Relatos de Viagem ao Marrocos - Casablanca (dia 2)



Em Casablanca, está disponível o serviço Uber. E é muito barato! Geralmente, o trajeto dentro da cidade custa o equivalente a 2 ou 3 Euros.

Pegamos o Uber com destino à Mesquita Hassan II, a principal atração de Casablanca. A mesquita é belíssima, próxima à Orla. É a única mesquita no Marrocos aberta à visitação de não-muçulmanos. Portanto, não deixe de visitá-la!





A visitação no interior da mesquita é guiada e o ticket de entrada custa 120 MAD (aprox. 12 Euros). Fique atento, pois a visita só ocorre em horários determinados: 9:00hs, 10:00hs, 11:00hs e 14:00hs. As visitas estão disponíveis em várias línguas: espanhol, inglês, alemão, mandarim, etc.





Comprei o ticket e enquanto aguardava o horário de visita, aproveitei para tirar algumas fotos da parte externa da mesquita.





Diferentemente das mesquitas tradicionais, as mulheres não necessitam usar o hijab (lenço na cabeça) ao visitar a Mesquita Hassan II.

Hassan II foi o pai do atual Rei do Marrocos, Mohammed VI, e filho do Rei Mohammed V.

A mesquita foi inaugurada em agosto/93 e projetada pelo arquiteto francês Michel Pinseau.




O seu minarete (torre) é o mais alto do mundo, com 210 metros de altura. A propósito, uma característica dos minaretes no Marrocos é sua seção quadrangular. Em outros países, costuma-se ter uma seção redonda.

Além de mesquita, o edifício tem outras funções: uma madrassa (escola corânica), salas de conferências, hammams (banhos), bibliotecas especializadas e um estacionamento subterrâneo.




A visita começa pela Sala de Oração, uma imensa sala capaz de abrigar 20 a 25 mil pessoas. Há um Mezanino, onde oram as mulheres.




A sala de oração é moderna. Por exemplo, os autofalantes estão incorporados à decoração. O teto e a porta tem abertura eletrônica. A mesquita conta, ainda, com tecnologias como resistência sísmica e soalho aquecido (fonte: wikipedia).




Visitamos, ainda, a Sala de Ablução e o Hamman, um banho. 






O Hamman é apenas ilustrativo.




Após visitar a Mesquita, seguimos até o Restaurante SqalaMas, antes, passamos pelo famoso Rick´s Café, para reservar mesa para jantar. Importante reservar com antecedência!





O Sqala fica na parte de cima de um Forte em frente ao litoral.









O restaurante é excelente, com ótima relação custo-benefício!








As entradas são deliciosas.





E os pratos principais também! Eu pedi o prato Gambas Grillées, que incluía um risoto (no fundo). A sobremesa foi de Pastine. Hum... que delícia!





A conta saiu por 200 MAD por pessoa, aprox 20 Euros.

Depois do almoço, fomos passear pela Old Medina (Medina antiga), que fica simplesmente atrás do restaurante.





Medina é uma cidade antiga murada e com ruas estreitas. Atualmente, as medinas contém diversas lojas e barracas de vendedores. Mas, não há só lojas de artesanatos e artigos típicos do Marrocos. Quem visita uma medina vai se surpreender com tantas lojas que comercializam produtos chineses.  É recomendável barganhar nas medinas. 

Para não se perder no meio de tantas ruas/vielas, recomendo utilizar o aplicativo Maps Google no celular.


Depois da Old Medina, seguimos caminhando em direção à Sacre Coeur, uma das principais catedrais do país. Entretanto, como muita coisa na cidade, a catedral estava em obras.





Seguimos, então, em direção à Notre Dame, que estava aberta. Sua arquitetura é moderna.












Por fim, seguimos até a Nova Medina – Nouvelle Medina. Bem mais agradável que a Old Medina. E claro, não deixamos de passar nas Patisseries do bairro... delicioso!








E que tal um Chá antes de retornar ao hotel? 





À noite, fomos ao Rick´s Café, recriação do cenário do famoso filme Casablanca. O atendimento é excelente. A comida também. O cardápio era específico para aquele dia. 





Provei um Rosbife, simplesmente delicioso. O vinho também! 








Tudo escutando uma agradável música de Piano.






O ponto negativo foi, como já mencionei, as pessoas fumando dentro do restaurante.

Percurso do Segundo Dia em Casablanca


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Booking.com