Dicas essenciais para quem vai ao Deserto do Atacama


San Pedro de Atacama é uma pequena vila de 5 mil habitantes situada num dos desertos mais áridos do mundo, o Deserto do Atacama. Fica a 2.400 metros de altitude, na região de Antofagasta (não confundir com a cidade de Antofagasta), no norte do Chile.

A cidade é a base para diversas excursões pelo deserto. Cito, por exemplo, o Vale da Lua e da Morte, os Geysers del Tatio, as Lagoas de Sal, dentre outras belezas naturais que ficam nos arredores de San Pedro. Uma das atrações construídas pelo ser humano é o Observatório Espacial, uma vez que as condições climáticas locais tornam a observação das estrelas uma experiência fantástica.


Na cidade propriamente dita, não há muito o que fazer. Destaco a Igreja de San Pedro de Atacama, no centro da cidade. Além disso, vale apreciar as lojinhas de artesanato, as ruas não pavimentadas e as construções feitas de Adobe, uma espécie de tijolo feito de barro, água e palha.

Recomendo passar 5 dias em San Pedro de Atacama.  Não mais, não menos. Por um lado, 5 dias é suficiente para você fazer as principais excursões. Por outro, passar mais tempo por lá poderá tornar um pouco entediante a sua viagem.






Visitar o Atacama é uma experiência excepcional, mesmo no inverno, quando fui. Nesse post, vamos apresentar algumas dicas para tornar a sua viagem ao Deserto mais proveitosa e econômica.

1. Como chegar


A principal opção para chegar até San Pedro é pelo Aeroporto de Calama (CJC) que fica a 100 km da cidade. De Santiago a Calama, você pode utilizar três companhias aéreas: a Latam, a Sky Airline e, mais recentemente, a Jet Smart. As duas últimas são empresas low-cost e tem os preços bem mais em conta.



De lá, você pega um transfer para San Pedro. São várias as empresas que oferecem transfers no Aeroporto. Não é necessário contratar com antecedência. Os preços estão em torno de 12.000 pesos chilenos (aprox. R$ 63), só ida, e 20.000 pesos chilenos (aprox. R$ 105), ida e volta. E o trajeto até San Pedro dura aproximadamente 1 hora e meia.

2. Contrate os passeios no local.


Observamos que há uma grande variação de preços entre as diversas agências que oferecem passeios em San Pedro de Atacama.

Havíamos contratado uma agência local com antecedência, para 8 pessoas e pagamos um sinal de 50% com antecedência. E qual foi a nossa surpresa? Outras pessoas que fizeram passeio na mesma agência e contrataram na hora, pagaram menos.

Obviamente, fomos conversar com o proprietário e solicitamos um ressarcimento. Depois de muita discussão, fomos ressarcidos!

3. Ingerir bastante água, sempre andar com uma garrafa nos passeios e na cidade. Evite o álcool antes de passeios de maior altitude.

O Atacama é um dos desertos mais secos do mundo. Chover é raro por ali e a umidade relativa do ar gira em torno de 15%.  Para não ficar desidratado, é recomendável ingerir bastante água ao longo do dia e, como você não é camelo, traga sempre consigo uma garrafa d’água durante os passeios ou na cidade.

O álcool, por sua vez, potencializa os efeitos da desidratação, especialmente em altitudes elevadas. Por isso, evite a sua ingestão antes de fazer passeios para as regiões mais altas (por ex. Geysers del Tatio).

4. Prepare-se para grandes variações climáticas.


O clima do deserto caracteriza-se por uma grande amplitude térmica, ou seja, uma grande diferença entre a temperatura mínima e a máxima no mesmo dia. Entre 10 e 15 horas, aproximadamente, costuma ser mais quente. Para mim, é o melhor horário do dia! Dá até para pegar um solzinho na piscina do hotel!




Entretanto, quando vai caindo à noite até o início da manhã, a temperatura cai bastante e você não consegue sair sem casaco. Imagine no meio da noite!

A dica é ficar preparado. Não sair no final da tarde sem casaco, mesmo que ainda não esteja sentindo frio.

5. Traga protetor solar e labial.

Como você estará exposto ao sol e ao frio, é importante se proteger. Não deixe de usar o protetor solar e labial.





6. Aproveite para tirar belíssimas fotos. Não esqueça sua Câmera


As paisagens no Deserto do Atacama são de uma beleza impressionante. Não deixe de registrar esses cenários e guarda-los para recordação.

