#Top10: O que fazer em Lisboa?



Lisboa, capital de Portugal, está entre nossos destinos mais favoritos. É muito agradável cruzar o Atlântico e encontrar pessoas que falam a sua língua, encontrar pessoas atenciosas, educadas, prestativas e que sabem o que acontece no Brasil.

É um dos locais mais baratos da Europa Ocidental, com um leque de atrações que não deixam nada a desejar em relação às principais capitais e europeias.

Lisboa conta com bons meios de transporte (ônibus, trem, tram e barcos) que permitem o turista deslocar-se facilmente pela cidade, sem precisar recorrer aos serviços de uma agência de turismo. É possível também utilizar os serviços do UberX (leia aqui).

Lisboa nos encanta pela sua riqueza histórica e cultural, pela vista proporcionada pelos seus miradouros, pela gastronomia, pelo fado e por coisas tão simples como caminhar pelas ruas de pedras portuguesas.

Neste post, preparamos uma lista dos 10 principais pontos turísticos de Lisboa

Importante: O tempo necessário para explorar tranquilamente a cidade é de 5 dias, sem considerar os day trips para outras cidades como Sintra, Fátima, Caiscais, Évora e Queluz.

No post seguinte, vamos falar das principais áreas ou bairros para você apreciar durante a sua viagem à capital portuguesa.

1.Oceanário de Lisboa



O Oceanário de Lisboa, inaugurado em 1998, é um aquário público de referência em Lisboa, em Portugal e internacionalmente. O prédio do aquário, de formato quadrangular, é composto de 2 pisos. Há um aquário central e aquários e exposições nos quatro cantos do edifício. No oceanário, é possível observar espécies aquáticas de todas as regiões do mundo, inclusive da Antártica. É simplesmente fantástico e justifica o título de atração n° 1 de Lisboa no ranking do Tripadvisor.

Nota Tripadvisor: 4,5/5,0 (Traveller’s Choice 2015)


Como chegar: Estação de Metro Oriente (linha vermelha), passar pelo Centro Comercial Vasco da Gama e caminhar pelo Parque das Nações até o Oceanario de Lisboa. Você também pode pegar os ônibus de n°s  5, 25, 28, 44, 708, 750, 759, 782, 794.

2. Mosteiro dos Jerônimos



O Mosteiro dos Jerônimos, também conhecido como Mosteiro de Santa Maria de Belém, foi construído no Século XVI. Foi considerado Patrimônio Mundial pela Unesco (1983) e eleito uma das sete maravilhas de Portugal (2007). É uma das principais atrações da cidade de Lisboa.

O monumento é composto pelos Portais Sul e Principal, Igreja de Santa Maria de Belém, Sacristia, Capela-Mor, Confessionários, Claustro, Refeitório, Sala do Capítulo, dentre outros compartimentos. 

Todos são bonitos, mas o local mais interessante é o Claustro (os corredores interiores e o pátio interior aberto do edifício) que era um local destinado ao isolamento dos monges, permitindo a oração e meditação. É muito agradável sentar-se num dos bancos e apreciar aquela arquitetura interior.  

Nota Tripadvisor: 4,5/5,0 (Traveller’s Choice 2015)


Como chegar:
Ônibus (autocarros): 727, 28, 729,714 e 751
Tram (elétrico): 15 a partir da região de Cais do Sodré.
Trem (comboio): estação Belém

3. Castelo de São Jorge



O Castelo de São Jorge é uma fortificação construída pelos muçulmanos no Século XI. Servia como defesa para as elites que viviam na citadela, inclusive suas residências.  Situado numa das áreas mais altas de Lisboa (Alfama), é uma das principais atrações da cidade. A vista de Lisboa a partir do Castelo é fantástica.

Nota Tripadvisor: 4,0/5,0 (Traveller’s Choice 2015)


Como chegar: Da Praça da Figueira (estação de metro Rossio), pegar o ônibus 737. Você também pode pegar os trams (elétrico) 12 ou 28 – Miradouro Santa Luzia.

4. Palácio Nacional da Ajuda



É um Palácio muito bonito para se visitar, mesmo para quem não gosta de Museus/Palácios! A visitação do Palácio inclui dois pisos: o piso térreo e o andar nobre. No piso térreo é o onde se situa a maior parte dos aposentos privados e no andar nobre, onde eram realizadas as recepções de gala.

Foi construído por ordem de D. José I (1714-1777) no alto da colina da Ajuda, para substituir o suntuoso Paço da Ribeira, que fora destruído no Terremoto de Lisboa (1755). O edifício foi construído em madeira para melhor resistir a abalos sísmicos, também ficou conhecido por Paço de Madeira ou Real Barraca.

