Relatos de Viagem ao Marrocos - Fez (dia 1)




Chegamos a Fez à noite, vindos de Rabat. Nos hospedamos no Hotel Palais Medina & Spa Fès. Simplesmente excelente! 





Tem bom atendimento, rápido check-in, ao lado do Shopping Center Borj Fez (o maior da cidade) e do Carrefour. 







O preço foi R$ 1.500 por 4 dias, com direito à café da manhã. Infelizmente, como estava frio não aproveitamos das facilidades do hotel, tais como, piscina, spa, etc.

O quarto era bem confortável!





E o Restaurante Imperial, do hotel, é muito bom.





O ponto negativo é o cigarro. Pessoas fumam no hall/lobby do hotel e a fumaça incomoda!





Fez é uma das maiores cidades do Marrocos, com mais de 1 milhão de habitantes. Uma das principais atrações de Fez é a medina (Fes el Bali). É uma das maiores do Marrocos, com 14 km de perímetro e mais de 10 mil ruas ou vielas. Muito fácil de se perder.

Muitos dos pontos turísticos estão localizados no interior da medina, tais como, o Museu de Artes e Ofícios de Madeira, o Túmulo de Moulay Idriss, etc.

Para explorar a medina, contrate um guia licenciado (não na rua) ou utilize Maps GoogleE se for usar o Maps Google, permaneça apenas nas vias mapeadas pelo aplicativo.

Caminhar pela cidade pode ser cansativo, pelas subidas e descidas. Muita gente vai te abordar, mas é só não dar bola. Fique atento: algumas pessoas podem te passar informações erradas.

No dia seguinte, tomamos café da manhã e começamos o nosso percurso pela cidade.

O primeiro ponto foi o Jardin des Alaouites, ao lado do hotel.





Em seguida, fomos ao Portal do Palais Royal de Fes. Infelizmente, não é possível visitar o Palácio Real, mas é possível apreciar estas belíssimas portas.





Caminhamos pelo Bairro Judeu passando por calçadão com diversas lojas. 










Uma característica do bairro judeu é que as janelas das construções são voltadas para fora, diferentemente das da medina, cujas janelas são voltadas para dentro.





No bairro Judeu, visitamos a Sinagoga Ibn Danan. E, incrivelmente, fomos recebidos por uma Muçulmana que toma conta do local. Foram 20 MADs pela visita.






Muitos judeus que viviam no Marrocos seguiram para Israel, incentivados pelos benefícios que o Estado Judeu oferecia. Em razão disso, alguns locais judeus (cemitérios, sinagogas, etc.) do Marrocos passaram a ser cuidados e mantidos por muçulmanos, que são a maioria do país.

Caminhamos pela Grande Rue de Fès el Jdid ...












E paramos para apreciar o Jardin Jnane Sbil.








E chegamos até Bab Chems, uma das principais portas da Medina.





Mas, ainda não entramos .. Pausa para almoço no Restaurante Mezzanine.

Finalmente, entramos na Medina, pegando subidas, descidas e passando por lojas que comercializam de tudo...
















Uma muvuca!





Como falei, é recomendável usar o Aplicativo Maps Google para não se perder no interior da medina.

No nosso trajeto, seguimos direto até a Rue Talaa Kebira até chegar o mausoléu de Moulay Idriss II. Infelizmente, não foi possível visita-lo.

Retornamos.





Passando por Derb Zerbtana, Rue Sidi El Khiyat, Av. Hassan 2 e Av. Boulevard.




E fizemos uma caminhada de 30-40 minutos, da Medina até o Hotel.







À noite, jantamos no Restaurante Imperial, que fica no hotel. 

Além da comodidade, a comida é de excelente qualidade a um preço justo.

Você tem a opção de comer no Buffet ou à la Carte!

Minha sugestão é provar este delicioso salmão!





Esse foi nosso primeiro dia em Fez!


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Booking.com