Curitiba, a capital do Paraná, é a cidade mais populosa da região sul do Brasil. Conhecida como a cidade modelo, Curitiba é uma excelente opção de turismo no sul do país, com muito a oferecer aos seus visitantes.

Neste artigo, apresento os motivos para você visitar e se encantar com essa incrível cidade.

1. Uma cidade multicultural

Curitiba celebra os diferentes povos e culturas. Isso é excepcional! Poloneses, Ucranianos, Alemães, Italianos, Muçulmanos e Judeus são lembrados pelos diversos memoriais, monumentos, construções e templos religiosos da cidade. Diversas festas, a culinária típica e as atividades culturais em Curitiba também são exemplos da influência dos imigrantes.

Poloneses

Em 2019, a imigração polonesa no Brasil completa 150 anos. Os poloneses foram atraídos pela política de imigração da província no final do século XIX, que atraia estrangeiros para atuar na produção agrícola de alimentos.

Bosque do Papa, Curitiba
Bosque do Papa, Curitiba

O Bosque do Papa João Paulo II relembra a imigração polonesa. Trata-se de uma grande área na região do centro cívico: 42.000 m². No local, encontra-se o Memorial da Imigração Polonesa, um museu ao ar livre, composto por sete casas construídas com troncos de pinheiros encaixados, típicas da imigração polonesa.

Essas abrigam um museu de móveis e utensílios domésticos utilizados pelos imigrantes (como a pipa de azedar repolhos), a capela de Nossa Senhora de Czestochowa, um quiosque para a venda de artesanato e produtos típicos e espaços para eventos e exposições.

No local, são realizados diversos eventos para celebrar as tradições polonesas, dentre as quais, a Benção dos Alimentos (Swieconka) no sábado de Aleluia; o aniversário da visita do Papa a Curitiba (julho); a festa da Nossa Senhora de Czestochowa (agosto); e o Natal polonês (dezembro).

Italianos

Em 2018, completou 140 anos da chegada dos primeiros imigrantes italianos em Curitiba. Também foram atraídos pela política de incentivo à imigração.

Os imigrantes italianos fundaram a colônia de Santa Felicidade, atualmente um agradável bairro na zona norte de Curitiba, repleto de restaurantes italianos, lojas e vinícolas.

A Festa da Uva e a Festa de São Cristóvão são exemplos da influência italiana nas atividades culturais de Curitiba.

Árabes

Os árabes que chegaram a Curitiba eram provenientes da Síria e do Líbano.

  • É importante lembrar que não só existem árabes muçulmanos. No Líbano, a população árabe também pode ser cristão. Ambas as correntes religiosas estiveram presentes em Curitiba.

Os pioneiros chegaram entre 1920 e 1930. Ou seja, já faz quase 100 anos que temos árabes na capital paranaense. A maior parte dos imigrantes árabes, entretanto, chegou ao Brasil após a II Guerra Mundial.

A imigração foi espontânea e não financiada como no caso dos poloneses e italianos. Vinham em pequenos grupos, se instalavam e quando possuíam melhores condições de vida, traziam os conterrâneos mais próximos.

Mesquita Imam Ali ibn Abi Talib, Curitiba
Mesquita Imam Ali ibn Abi Talib

Diferentemente dos italianos e poloneses, os árabes dedicavam-se especialmente ao comércio. Fixaram-se, principalmente, na região central de Curitiba.

Dois monumentos rendem homenagens à imigração árabe.

A Mesquita Imam Ali ibn Abi Talib foi construída em 1972, na região central de Curitiba. É belíssima e vale a visita! Um aspecto positivo da mesquita é que ela é utilizada tanto por muçulmanos xiitas quanto sunitas.

O projeto arquitetônico foi de um cristão de origem árabe, o Sr. Kamal David Curi.

  • Mas, há um retrocesso. A comunidade sunita de Curitiba desde 2014 passou a rezar de forma separada na mesquita e pretende construir uma nova mesquita na região de Santa Felicidade voltada somente para a sua vertente do Islamismo.

