Relatos de Viagem: Ilhas Brač, Sveti Klement e Hvar, na Croácia




Neste dia, fomos fazer um tour pelas Ilhas em torno de Split, na Croácia.

Havíamos contratado, no dia anterior, a agência Toto Travel, que fica ao lado da nossa acomodação em Split (Riva Rooms). Por 90 euros por pessoa, ela fazia o tour para a Caverna Azul, e por ilhas. A ida à Caverna Azul, entretanto, dependia de condições meteorológicas.

O encontro foi marcado às 7:45hs na própria agência. Infelizmente não foi possível visitar a Blue Cave em função das condições meteorológicas. O passeio foi reduzido, e, por causa disso, a empresa ofereceu um desconto (20 Euros) ou conferiu a possibilidade do reembolso.



Créditos: Leonardo Shinagawa (Flickr.com)

A Caverna Azul (Modra Špilja) fica na Ilha de Bisevo, próxima à Ilha de Vis, um pouco distante de Split. Como o próprio nome indica, o que mais encanta no local é a cor azul e cristalina das suas águas. Na época da Iugoslávia, o local era inacessível aos turistas, uma vez que as ilhas eram consideradas de interesse militar no Governo do Marechal Tito. 

Atualmente, são permitidas visitas à Blue Cave, mas o acesso não deixou de ser regulado pelo Governo. Apenas um barco entra por vez e a entrada é cobrada à parte (50 kunas). O melhor horário para visitar a Caverna é às 11hs da manhã. Para entrar, não esqueça de baixar a cabeça...




Como dá para perceber, quando a maré está muito alta, entrada da caverna fica “fechada”. O passeio lá nas cavernas dura pouco, há uma longa espera até chegar a sua vez (aprox. 45 minutos), mas a imagem do lugar costuma ficar marcada na memória dos seus visitantes.





Nossa visita, entretanto, restringiu-se às três ilhas: BračSveti Klement e Hvar.




Pegamos uma lancha rápida, com capacidade para 12 pessoas.

Dica: É bom trazer ou usar um casaco, pois, em razão da velocidade da lancha, passa-se muito frio. Fui de bermuda e passei muito frio nas pernas.




A primeira parada foi em Milna, que fica na costa oeste da Ilha Brač. A propósito, a Ilha Brač é imensa!





Não vi muita coisa interessante para fazer em Milna, exceto visitar uma Igreja (Parish Church), construída no século XVIII. 





Você também pode escolher um dos cafés/restaurantes e ficar apreciando o movimento de barcos na marina.








A segunda parada foi na Marina Palmižana, na ilha Sveti Klement, que fica nas proximidades da ilha Hvar. A marina Palmižana é considerada uma das mais bonitas do mar Adriático. De fato, dá para perceber em fotos como esta.






Cruzando a ilha (5-10 minutos de caminhada), no outro lado da marina, você encontra uma praia agradável e, também, diversos restaurantes.





Infelizmente, nesta época do ano, a maior parte deles não está aberta.




A praia é de águas cristalinas, mas, em abril, estava bem fria.




Nossa última parada foi na Vila de Hvar (Hvar Town), na Ilha de Hvar. Trata-se de um dos destinos mais populares no mar Adriático. Provavelmente, em função das festas e baladas que acontecem por ali, como estas no Hula Hula Beach Bar.




Para chegar à Vila de Hvar, você não precisa necessariamente contratar uma agência de turismo. Pode pegar um Ferry a partir de Split, tais como, o Jadrolinija. Pode, ainda, pegar um Taxiboat, tais como, Dalmatia-Express.

Fique atento se o seu ferry chega na vila de Hvar ou em Stari Grad, ambos são portos de desembarque na Ilha de Hvar. Mas, para chegar de Stari Grad até a vila de Hvar, serão necessários mais 30 minutos de carro.




Se você tiver tempo, pode se hospedar na Ilha de Hvar (onde há diversos apartamentos, hostels, pousadas e alguns hotéis) e utilizá-la como base para visitar as ilhas e as praias da região e, ainda, as cavernas azul e verde.





Na vila de Hvar, há basicamente três atrações: Catedral de St. Stephen, a Fortaleza de Hvar e o Monastério Franciscano.





A Catedral de St. Stephen foi construída entre os Séculos XVI e XVII, feita de pedra branca. 




A Catedral se destaca na Praça Principal de Hvar, uma das maiores da Croácia com 4.500 metros quadrados. A propósito, foi a partir da praça principal que a vila cresceu e se desenvolveu. Atualmente, há diversos bares, lojas e restaurantes no entorno da praça.





A Fortaleza de Hvar (Fortica Španjola) foi construída no Século XVI durante a era Veneziana. Fica no alto de uma colina. Está muito bem preservada. A subida é íngreme e difícil. 








Mas seu esforço será recompensado! Observe essa belíssima vista panorâmica da vila de Hvar e, até mesmo, das ilhas Pakleni. 

Recomenda-se visitar a Fortaleza para observar o Por do Sol. O ingresso custa 30 kunas, mas no dia em que visitamos, os portões estavam abertos. 





Lá em cima, você encontra também uma exposição de artigos da Idade Média, prisão, canhões e uma loja de souvenirs.  





O Monastério Franciscano foi construído a partir século XV em frente ao mar, ao lado de uma pequena praia (Lučica Beach). O que mais se destaca no Monastério são suas pinturas, inclusive uma da última Ceia. Você também pode visitar uma pequena capela, um patio (onde são realizados concertos) e um museu. O mosteiro fica a 5 minutos de caminhada da parte central da cidade de Hvar.





Mas, além dessas atrações, na parte baixa, você pode passear pela marina, pelas vielas que dão acesso à Fortaleza e visitar as diversas lojas e restaurantes.





Permanecemos em Hvar por 3hs. No final da tarde, retornamos para Split.




À noite, fomos comer no Sexy Cow, um bar especializado em Wrap. Na verdade, o local mais se parece com uma lanchonete de FastFood, com bancadas e poucas mesas. Comemos o Sexy Cow Wrap, uma delícia! Recomendo!


Fonte: Sexy-Cow.com

No dia seguinte, seria nosso último dia de viagem ...


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Booking.com