10 dicas essenciais para quem vai visitar o Marrocos




Marrocos é um país diversificado, e, acima de tudo, encantador. São tantas paisagens diferentes, que num mesmo dia o turista pode apreciar neve, montanhas e deserto. O país oferece muitas atrações para seus visitantes, como medinas, museus, Kasbahs, e, ainda, uma deliciosa gastronomia. Se isso tudo não bastasse, tem uma excelente relação custo-benefício.

Pretende visitar o Marrocos pela primeira vez? Então, não deixe de conferir as nossas dicas!




Dica 1: Não deixe de visitar ...

... uma Medina (as maiores são as de Fez e de Marrakesh) e “se perder” nas suas lojas. Não se esqueça de subir nos terraços das lojas para ter uma ampla da cidade antiga.

... Chefchaouen, ao norte do Marrocos, e se encantar com calçadas, ruas, paredes e construções pintadas de azul.

... Ifrane, especialmente no Inverno, e sentir o clima dos Alpes nos arredores de Fez.

... a Mesquita Hassan II, em Casablanca, a única mesquita do país aberta aos estrangeiros.



Dica 2: Não deixe de provar a gastronomia marroquina

Não deixe de provar um Tagine, um CusCus e as Azeitonas que irão acompanhar todas as suas refeições.

Não deixe de provar o delicioso suco de laranja marroquino, o chá, a cerveja Casablanca Premium e o vinho tinto S de Sirouá.

Não deixe de jantar no Rick´s Café, em Casablanca, ao agradável som do piano. Rick´s Café é a reconstrução do cenário do clássico filme Casablanca.

Não deixe de almoçar no Restaurante Sqala, em Casablanca, e provar as deliciosas entradas,  o prato Gambas Grillées e o delicioso Pastine de sobremesa.

Não deixe de jantar no Restaurante Le Zyriab, dentro da medina de Rabat, e apreciar um delicioso banquete marroquino.




Dica 3: Não é necessário guia para visitar as Medinas.

As medinas são cidades antigas muradas, onde, atualmente, funcionam diversos comércios e outras atividades. Uma das principais atrações turisticas no Marrocos é visitar a medina da cidade.

Muita gente vai te recomendar usar os serviços de um guia para visitar as medinas. Vão falar que há muitas ruas e ruelas, que é fácil se perder, etc, etc, etc.

De fato, algumas medinas são grandes. Por exemplo, a de Fez e a de Marrakesh tem 14 km de perímetro e mais de 10 mil ruas ou ruelas.

Mas, para não se perder, você não precisa contratar um guia, basta instalar o app Maps Google no celular, carregar os mapas e andar com o GPS ligado.


Ademais, os guias podem levar você para visitar lojas caras, lojas com quem ele tem algum acordo, recebendo um percentual das vendas. 

Dica 4: Não dê bola às abordagens na rua

Ao visitar o Marrocos, você certamente será abordado por locais, oferecendo serviços ou produtos, indicando para determinados lugares ou direções ou, ainda, pedindo dinheiro ou coisas.

Minha dica é: simplesmente não dê bola! Passe a diante!

Algumas informações prestadas podem estar erradas. Exemplo: enquanto procurávamos um restaurante em Fez, um rapaz nos abordou informando que não haveria nenhum outro restaurante mais para a frente... E, pelo contrário, havia.

Não dê bola especialmente se estiver dentro da Medina. E jamais os siga pelas ruelas e becos da cidade antiga.

Apesar de o Marrocos ser um país relativamente seguro, o turista não deve se expor a situações que possam leva-lo a ser vítima de algum ilícito.




Dica 5: Euro é bem-vindo, mas cuidado com a cotação

Tendo em vista a proximidade com a Europa, muitos dos turistas que vem ao Marrocos são originários do velho mundo.

E, em função disso, o Euro costuma ser bem aceito em lojas e serviços voltados aos turistas. Alguns passeios turísticos, serviços de guia, e hotéis são cotados, inclusive, em Euros.

Mas, é importante ficar atento às cotações, que, por vezes, não são tão favoráveis aos clientes.

Para as lojas do dia-a-dia, supermercados, transporte e outros serviços usados pelos locais, utilize o Dirham Marroquino (MAD).

Dica 6: Pechinchar

Especialmente nas medinas ou lojas populares, o turista deve pechinchar sempre que desejar comprar algo.

Os preços costumam ser inflados para os turistas...geralmente pedimos 50% de desconto para chegar a uns 30%. Na verdade a pechincha faz parte da cultura... nunca aceite o primeiro preço!



Dica 7: Use os serviços de trem para se deslocar entre as cidades.

Os serviços de trem oferecidos pela empresa ONCF são baratos e de boa qualidade. As estações de trem são uma atração à parte, especialmente, a de Marrakesh.

Infelizmente, nem todas as cidades estão servidas por linhas férreas, que se concentram na parte litorânea do país.



Dica 8: Em Casablanca, use o Uber e o Tram

Em Casablanca, recomendo utilizar o Uber para se deslocar na cidade. O serviço é bom, barato e de fácil utilização. Em média, uma corrida na cidade custa 2 ou 3 Euros. Infelizmente, é a única cidade servida pelo Uber no Marrocos.

O tram (bonde moderno) também é outro serviço de transporte de boa qualidade e preço baixo. Está disponível em cidades como Casablanca e Rabat.

Dica 9: Compre um Chip Pré-pago de Celular

Se for passar uma semana ou mais no Marrocos, recomendo comprar um chip pré-pago de celular na Maroc Telecom. No aeroporto de Casablanca, é possível adquiri-lo por 150 MAD (aprox. 15 Euros) com franquia de 5GB de dados de internet.

O celular pode ser útil para se comunicar com os amigos, especialmente, se você estiver viajando em grupo. O sinal é bom e chegamos a pegar sinal até no deserto do Saara.



Dica 10:  Trânsito Caótico. Cuidado ao atravessar as ruas

O trânsito nas principais cidades do Marrocos costuma ser caótico. Muitas vezes, os veículos não respeitam os sinais de trânsito e os semáforos.

Em Marrakesh, por exemplo, abundam motocicletas e elas trafegam irregularmente por ciclovias e até calçadas.

A dica é ter cuidado ao atravessar as ruas... mas nada se compara ao Vietnã !!! (Leia nossas dicas de como atravessar ruas em Hanoi aqui)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Booking.com