Além disso, nem tudo são flores para os muçulmanos no Brasil e mesmo em Curitiba. A Jornalista Marcela Milano vestiu-se com o Niqab, uma vestimenta muçulmana que só deixa os olhos de fora, e saiu pelas ruas de Curitiba. No caminho, ouviu um grande número de baboseiras e insultos proferidos pelos locais. Saiba mais, clique aqui.

Memorial Árabe, Curitiba
Memorial Árabe, Curitiba

Outro monumento em homenagem aos árabes é o Memorial Árabe, localizado ao lado do Passeio Público.

O Memorial Árabe “possui uma área de aproximadamente 140 m² em estilo mourisco, conta com abóbada, colunas, arcos e vitrais, em forma de cubo. Situa-se sobre um espelho d’água. Abriga um café, uma biblioteca com capacidade para 10 mil volumes e uma pinacoteca, ambas com obras de autores árabes.” (fonte: wikipedia)

Ucranianos

No Paraná, os imigrantes ucranianos começaram a chegar a partir de 1895. Curitiba e Prudentópolis foram alguns dos principais destinos da imigração. Atualmente, vivem na cidade em torno de 33 mil ucranianos ou descendentes.

Em Curitiba, duas são as construções que homenageiam a imigração ucraniana: o Memorial Ucraniano e a Praça da Ucrânia.

O memorial ucraniano está localizado no belo Parque Tingui.

  • “Inaugurado em 1995, o local tem como principal atração um museu que imita uma igreja. Trata-se de uma réplica da primeira igreja ucraniana construída em território brasileiro, a de São Miguel Arcanjo, no município paranaense de Mallet. Ao lado da igreja, há um quiosque onde é possível comprar lanches, sorvetes e também vários elementos da cultura ucraniana, como as pêssankas e bordados típicos.” (fonte: Entreverbos).

Por sua vez, a Praça da Ucrânia está localizada no bairro Bigorrilho, onde se encontra a Estátua do famoso poeta Tarás Chevtchenko (fonte: Entreverbos).

Alemães

Os imigrantes alemães também marcaram a sua presença em Curitiba. Muitos casarões do bairro de São Francisco foram construídos por alemães.

O chamado Bosque Alemão rende as devidas homenagens à imigração germânica. Foi construído em 1996 e abrange uma área de 38.000 m².

Judeus

Os primeiros judeus chegaram a Curitiba no final do século XIX, originários especialmente da Galícia Austríaca, junto com imigrantes não judeus provenientes daquela região. Em 1917, foi fundado o Centro Israelita do Paraná, um espaço voltado para cultivar a fé judaica. Atualmente, a comunidade judaica abrange aproximadamente 1000 famílias.

2. Um dos melhores aeroportos do país

O Aeroporto Internacional Afonso Pena (CWB), que serve a cidade de Curitiba, está localizado no município de São José dos Pinhais, a 18 km do centro da capital.

Aeroporto Internacional Afonso Pena, Curitiba
Aeroporto de Curitiba

Nos últimos três anos, foi considerado o melhor aeroporto do país, conforme pesquisa realizada com os usuários do transporte aéreo pelo antigo Ministério dos Transportes.

  • “O Afonso Pena foi avaliado em 37 indicadores e teve notas acima da média em 31 deles, com destaque para facilidade de desembarque no meio-fio, tempo de fila, confiabilidade, cordialidade e prestatividade da inspeção de segurança; qualidade da sinalização do aeroporto; oferta e qualidade das informações sobre voos; disponibilidade de tomadas, sanitários e assentos; limpeza geral e de banheiros; sensação de segurança e confortos térmico e acústico” (fonte: Paraná Portal).

O que eu mais aprecio no aeroporto é o conforto. As áreas de check-in e as salas de embarque são amplas, não havendo aquela “muvuca” presente em cada um dos aeroportos de São Paulo e Brasília, por exemplo.

3. Uma cidade limpa, bonita e arrumada

Mesmo na região central, Curitiba é uma cidade limpa, bonita e arrumada. Não encontrei papéis jogados nas ruas, bitucas de cigarro ou outros lixos que as pessoas costumam jogar nas nossas grandes cidades.

Obra de Arte nas ruas de Curitiba
Obra de Arte nas ruas de Curitiba

Além disso, é muito agradável caminhar pela cidade observando as suas construções, as obras de arte expostas, as pessoas nas ruas e os eventos culturais.

