Relatos de Viagem a Toronto, Canadá



Toronto é a maior cidade do Canadá, é o centro financeiro e industrial do país. A cidade cosmopolita de 2,8 milhões de habitantes já foi considerada pela Revista Economist a melhor cidade para se viver. É banhada pelo gigante Lago Ontario.

Aeroporto Toronto Pearson (YYZ) no Inverno

O Aeroporto de Toronto Pearson (YYZ) costuma ser a porta de entrada dos visitantes do Canadá, pois oferece conexões sem escalas para mais de 150 cidades de todo mundo, ou seja, uma boa desculpa para visitar Toronto, uma cidade que tem muito a oferecer para seus visitantes.




Em Montreal, pegamos o trem cedo para Toronto. O trajeto dura aprox. 5 horas (6:45hs – 11:45hs). O trem é confortável, mas balança um pouco. Há serviço de bordo.




Chegamos a Union Station de Toronto e caminhamos cerca de 10 minutos até chegar ao hotel. Por sorte, conseguimos fazer o check-in antecipado.

Ficamos no Hotel Novotel Toronto Centre. Aproveitamos um desconto oferecido para os hotéis da rede Accor. O atendimento é bom e o hotel segue o padrão da rede Accor. Recomendo!

O hotel está muito bem localizado, a poucos metros da Union Station, estação central de trem.

Em frente ao hotel, há vários restaurantes, merecendo destaque o The Old Spaguetti Factory, que há havíamos provado e aprovado em Vancouver, BC. Ao lado, havia uma loja de conveniência que ajudou muito. O hotel também está a poucos minutos de caminhada do Jack Layton Ferry Terminal, um terminal que dá acesso às Toronto Islands e, ainda, da Torre de Toronto (CN Tower).

Feito o check-in, fomos caminhar pela Yonge Street, que é considerada a maior rua do mundo, com 86 km de extensão!!! Na sua maior parte, a rua é comercial e abriga diversas atrações como o Eaton Centre, a Dundas Square e o Hockey Hall of Fame.

A Dundas Square se parece com a Times Square, de Nova Iorque, com diversos displays montados nos edifícios.




Por fim, fomos ao Eaton Centre, um imenso shopping center, mas, sem nada especial comparado aos grandes shoppings brasileiros.

À noite, fomos jantar no restaurante italiano Kit Kat, muito elogiado no TripAdvisor. Está a 15-20 minutos de caminhada do hotel, na King St.

O espaço é pequeno e havia uma fila para conseguir uma mesa. Os clientes aguardavam de pé, o que era um pouco incômodo. Alguns aguardavam no balcão.

O corredor era estreito e as garçonetes passavam para lá e para cá com os pratos no meio das pessoas.

Finalmente, após uma espera de mais de 20 minutos, conseguimos uma mesa. A comida era preparada ao lado...

Provamos um Fettucini e um Angel Hair, com taça de vinho e pão de alho. Preço total 60 CAD.

A comida era boa, mas nada excepcional de modo a merecer um selo de excelência do TripAdvisor.

Dia 2.




Após tomar café, fomos fazer um Day Trip para as Cachoeiras do Niagara (Niagara Falls Tour). Contratamos a empresa Bus & Boat Company. Foram 85 CAD (dólares americanos), incluindo os impostos.

Dica: No Canadá, tal como nos Estados Unidos, o imposto é pago por fora, ou seja, além do preço do produto/serviço, você deve incluir o imposto, cuja alíquota varia conforme o Estado.

Chegamos à cidade de Niagara Falls, em Ontario, às 11:00hs. O rio Niagara, onde estão as cachoeiras, faz fronteira entre o Canadá e os Estados Unidos. Uma ponte, a Rainbow Bridge, liga os dois países. É possível atravessar a fronteira à pé.




As cachoeiras do Niagara são melhor apreciadas no lado canadense do que no lado americano. A visão é limitada no lado americano.





Chegamos a ponto de apoio, com lojas, cafés e lanchonetes. Fizemos o passeio “Journey Behind the Falls” (17 CAD), que é um túnel pequeno que passa através das cataratas.  





Dá para sentir a força das cataratas, mas imaginava que o espaço de observação seria maior.. Há um ponto de observação, um pouco afastado, onde visitante sente os respingos da cachoeira...

É possível também fazer outros passeios na cidade, como o de helicóptero ou o de barco (22 CAD).  Mas o tempo era limitado ..


