O que NÃO FAZER em Bangkok, na Tailândia?



Linda e Caótica! Essa é a minha descrição de Bangkok, capital da Tailândia, uma cidade de contrastes. A metrópole é repleta de atrações turísticas, bons hotéis, restaurantes, bares (especialmente os Rooftop Bars), centros de compras, tudo com uma excelente relação custo-benefício.

Isso tudo sem falar nos day trips (passeios de um dia) que podem ser feitos para atrações fora dos limites do município. Tem muita coisa para se fazer em Bangkok! Não é à toa que a cidade é um dos principais destinos turísticos do mundo, sendo classificada como Global Top Destination” em função do n° de visitantes internacionais.

Não deixe de ler os nossos posts sobre as principais atrações de Bangkok, Tailândia (Parte 1, Parte2)

Gosto muito de Bangkok! É um dos meus destinos preferidos. Mas, como todas as cidades,  a capital tailandesa também apresenta algumas armadilhas para o turista. É importante tomar alguns cuidados!

Neste post, vou falar algumas coisas que você NÃO DEVE FAZER em Bangkok, evitando que perca seu tempo ou dinheiro. Siga as dicas e tenha uma experiência de viagem mais segura e proveitosa.

1. Não aceite abordagens de estranhos na rua

Acho que essa é uma regra universal. Uma dica que pode evitar uma grande variedade de problemas ou golpes em qualquer lugar do mundo, em especial, na Tailândia.

Em Bangkok, ninguém te abordará na rua (seja para oferecer coisas, indicar caminho, dar informações, etc.), sem segundas intenções.

Por exemplo, há golpistas que colocam comidas de pássaros nas mãos das pessoas, para depois exigir dinheiro. Há golpistas que levam turistas para lojas de joias, jogos de cartas, etc.

Sempre que for abordado, desconfie!

Há exceções! Em alguns poucos lugares (p. ex. em Hanoi, no Vietnã, ou em Isfahan, no Irã), fui abordado por algumas pessoas que queriam, tão somente, treinar o seu inglês ou saber um pouco mais sobre o estrangeiro. Esse tipo de abordagem desinteressada não ocorre, entretanto, em destinos muito turísticos, como é o caso de Bangkok.

2. Não andar de Tuk-Tuk



Tuk-Tuk é um veículo triciclo aberto muito comum em países do sudeste asiático. Basicamente, é uma motocicleta acoplada a uma cabine para os passageiros.

Nossa recomendação é que você evite utilizá-lo em Bangkok. Essa é uma recomendação que consta até mesmo do site da Embaixada Brasileira em Bangkok, eis que algumas vezes o motorista acaba por leva-lo a locais para induzi-lo a fazer compras:

“Sugere-se que o turista evite o uso de tuk-tuk (veículo triciclo, aberto, com motorista). Há casos em que o motorista não leva o passageiro ao destino desejado e procura convencê-lo, às vezes de forma agressiva, a visitar lojas de joias, nem sempre de boa reputação (das quais recebem comissões), com o objetivo de induzir o visitante a compras.”

Um outro motivo para evitar usar os tuk-tuks tem a ver com o trânsito. Como o veículo é aberto e o trânsito em Bangkok é muito pesado, você passará um bom tempo respirando a poluição dos carros.

Caso deseje andar de tuk-tuk, você pode utilizá-lo em cidades do interior da Tailândia ou em Siem Reap, no Camboja. 





3. Não caia no golpe “O grande palácio está fechado”



Na entrada do Grand Palace, a principal atração de Bangkok, os turistas costumam ser abordados por golpistas dizendo que o Palácio está fechado. Nessa oportunidade, eles tentam leva-los para outros lugares, lojas, etc.

A dica para não cair nesse golpe é simples. Identifique no mapa onde está a entrada do Palácio (marque no Maps Google para facilitar) e simplesmente não dê bola para estranhos.

O Palácio muito raramente estará fechado e funciona das 8:30 às 15:30hs.