Nota Tripadvisor: 4,5/5,0 (Certificado de Excelência)


Como chegar: Ônibus 18, 729, 732, 742 e 60

5. Torre de Belém



Torre de Belém é um dos monumentos que mais se destaca na freguesia de Belém, em Lisboa. Foi construído à margem direita do Rio Tejo, inicialmente com função de defesa e, posteriormente, passou a ter funções de prisão de Estado. É definitivamente um Must-See em Lisboa.

Nota Tripadvisor: 4,5/5,0 (Traveller’s Choice 2015)


Como chegar:
Ônibus (autocarros): 727, 28, 729,714 e 751
Tram (elétrico): 15 a partir da região de Cais do Sodré.
Trem (comboio): estação Belém

6. Padrão dos Descobrimentos



O Padrão dos descobrimentos é um monumento à expansão ultramarina portuguesa e ao Infante D. Henrique, impulsionador das descobertas. Está localizado em Belém, na margem direita do rio Tejo. É possível subir no terraço do monumento, de onde se tem uma incrível vista da região, do Tejo e ainda do Santuário do Cristo Rei.  Também no terraço é possível ver a rosa dos ventos desejada no chão. No interior do monumento, há exposições e atividades relacionadas às conquistas ultramarinas portuguesas.

Nota Tripadvisor: 4,5/5,0 (Certificado de Excelência)


Como chegar:
Ônibus (autocarros): 727, 28, 729,714 e 751
Tram (elétrico): 15 a partir da região de Cais do Sodré.
Trem (comboio): estação Belém

7. Panteão Nacional


Panteão Nacional é um monumento que destina-se a homenagear e a perpetuar a memória dos cidadãos portugueses que se distinguiram por serviços prestados ao País, no exercício de altos cargos públicos, altos serviços militares, na expansão da cultura portuguesa, na criação literária, científica e artística ou na defesa dos valores da civilização, em prol da dignificação da pessoa humana e da causa da liberdade (Fonte: Wikipedia)

Nota Tripadvisor: 4,0/5,0 (Certificado de Excelência)


Como chegar: Estação de Metro/Comboios Santa Apolônia

8. Museu da Fundação Calouste Gulbenkian


A Fundação foi criada a partir da morte de Calouste Sarkis Gulbenkian, um empresário de origem armênia e colecionador de arte, radicado em Portugal desde a II Guerra Mundial (1942). 

O museu tem dois circuitos de exposição permanente: uma de arte oriental e clássica e outra dearte europeia. “O circuito dedicado à Arte Oriental e Clássica evolui através das galerias do Egito, da Grécia e de Roma (com uma incursão na Assíria), do Oriente Islâmico e do Extremo Oriente” (Fonte: Folder do Museu).

Nota Tripadvisor: 4,5/5,0 (Traveller’s Choice 2015)


Como chegar: Estação de Metrô São Sebastião

9. Museu Nacional do Azulejo



Museu Nacional dos Azulejo apresenta uma singular coleção de azulejos. Apresenta a história do Azulejo em Portugal ao longo de cinco séculos. O Museu é imenso! É interessante ver os diferentes padrões e painéis nas diferentes salas que compõem o Museu.

Nota Tripadvisor: 4,5/5,0 (Traveller’s Choice 2015)


Como chegar: Ônibus 210, 742, 718, 759, 794

10. Santuário do Cristo Rei (Almada)


O Santuário do Cristo Rei é um monumento ou santuário religioso situado na cidade de Almada, do outro lado do Rio Tejo. O santuário pode ser visto de Lisboa, especialmente, da região de Belém. Contempla loja de artigos religiosos, lanchonete, a Capela Nossa Senhora da Paz e a Estátua do Cristo Rei, onde é possível subir (mediante pagamento) e ter uma vista incrível da Ponte 25 de abril e da cidade de Lisboa.

A ideia da construção do Monumento a Cristo Rei surge em 1934, aquando de uma visita ao Brasil do então Cardeal Patriarca de Lisboa, D. Manuel Gonçalves Cerejeira. Ao passar pelo Rio de Janeiro, viu a imponente imagem de Cristo Redentor do Corcovado e logo no seu coração nasceu o desejo de construir semelhante obra em frente a Lisboa. O monumento foi inaugurado em 1959 (Fonte: Cristorei.pt).

Nota Tripadvisor: 4,5/5,0 (Certificado de Excelência)


Como chegar: O Santuário do Cristo Rei fica na cidade de Almada (do outro lado do Rio Tejo). Pegar o barco do Cais do Sodré até o Terminal Cacilhas e depois o ônibus 101 até o Santuário.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Booking.com