7. Faça passeios de forma progressiva de altitude.

Você já deve ter ouvido falar que muitas pessoas apresentam dor de cabeça, tontura, enjoo e cansaço durante os passeios em São Pedro do Atacama. Algumas vezes, os sintomas são mais graves e são chamados de mal de altitude ou mal da montanha. Isso ocorre devido à hipóxia (falta de oxigênio) no organismo causada pela diminuição da pressão atmosférica devido às maiores altitudes.


Normalmente ocorre quando o organismo não está adaptado e em alturas superiores a 2400m. Por isso, para tentar evitar essa situação, dê preferência para começar com os passeios em lugares mais baixos e ir progredindo aos poucos, além de tentar as sugestões locais de tomar um chá de coca ou comer as balinhas (não sei se funcionam, mas são gostosas).
Geysers el Tatio
Nossa sugestão é que no primeiro dia fique pela cidade para se ambientar, depois, faça os passeios para o Vale da Lua e Vale da Morte e Laguna Cejar e só posteriormente para os Geysers del Tatio (4.320  m), Lagunas Altiplanicas (4.200 m); Salar de Tara (4.800 m) e trekking nos vulcões. 

8. Caminhe pela Rua Caracoles.


A Calle Caracoles é um Paseo Peatonal, é a rua principal da cidade, fechada para carros em boa parte da sua extensão. Por lá, você encontra lojas, restaurantes, sorveterias, agências de viagem, mercadinhos, dentre outros. Essa rua também é o habitat dos visitantes de San Pedro de Atacama.

9. Não deixe de jantar no Restaurante Blanco


Os restaurantes Blanco e La Casona são, na minha opinião, os melhores San Pedro. Pertencem ao mesmo dono e todos estão localizados na Calle Caracoles. A carta de vinhos, a propósito, é a mesma.



De todos, merece destaque o Restaurante Blanco, pelo atendimento e pela comida deliciosa. Não deixe de provar o Salmão com Pera ou o Crocante de Quinoa com Carne. Sensacional! 



O restaurante Blanco está classificado como o 9º do TripAdvisor em San Pedro de Atacama (nota 4.0/5.0).

10. Aprecie os sorvetes de frutos e produtos locais, tais como Quinoa e Alfarroba.



Também na Calle Caracoles, você encontra a Heladeria Babalu, que oferece diversos sorvetes de frutos e produtos locais. Não deixe de provar os de Quinoa e de Alfarroba, sabores que você não encontrará aqui no Brasil.

11. Reservar a acomodação com antecedência.


Não deixe para arrumar sua acomodação (hotel, hostel ou hostal) na hora. A oferta de acomodação na cidade é pequena diante do número de visitantes. É muito comum ver placas na frente das acomodações com os dizeres “Não temos mais vagas”. Portanto, para evitar ficar sem ter onde dormir, reserve sua acomodação com antecedência.

12. A cidade é cara.

Pesquise nas diversas lojas, restaurantes e cafés antes de comprar. Não deixe para comprar roupas, calçados, luvas ou equipamentos em San Pedro. Compre algumas coisas em Santiago ou até mesmo no Brasil.

13. Não deixe de provar um Chupe de Champiñón

Chupe de Centolla. By Daniela Ronda [CC BY-SA 4.0], via Wikimedia Commons

Chupe é um prato típico servido numa tigela de barro. E o Chupe de Champignon, do restaurante La Casona, é simplesmente delicioso. Vale à pena provar!

14. Repare no material das construções (adobe)


Como falei, Adobe é uma espécie de tijolo feito de barro, água e palha. É o material de construção típico de San Pedro de Atacama. É um material de baixo custo, que proporciona conforto térmico numa região tão sujeita às variações de temperatura.

15. Poeira


Se você se incomoda com a poeira, não deixe de levar uma máscara. Caminhando por San Pedro, definitivamente, você vai sujar suas calças. É bom reservar algumas roupas limpas para a volta.

Espero que tenham gostado dessas dicas. Boa viagem ao Atacama!



Emerson Cesar
Emerson Cesar

Aos 45 anos de idade, Emerson é um aprendiz de fotógrafo que tenta registrar da melhor maneira as experiências de viagem. Começou a descobrir o mundo há 10 anos e já visitou 61 países. Gosta de caminhar a esmo pelas cidades mundo afora, observando as pessoas, as construções e os lugares. É formado em Engenharia e Direito.

Nenhum comentário:

Postar um comentário