4. Uma cidade viva

Região central de Curitiba
Região central de Curitiba

Especialmente nos finais de semana, Curitiba está repleta de pessoas pelos seus parques e pela região central da cidade. Diferentemente do que acontece em outras capitais brasileiras, em que as pessoas se concentram em ambientes fechados (shoppings centers), em Curitiba elas vão para a rua, mesmo no clima frio. Além disso, vários eventos e festas ocorrem na região central e nos parques da cidade.

ParCão, ao lado do Museu Oscar Niemeyer, Curitiba
ParCão

Aos domingos, por exemplo, forma-se o ParCão, um “parque informal” ao lado do Museu Oscar Niemeyer onde os moradores levam os seus cães para tomar sol e aproveitam para fazer um piquenique.

5. Belíssimos Parques

Curitiba é repleta de parques bonitos e bem cuidados. Uma excelente opção para quem quer caminhar e relaxar nos finais de semana. A entrada é gratuita. Há paradas do Ônibus Turismo de Curitiba na maioria dos parques.

Parque Tanguá

O Parque Tanguá é considerado um dos mais bonitos e está localizado na região norte de Curitiba. Foi inaugurado em 1996 no local onde havia duas pedreiras, que atualmente se encontram desativadas. Abrange uma área de incríveis 235 mil m².

Parque Tanguá, Curitiba
Cascata Artificial no Parque Tanguá

O que mais chama a atenção no local é a cascata artificial de mais de 60 metros. Além disso, o parque tem um belíssimo mirante, dois lagos, um túnel de 45 metros que liga as duas pedreiras e uma pista de caminhada. Tudo excepcionalmente bem cuidado.

Parque Tanguá, Curitiba
Edifício principal no Parque Tanguá

Na parte inferior do parque tem um bar-restaurante, onde aproveitei para tomar uma cerveja, apreciando a queda d’água.

O parque Tanguá é um dos locais preferidos dos Curitibanos para apreciar o por do sol.

Parque Tingui

O parque Tingui é outro belíssimo parque de Curitiba com impressionantes 380 mil m² de área. Está localizado na Zona Norte às margens do Rio Barigui. Foi inaugurado em 1994.

Parque Tingui, Curitiba
Parque Tingui

No local, encontra-se o Memorial Ucraniano. O parque recebeu esse nome em homenagem aos Índios Tingui que habitavam a região antes da chegada dos portugueses.

Bosque João Paulo II

Como falei anteriormente, o Bosque do Papa é um parque criado em homenagem à imigração polonesa em Curitiba, na região do centro cívico, ao lado do Museu Oscar Niemeyer.

Jardim Botânico

É o cartão-postal de Curitiba. Foi inaugurado em 1991, inspirado nos jardins franceses, que estendem um tapete de flores, logo na entrada, para os seus visitantes.

O que mais chama a atenção no local é a estufa, uma belíssima estrutura metálica com 3 abóbodas, que abriga diferentes espécies de plantas. Na parte da frente da estufa, você encontra os belos jardins geométricos.

Jardim Botânico de Curitiba
Jardim Botânico

A poucos metros dali, encontra-se o Jardim das Sensações, um percurso de 200 metros, onde o visitante pode percorrer de olhos vendados e é estimulado a apreciar as diversas plantas com os seus outros sentidos: olfato e tato.

Passeio Público

O passeio público é o parque mais antigo de Curitiba, inaugurado em 1886. O local foi drenado e se transformou no principal parque da região central da cidade. Contempla importantes espécies da flora e da fauna brasileiras.

Passeio Público, Curitiba
Passeio Público

O local é bonito, mas infelizmente está mal conservado e, à noite, é mal frequentado (prostitutas e usuários de droga).

6. Santa Felicidade

Santa Felicidade é um dos mais famosos bairros de Curitiba. Logo na entrada, um portal recebe os visitantes. Localizado a 7 km do centro, Santa Felicidade ainda preserva a cultura dos imigrantes italianos.

