Comercial chamado “Armazéns do Chiado”, com uma loja FNAC.

Voltamos pra o hotel. Amanhã é dia de visitar Évora.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Booking.com