Roteiro de 3 dias em Bruxelas, Bélgica




Este ano, começamos nossa viagem pela Europa por Bruxelas, na Bélgica, a cidade dos chocolates e das cervejas.

Desde o final da segunda guerra mundial, Bruxelas é um importante centro da política internacional. A capital belga é sede das principais instituições da União Europeia, tais como, o Parlamento Europeu e a Comissão Europeia. Além disso, também é sede da OTAN, Organização do Tratado do Atlântico Norte, uma organização militar que reúne as principais potências ocidentais do hemisfério norte.

A Bélgica é dividida em três regiões, sendo uma delas de língua flamenga ao norte (Flandres), uma delas de língua francesa (Valônia) e a região onde se situa a capital Bruxelas, uma espécie de Distrito Federal, em que se fala majoritariamente o francês, apesar de oficialmente bilíngue. 

São três as línguas oficiais do país: o flamengo, o francês e o alemão (há uma pequena comunidade ao leste do país na qual se fala a língua alemã). Mas, fique tranquilo:  se você fala inglês ou francês, poderá se virar em qualquer lugar do país!

Era verão na Europa, mas a temperatura não passava dos 20°C. Estava mais frio que em muitos lugares no Brasil.

Chegamos em Julho de 2016, poucos meses após os atentados terroristas que ocorreram na cidade (março/2016). Explosões ocorreram no aeroporto e numa estação de metrô de Bruxelas. Após este triste acontecimento, encontramos a cidade cheia de soldados fortemente armados que patrulhavam o aeroporto, as estações de trem e algumas estações de metrô. A preocupação com a segurança era muito grande.



Pousamos no Aeroporto de Bruxelas - Zaventem (BRU), num voo da British Airways. Não há voos diretos entre o Brasil e Bruxelas, mas é possível chegar à cidade fazendo conexões em Londres, Amsterdã, Paris, Madri, Lisboa e Frankfurt.

Uma opção interessante é descer no aeroporto de Amsterdã (AMS) e pegar um trem direto do aeroporto para o centro da cidade de Bruxelas. O trajeto de trem dura aproximadamente 2 horas e acaba sendo até mais rápido do que uma conexão aérea.

Do Aeroporto, pegamos um trem até a estação Bruxelles-Midi. Já era tarde da noite. O trajeto dura aprox. 25 minutos. O preço é de 8,60 euros.

Há mais de uma estação ferroviária em Bruxelas e a principal delas é a Estação Central, próxima a diversos pontos turísticos, tais como, a Grand Place e a Catedral de St. Michel e St. Gudula. 

Fonte: Pullmanhotels.com

Ficamos no hotel Pullman Brussels Centre Midi, que fica na estação ferroviária Bruxelles-Midi (também chamada Brussel-Zuid ou South Station).




O hotel é muito bom, quatro estrelas, seguindo o padrão da rede Accor. Os quartos são confortáveis e modernos. O wifi é gratuito. Os atendentes são simpáticos e prestativos. Pagamos 275 Euros por três diárias sem café da manhã. 

Não é barato, mas os preços estavam bem mais em conta que hotéis de mesmo padrão nas proximidades da estação central.




E a localização, ao lado da estação, facilita o acesso a vários pontos da cidade, incluindo, o aeroporto. A estação é servida por ônibus, trens locais, metro e, ainda, por trens de alta velocidade que ligam a capital belga à Paris, Londres e Frankfurt. 

Na estação, há diversas facilidades como supermercado, lojas, restaurantes fast-food e cafés.

Como chegamos tarde da noite, não foi possível aproveitar muito este dia da chegada.

Para saber como foram nossos dias em Bruxelas, clique nos links abaixo.

Dia 1
Parlamentarium
Parque do Cinquentenário
Museu Real do Exército e de História Militar
Restaurante Merode Brasserie
Grand Place
Catedral St. Michel e St. Gudula
Palácio Real

Dia 2
Hemiciclo - Parlamento Europeu
Atomium
Mini-Europa
Restaurante Pasta Divina

Dia 3
Jardin du Mont des Arts
Manneken Pis
Place Royale
Église Notre-Dame du Sablon
Restaurante Les Petits Oignons
Palácio da Justiça
Parque Porte de Hal


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Booking.com