Relatos de Viagem ao Marrocos - Chefchaouen




No terceiro dia em Fez, fomos visitar Chefchaouen ou Chaouen, a cidade Azul (em Português, a cidade chama-se Xexuão). Fica a 200 km de Fez, entre as Montanhas do Rif, e o trajeto dura aproximadamente 4 horas. 








Em função desta longa jornada, recomendo ir num dia e retornar no outro.  

Um dia inteiro é suficiente para conhecer e apreciar a cidade Azul.


Tangier é a cidade importante mais próxima de Xexuão (110 km ou 2 horas de carro). A propósito, quem vem da Europa de ferry, costuma fazer o trajeto Tangier – Chefchaouen – Fez. Mas não era o nosso caso.




Chefchaouen foi fundada em 1471 pelo Moulay Ali Ben Rachid, descendente do profeta Maomé, como um local de proteção contra o avanço dos portugueses no Marrocos, que tinham acabado de conquistar Tanger e Arzila (fonte: Wikipedia). 
Posteriormente,  tornou-se um refúgio para judeus provenientes da Europa, especialmente da Península Ibérica, perseguidos pela Inquisição Espanhola. Foi a comunidade judaica a responsável por pintar a cidade e a cor azul seria uma referência à cor dos objetos sagrados do velho testamento (Fonte: Viagem Uol).

Contratamos os serviços da Marrocos.com, empresa de turismo da portuguesa Rita Leitão, para nos levar até Chefchaouen. O preço do day trip saiu por 170 Euros o veículo. Ótimo preço! Demais agências costumam cobrar 60 dólares por pessoa. E, como estávamos em 5, sairia tudo por 300 USD. 

Uma parada para café em Ouezzane, cidade que fica no meio do percurso.

Em Chefchaouen, paramos para tirar uma foto do Portal da Cidade...




E seguimos para uma queda/fonte de água (Ras El Ma), onde os habitantes costumam lavar roupa, etc..







Fique atento: Muita gente costuma abordar os turistas na cidade, especialmente, crianças e adolescentes que pedem de tudo, até mesmo, um pedaço do chocolate ou biscoito que você comprou ...





Em Ras el Ma, há vários vendedores e lojas. E é possível caminhar até a região central.

Mas, seguimos de carro até o centro da cidade, e estacionamos nas proximidades do Jardin Alcazaba (Alcabaza = Kasbah), ao lado do Kasbah.

O jardim é um lugar agradável para começar a explorar a cidade.







O antigo Kasbah, construído por Moulay Ismail, é uma zona fortificada contra os portugueses que, no passado, buscavam se apossar da costa norte do país. Atualmente, foi transformado no Musée Ethnographique de Chefchaouen.


O museu etnográfico de Chefchaouen foi inaugurado em 1985 e ocupa o setor esquerdo do Kasbah. Expõe instrumentos musicais, armas, bordados, cerâmicas, caixas de madeira, etc., características da arte popular do Norte do Marrocos. 

Circulamos o Kasbah e chegamos à Place Outa el Hamman, que é a praça central da cidade, onde se destacam diversos restaurantes e lojas.





Começamos, então, um tour pela cidade azul, percorrendo diversas ruelas, para apreciar a beleza da cidade: as construções todas pintadas de azul. Às vezes, branco. Em alguns locais, as calçadas também estão pintadas de azul.. É tudo muito bonito!

Confira as fotos:


















Ponto Negativo: Depois do percurso, o motorista nos levou para almoçar num local bem porcaria. Isso é um dos problemas de pegar tours ao invés de fazer viagem independente. 





No mais, a viagem foi ótima! Recomendo bastante!






Às 16 horas, seguimos de volta para Fez. O caminho era longo, e, no dia seguinte, partiríamos rumo ao Deserto do Saara.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Booking.com