Não deixe de ler o nosso post sobre o Royal Grand Palace (clique aqui).

4. Não assista shows no mercado noturno de Patpong




O mercado noturno de Patpong é um daqueles locais que eu recomendo a visita, tão somente, para matar a “curiosidade sociológica”. Nada mais!

É um local propício para golpes (scams) nos turistas. Por isso, não recomendo comprar nada e muito menos visitar as casas noturnas.

Na rua, você será abordado por diversas pessoas oferecendo shows de sexo, sendo o mais famoso aquele em que as meninas jogam Ping-Pong usando a genitália.

Importante lembrar que, ao aceitar essas ofertas, você estará alimentando uma rede de exploração e tráfico de mulheres. Sugiro, a propósito, assistir o documentário Escravas Sexuais do Século 21, disponível no Netflix.

Não deixe de assistir também a Série Scam City: as Capitais do Delito.

Se isso já não bastasse, você ficará surpreso ao ver a sua conta na saída da casa noturna. O que você pensava custar 100, vai custar 1000. E você só sairá de lá depois de pagá-la.

5. Cuidado com os Tours “patrocinados”

Antes de contratar tours dentro ou fora de Bangkok, fique atento para saber se o Tour é “patrocinado”. Neste caso, além de visitar os locais desejados você será levado a diversas lojas, onde vão querer te empurrar diversas coisas. É uma situação extremamente desagradável e uma perda de tempo para o turista!

Os guias alegam que o tour é mais barato porque é patrocinado por essas lojas, mas nada disso é falado no momento em que você contratou o passeio.

Minha dica é procure uma agência de viagem recomendada no TripAdvisor ou no Hotel em que estiver hospedado. Evite contratar agências na rua ou até mesmo no Aeroporto, sem referência prévia.

Por outro lado, você não precisará de agências para visitar a maioria das atrações de Bangkok. Talvez só para as atrações para fora da cidade.

6. Evite comidas de rua




Um dos grandes prazeres em viajar para outros países é descobrir novos sabores, novas comidas, novas bebidas e novos temperos. E a Tailândia é um ótimo lugar para isso!

Minha dica é evitar comidas de rua na Tailândia. Você não sabe a qualidade da comida, não sabe as condições de higiene em que ela foi feita e o local ainda fica exposto à poluição e à sujeira da cidade. Se você tiver alguma infecção intestinal, isso pode simplesmente acabar com a sua viagem. Não vale o risco!

Se tem algo que aprendi viajando para vários países, é que não se deve sair escolhendo um local para comer “no escuro”. Deve-se buscar referências e uma das fontes é o TripAdvisor. Bangkok tem muitos bons restaurantes, você não precisa comer na rua.

7. Cuidados ao pegar Taxis



Fique atento ao pegar um taxi. Em primeiro lugar, peça para usar o taxímetro e, caso ele não queira, procure outro taxi, ou, pelo menos, combine o valor antes de iniciar a viagem.

Da mesma forma que os motoristas de tuk-tuk, os de taxi poderão querer leva-los a outros lugares que não aqueles que você deseja ir.

Indo e voltando do Aeroporto, você poderá ter que pagar um pedágio para ter acesso às vias mais rápidas.

8. Não fale mal do Rei

O Rei é uma figura sagrada na Tailândia. Criticar o Rei ou desrespeitá-lo, fazendo, por exemplo, uso cômico de suas imagens, constitui crime de lesa-majestade passível de prisão de 3 a 5 anos.

Veja o que disse a Embaixada Brasileira a respeito:

“A instituição da monarquia na Tailândia reveste-se de especial e particular proteção assegurada pelo sistema jurídico do país. O desrespeito aos monarcas, à Família Real e a seus antepassados é punível como crime de Lesa-Majestade (art. 112 do Código Penal), passível de prisão por período que varia de 3 a 5 anos. O conceito de desrespeito adotado é abrangente e atinge também com rigor os meios virtuais.Exemplos de condutas criminalizadas: não se levantar quando da execução do Hino Real (entoado antes da projeção de filmes, concertos, shows e eventos esportivos); uso cômico de imagens, como estampas jocosas em indumentárias, ou dos nomes reais; críticas abertas à monarquia. Condenações por Lesa-Majestade seguem em uso e não são flexibilizadas para estrangeiros”.

