Relatos de Viagem: Budapeste - 1




Chegamos a Budapeste (Hungria) de trem vindo de Bratislava, na Eslováquia. O trem direto, sem conexões, vai da Estação de Bratislava (Bratislava hlavná stanica) até a Estação Budapeste-Keleti (East Station) e o trajeto dura 2h42min.

Não consegui comprar o ticket pelo site Slovakrail.sk que somente disponibiliza informações sobre horários, trechos e eventuais conexões.



Compramos o ticket na própria estação de trem em Bratislava, quando havíamos chegado à cidade. O preço foi de 17,10 Euros para assento na 2ª. classe e mais 2 Euros para reservar o assento.

O trem é confortável, atrasou poucos minutos na partida, mas o que eu achei mesmo inconveniente foi ver as pessoas ocupando os assentos sem se preocupar se estavam ou não reservados. Nossos assentos estavam ocupados, mas resolvemos procurar outros, pois os assentos marcados não eram dos melhores.

De qualquer forma, acho que o trem é a melhor opção para chegar a Budapeste. O aeroporto BUD fica bem distante do centro. São, pelo menos, 30 minutos de taxi sem trânsito.

Nosso trem foi o EC 273 Csárdás, que opera entre Praga e Budapeste, passando por Bratislava.





Chegamos em Budapeste já era quase 1 hora da tarde. A estação Keleti fica um pouco afastada do nosso hotel, mas bastava pegar o metrô M2 e descer na estação Kossuth Lajos Tér (ao lado do Parlamento), que fica apenas 600 metros do nosso hotel.

O bilhete do metrô custa 350 HUF e podia ser comprado em máquinas na estação, devendo ser validado na entrada do metrô.

Fique atento, pois, havia algumas pessoas estranhas perambulando em torno das filas das máquinas. Alguns pediam dinheiro, outros batiam nas máquinas para ver se caia alguma coisa.

A moeda da Hungria não é o Euro, é o florim húngaro (HUF), uma moeda não conversível e não muito fácil de encontrar no Brasil. Portanto, você terá que trocar dinheiro ao chegar à cidade.

Uma dica: Não troque muito dinheiro nas lojas de câmbio da estação Keleti. O câmbio é um absurdo. Extremamente desvantajoso para o turista. A melhor cotação era 1 EUR = 249 HUF, sendo que a cotação apresentada pelo google era 1 EUR = 312 HUF!

Para saber como usar o Google para obter as cotações de moedas, clique aqui.




Nós trocamos dinheiro numa casa de câmbio, a Star Change, indicada pela atendente do hotel, que fica na avenida Bajcsy-Zsilinszky. Lá obtivemos uma cotação efetiva de 1 EUR = 311 HUF. Excelente! Site: starchange-penzvalto.hu

Ficamos no Hotel Parlament. O hotel é muito bom! É um hotel de 4 estrelas, com quarto limpo e confortável, bom café da manhã e com wifi gratuito. Está muito bem localizado, a 600 metros de uma estação do metrô, do Parlamento Húngaro e do Rio Danúbio, e também está localizado nas proximidades da estação Budapest-Nyugati. Há supermercado, farmácia, shopping center e restaurantes muito próximos do hotel para a conveniência do hóspede.



Os atendentes são simpáticos e prestativos. Uma delas passou muitas informações sobre as lojas, atrações e a casa de câmbio. Há um spa no hotel, mas ele é pequeno, apenas uma banheira, e quando pensei em ir, um casal já ocupava a banheira, o que, digamos assim, inviabilizou a minha entrada..




Até 14 horas, os hóspedes tem café e água de cortesia no lobby do hotel.



Pagamos 287 Euros por 3 diárias para duas pessoas com café da manhã.

Dia 1.

Budapeste é a capital da Hungria, que foi fundada em 1873, com a fusão de três cidades Buda e Ôbuda, na margem direita do Rio Danúbio, e Peste, na margem esquerda. 