  • A região era a antiga Colônia Santa Felicidade, formada por núcleos coloniais de imigrantes, principalmente, italianos. A ocupação ocorreu de forma mais intensa a partis de 1878, por imigrantes vindos das regiões de Veneto e Trento, no norte da Itália. Os italianos dedicaram-se inicialmente à produção de queijos, vinhos e hortigranjeiros. Parte das terras foi doada por Dona Felicidade Borges aos imigrantes italianos. Dona Felicidade também doou seu nome ao bairro. (Fonte: Curitiba-parana.net)
Vinícola Durigan, Santa Felicidade, Curitiba
Vinícola Durigan, Santa Felicidade

Santa Felicidade é famosa pelos seus restaurantes, pelas suas lojas de artesanato e de móveis, bem como pelas suas vinícolas, dentre as quais, a Vinícola Durigan. Se você quiser comprar doces, vinhos ou queijos, seu lugar é ali.

Dentre os restaurantes, destacam-se o Madalosso e o Dom Antônio.

Uma das mais tradicionais festas do bairro é a Festa do Frango, Polenta e Vinho, que acontece geralmente em julho no Bosque São Cristovão.

7. Bons Restaurantes

Se você aprecia gastronomia sofisticada, não deixe de visitar Curitiba. A cidade oferece ótimas experiências gastronômicas, nas mais diversas cozinhas.

Preparando um prato, Restaurante Poco Tapas, Curitiba
Preparando o prato com maçarico, Restaurante Poco Tapas

Dentre os restaurantes curitibanos, indico os seguintes: Poco Tapas, Barolo Trattoria, Famiglia Fadanelli e Mangiare Felice.

  • O Poco Tapas, localizado no bairro Batel, oferece um menu degustação com tapas preparadas com utilização da gastronomia molecular. Além disso, o menu contempla algumas sobremesas divertidas como a Pipoca “Bafo do Dragão”. Vamos escrever um post sobre nossa experiência no Poco Tapas.
  • Barolo Trattoria é um restaurante italiano localizado bem avaliado também localizado em Batel.
  • Famiglia Fadanelli é uma ótima cantina italiana localizada em Santa Felicidade.
  • Mangiare Felice é uma cantina italiana localizada em Batel.

Os restaurantes italianos não oferecem somente massas, mas também peixes, carnes, frangos e outras opções.

8. Uber barato

O centro de Curitiba pode ser muito bem explorado a pé. Nas regiões mais afastadas, recomendo utilizar o Uber, o Taxi ou o Ônibus Turismo. O sistema de transporte público também é muito bom, especialmente, as linhas do chamado Ligeirinho.

Linha Turismo, Curitiba
Linha Turismo

Ademais, notei que os preços do Uber são bem razoáveis. A maioria dos trajetos custa até R$ 20.

9. Museus

Curitiba dispõe de mais de 70 museus. São museus de arte, história ou especializados.

Dentre os museus, destaca-se o Museu Oscar Niemeyer (MON), um museu de arte localizado no centro cívico. O museu é composto por dois prédios: o prédio principal, que é composto por três pisos, e uma torre, que é uma impressionante construção conhecida como “Olho”. Ambos foram projetados pelo famoso arquiteto.

Museu Oscar Niemeyer - O Olho, Curitiba
Museu Oscar Niemeyer – O Olho

O MON abriga aproximadamente 7 mil obras nas áreas de artes visuais, arquitetura e design. É considerado o maior museu de arte da América Latina, com um espaço de cerca de 35 mil metros quadrados de área construída e mais de 17 mil metros quadrados de área para exposições.

Por sua vez, no piso térreo do prédio principal, na parte aberta ao público, é comum serem realizados concertos e outros eventos culturais.

Motivos para visitar Curitiba

Enfim, esses são os motivos pelos quais eu recomendo fazer turismo em Curitiba, nossa cidade modelo. Se você tiver outras razões também para visitar essa metrópole do sol, conte-nos nos comentários.

Apaixonado por viagens e por fotografia. Começou a descobrir o mundo há 10 anos e já visitou 71 países. Gosta de caminhar a esmo pelas cidades mundo afora, observando as pessoas, as comidas, as construções e a arquitetura. É formado em Engenharia e Direito.

Escreva seu Comentário

Pin It