Como nos últimos anos, a Tailândia vem sofrendo uma certa instabilidade política, com protestos e confrontos entre manifestantes e policiais, recomenda-se, também, aos turistas afastar-se desses locais.

Há uma regra básica: Turista não se envolve em política! Lugar de turista não é em protestos!

9. Não vá de bermudas ou com camisas sem mangas visitar os templos



Muitas atrações de Bangkok são locais de caráter religioso e, para entrar nesses locais, é proibido o uso de camisas ou blusas sem mangas, bermudas ou chinelos e sandálias. Também não é permitido o uso de roupas transparentes.

No dia em que for visitar os templos de Bangkok, já saia do hotel ou do hostel trajado adequadamente (calças longas, vestidos longos e blusas com mangas) para evitar contratempos.

Ainda que na entrada dos templos possa ser disponibilizado um Sarong para os turistas, você pegará uma fila grande e ainda terá que deixar uma caução. Na melhor das hipóteses, você perderá um tempo precioso da sua visita.  Vá preparado!

10. Não se esqueça do certificado internacional de vacinação de Febre Amarela.




Na chegada à Tailândia, cidadãos brasileiros devem passar pelas autoridades sanitárias antes de ir à imigração (leia aqui). Você deverá preencher um formulário de saúde e apresenta-lo juntamente com o Certificado Internacional de Febre Amarela a um agente da Vigilância em Saúde Tailandesa. Só então poderá se dirigir à Imigração.

Portanto, para evitar problemas na entrada no país, não se esqueça do seu certificado internacional de febre amarela, emitido pela Anvisa. Saiba mais sobre Vacinação, clique aqui.

11. Não dirija veículos (carros, motocicletas, etc) na Tailândia




A Embaixada Brasileira em Bangkok alerta que, segundo as leis tailandesas, os motoristas, para dirigir na Tailândia, devem portar carteira de motorista tailandesa.

Dessa forma, carteiras de motorista estrangeiras ou carteiras internacionais não são aceitas para dirigir no país, nem mesmo no caso de turistas de passagem (a não ser as carteiras emitidas por alguns países vizinhos da Tailândia).

Nem mesmo a Permissão Internacional para Dirigir (PID) é válida na Tailândia, pois o país não é signatário da Convenção de Viena sobre o Trânsito Viário (1968).

Ainda que você consiga, na prática, locar um veículo na Tailândia com a CNH brasileira, em caso de acidente, as empresas de seguro poderão se negar a arcar com as despesas, que ficaram por sua conta. Além disso, você poderá ser indiciado por direção ilegal.

12. Não fume cigarros eletrônicos ou porte qualquer tipo de droga ilícita

Os cigarros eletrônicos são proibidos na Tailândia (como também o são no Brasil). A proibição começou em 2014. Quem for pego fumando esses cigarros poderá ser preso ou, pelo menos, sofrer uma elevada multa. Portanto, não traga cigarros eletrônicos à Tailândia ou qualquer item relacionado ao seu fumo (fonte: Tourism Authority of Thailand).

Ademais, na Tailândia, como em muitos países da Ásia, o porte e o tráfico de drogas são severamente punidos pela legislação. Em alguns casos, é aplicável a pena de morte. Mesmo o porte de quantidades mínimas de drogas pode ser punido com muitos anos de prisão (fonte: Embaixada Brasileira em Bangkok, Tailândia).

Conclusão

Desde 2011, já fui várias vezes a Bangkok e nunca tive nenhum problema. Apesar de tudo o que eu falei nesse post, continua sendo um dos meus destinos favoritos. Com poucos cuidados e bom senso, sua viagem à Tailândia poderá ser segura e proveitosa.




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Booking.com