Uma das cidades mais bonitas e mais visitadas da Europa.  E, além disso, os preços dos serviços são muito mais em conta do que as tradicionais capitais europeias (Londres, Paris, Roma).

Vale à pena gastar 4 ou 5 dias na cidade, pois Budapeste, além de belíssima, é repleta de atrações, especialmente, na região de Buda. Passamos 3 dias na cidade e não foi suficiente para aproveitar tudo o que ela nos oferece.



Nossa primeira atividade em Budapeste foi visitar a Basílica de Santo Estevão (Szent István Basilika), que também fica na  avenida Bajcsy-Zsilinszky e próximo à estação de metro de mesmo nome.




A Basílica é imensa, sendo um dos edifícios mais altos de Budapeste. É belíssima, tanto por dentro quanto por fora, sendo uma visita obrigatória para os turistas.




É uma basílica católica romana, que começou a ser construída em 1851 e só teve sua construção finalizada em 1905. Foi nomeada em homenagem ao Rei Santo Estevão (975-1038), o primeiro Rei da Hungria.




A basílica é repleta de vitrais, obras de arte e estátuas. Além da visita ao salão, é possível ir ao topo do edifício de elevador para um deck de observação, mas é necessário pagar para subir.




De lá, fomos caminhando até o edifício do Parlamento.

O parlamento húngaro é a principal atração turística de Budapeste, na Hungria. 

Construído em Peste, no final do século XIX/início do século XX, o edifício chama a atenção de todos os visitantes da cidade.

Nossa visita, em espanhol, estava agendada para 16hs. A entrada é feita pelo centro de visitantes que fica na lateral do edifício. As visitas são guiadas e estão disponíveis em várias línguas: inglês, húngaro, francês, hebreu, alemão, russo, italiano e espanhol.

É necessário comprar os ingressos com antecedência. É possível comprar no local ou por meio do site https://www.jegymester.hu/eng/Production/480000/Parliament-visit




A visita dura aproximadamente 50 minutos e abrange os belíssimos halls, lobbies e escadas do edifício. O teto e algumas paredes das escadas são todos revestidos de folhas de ouro.

É possível tirar fotos durante a visita, exceto no hall da cúpula, que fica no centro do edifício, onde está a coroa do Rei Santo Estevão guardada por soldados.




O edifício abriga a Assembleia Nacional da Hungria, um parlamento unicameral composto por 199 membros eleitos para um mandato de 4 anos.  É simétrico, pois, à época de sua construção, o parlamento era bicameral (duas câmaras: câmara baixa e câmara alta).




O parlamento é simplesmente magnífico. Vale à pena observá-lo à noite todo iluminado, na região de Buda, do outro lado do Rio Danúbio. Ele é tão bonito por dentro quanto por fora, justificando ser a atração n° 1 no ranking do Tripadvisor.

À noite, fomos jantar no Il Pastaio, um restaurante italiano, na região central de Budapeste (Distrito V), na praça onde fica a estátua Milály Vörösmarty.  Acabei comendo uma pizza e tomando um vinho, que estavam excelentes! Gostei bastante do serviço e o pessoal falava italiano.




Na verdade, queríamos jantar no Comme Che Soi, que é o restaurante n° 1 no ranking do TripAdvisor, mas não foi possível.

O restaurante Comme Che Soi está muito bem avaliado e os comentários são positivos. Mas, é necessário reservar com antecedência. Para que vocês tenham uma ideia, quando solicitamos uma reserva ao maitre, ele falou que só tinha vaga para a próxima semana. Inviável para quem iria ficar  somente 3 dias na cidade.

De qualquer forma, a comida parecia ser muito boa. Se for visitar Budapeste, não deixe de reserva-lo com antecedência. 




Para terminar a noite, demos uma volta pela outra margem do Rio Danúbio, em Buda, aproveitando para tirar algumas fotos noturnas da Ponte e do Parlamento.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Booking.com