Resolvemos caminhar pela orla para observar melhor as cachoeiras de ambos os lados da fronteira.

A orla é bem agradável. Às vezes, você sente alguns respingos de água, vindos da cachoeira. Parece que está chovendo!


A Niagara falls oferece muitas atrações para os turistas. Se você quiser, poderá passar mais de um dia e se hospedar em algum dos hotéis da cidade.

Retornamos ao ponto de encontro da excursão, mas o nosso ônibus chegou com 30 minutos de atraso. Ponto negativo para a empresa de turismo!

Seguimos, então, com destino a Niagara on the Lake, uma pequena cidade que fica às margens do Lago Ontario, onde deságua o Rio Niagara. 





No caminho, paramos para observar a Niagara Whirlpool, que é uma "piscina de hidromassagem" natural localizada no Rio Niagara.





Nossa parada em Niagara on the Lake foi rápida (30 minutos), só deu para tomar um café. 





A cidade não tem nada de muito especial!





Por fim, uma parada no Niagara College Teaching Winery, uma instituição de ensino de vinho na região do Niagara. Pudemos degustar alguns vinhos, em especial os “Ice Wines” e tivemos uma pequena explanação sobre os vinhos e sobre a escola. 

Há uma loja no local, onde é possível adquirir os vinhos que lá são produzidos bem como acessórios. Para degustar vinhos mais caros, é necessário pagar (5 CAD).

O trajeto entre Niagara Falls e Toronto dura aproximadamente uma hora e 15 minutos.





À noite, jantamos no já conhecido The Old Spaguetti Factory, em frente ao hotel.

Dia 3.



Nosso último dia em Toronto. Acordamos cedo para aproveitar melhor o dia, afinal, o horário limite de check-out era ao meio-dia.

Tomamos café e seguimos para as Toronto Islands, que ficam no Lago Ontário. 




Caminhamos até o Terminal de Ferry Jack Layton, que fica ao lado do Hotel Westin.

Dica: o acesso ao terminal é pelo lado oeste do hotel.
Era domingo e só havia ferrys para a Ward´s Island. Nos dias de semana, há ferries também para as ilhas centrais e para a ilha onde fica o Aeroporto.



As atrações existentes nas Toronto Islands também estavam fechadas no domingo, com exceção de um café. Mas, mesmo assim, é possível encontrar turistas apreciando as belezas das ilhas.





É um ambiente bem diferente da selva de pedra de Toronto. Vemos também muitos moradores passeando pelos walkways ou boardwalk da ilha.





A Ward´s Island tem uma praia, mas, não é recomendável se banhar em função da qualidade da água.





É agradável passear pelos caminhos da ilha, observar as casas de madeira, decoradas para o Halloween. As árvores amarelas, cujas folhas  espalham-se pelo chão formam uma paisagem muito bonita.





Ferry para a Ilha. O ferry custa em torno de 7 CAD e só se paga na ida.  Na volta, não há cobrança. É conveniente ir nos dias de semana, quando as atrações das demais ilhas estão abertas. É possível caminhar de uma ilha para outra, se você tiver disposição.




Retornando para o hotel, fizemos o check-out e fomos visitar a CN Tower.





Lá em cima, almoçamos no restaurante Horizons, que não é muito caro, considerando os padrões locais, e de onde a vista de Toronto é absolutamente incrível. 





Ver a imensidão do Lago Ontario, as Toronto Islands e o pouso e decolagem de aeronaves no aeroporto central é uma experiência fantástica.





Pegamos nossas malas no hotel e fomos para o Aeroporto. O acesso não poderia ser mais fácil com o trem UP Express (Union Pearson Express), que liga a Union Station ao Aeroporto Toronto Pearson (YYZ) em menos de 30 minutos.

Na Union Station, siga as indicações para ter acesso ao trem. A plataforma não fica propriamente na Union Station, mas numa edificação ao lado e para chegar lá você terá que passar por uma passarela. Mas, fique tranquilo, tudo é  muito bem sinalizado.

O UP Express é um trem confortável e oferece acesso Wi-fi para os seus clientes.

Saiba mais sobre o trem: https://www.upexpress.com/

Hora de partir. Pegar um voo para a cidade do México.

Infelizmente, nossa passagem por Toronto foi rápida, apesar de intensa. 

Esperamos retornar algum dia. Até a próxima viagem!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Booking.com