Fazia muito tempo que queria provar a culinária molecular do restaurante Poco Tapas em Curitiba. Não me lembro de como fiquei sabendo desse restaurante, mas tinha a ideia fixa de conhecê-lo na minha próxima visita à capital paranaense.

Sobre a Culinária Molecular

A termo “culinária molecular” surgiu em 1990 e teve seu ápice no início dos anos 2000, quando então virou uma febre no Brasil e no mundo. O epicentro dessa nova técnica culinária foi a região da Catalunha, na Espanha, sendo um dos seus principais divulgadores o Chef Ferran Adrian, responsável pelo restaurante El Bulli (fechado em 2011). Outro nome que se destaca nessa área é o do Chef Heston Blumenthal que lidera o estrelado restaurante The Fat Duck, na Inglaterra.

Hoje, no Brasil, existem poucos restaurantes dedicados à culinária molecular, mas muitos estabelecimentos renomados incluem essa técnica em seus pratos para proporcionarem refeições únicas e divertidas para seus clientes.

A gastronomia molecular consiste em utilizar transformações físico-químicas nos ingredientes para alterar a forma e textura da comida, sem interferir no seu sabor. Entre as técnicas mais utilizadas estão:

  • a gelificação,  principalmente com o agar-agar, uma substância que não altera o sabor do alimento e pode criar, por exemplo, espaguetes de shoyo;
  • a esferificação que promete a criação de “caviares” (esferas que explodem na boca) dos mais diferentes produtos;
  • a aerificação, que permite, por exemplo, a criação de espumas de azeite e
  • a utilização de nitrogênio líquido para criar aquela fumacinha divertida saindo dos pratos.

A ideia é provocar uma explosão de sabor ao mudar a textura, forma e apresentação geral dos alimentos com os quais estamos acostumados.

Na minha última visita a Curitiba, consegui visitar o restaurante Poco Tapas. Confira a seguir como foi a nossa experiência gastronômica!



Restaurante Poco Tapas

Interior do Restaurante Poco Tapas, Batel, Curitiba
Interior do Restaurante Poco Tapas

Localizado na Av. Vicente Machado, 2786, no bairro Batel, o restaurante comandado pelo Chef Fabio Mattos, foi inaugurado em 2012 e serve, de segunda a sábado a partir das 19hs, o famoso menu degustação com 13 pratos que utilizam a culinária molecular em suas criações.

A casa possui uma decoração intimista com uma iluminação fraca que garante uma certa privacidade. Não havia música ambiente e o tom das conversas nas mesas era bastante baixo, o que é agradável para um restaurante.

Por possuir apenas o menu degustação (não há a la carte), o serviço é bem rápido, sendo iniciado logo que você chega. O tempo entre um prato e outro também é curto.

O Chef vem à mesa para explicar cada item que está sendo servido. Entretanto, me pareceu um pouco decorado e impessoal. Os garçons são educados e profissionais. Ficamos no restaurante em torno de uma hora e meia.

Vale ressaltar que os pratos são pequenos. É uma degustação! Mas, terminei o jantar satisfeita com a quantidade de comida servida.

Menu degustação

Conforme falei anteriormente, o menu degustação é uma sequência de 13 pratos, sendo 8 salgados e 5 doces. Importante ressaltar que os pratos mudam todas as semanas, porém os carros chefes como, por exemplo, o churrasquinho coreano e a pipoca do dragão, estão sempre presentes.

Com relação às bebidas, você pode optar por água, refrigerante e algumas opções de bebidas moleculares. Além disso, há uma carta de vinhos.

Caipirinha Molecular, Restaurante Poco Tapas, Batel, Curitiba
Caipirinha Molecular, Restaurante Poco Tapas

Experimentei a caipirinha molecular. Fiquei um pouco frustrada. Apesar de ter fotos, imaginava algo servido em um copo, talvez com esferas de cachaças, mas algo realmente para beber. Me foi servida uma colherzinha com cachaça esferificada, pó de limão e açúcar verde. Diferente! Mas achei muito forte o sabor do limão e nada refrescante.

1. Entrada

Pão de Feijoada com Molho Pesto, Restaurante Poco Tapas, Curitiba
Pão de Feijoada com Molho Pesto

De entrada, recebemos um pão de feijoada acompanhado de molho pesto. Achei o pão macio e bem saboroso.

2. Clam Chowder

Clam Chowder, Restaurante Poco Tapas, Curitiba
Clam Chowder, Restaurante Poco Tapas

Clam Chowder é uma sopa norte-americana feita de vôngoles defumados, batatas, espuma de bacon e alguns caviares moleculares (não me lembro o sabor). Você mistura tudo e se delicia com o resultado.

3. Tomate verde frito

Tomate Verde Frito, Restaurante Poco Tapas, Curitiba
Tomate Verde Frito, Restaurante Poco Tapas

O terceiro prato tem uma base de tomate verde frito e é servido com vinagrete de vinho, redução de balsâmico e azeite de oliva em pó. É bem temperado e a base de tomate é crocante. Gostei bastante!

4. Feijoada molecular servida em marmita

Feijoada Molecular servida em Marmita, Restaurante Poco Tapas, Curitiba
Feijoada Molecular servida em Marmita

Servida numa charmosa marmitinha, mas que dificulta um pouco cortar os alimentos, a feijoada molecular é composta por um arroz desidratado, que vira uma base em forma de casquinha crocante, uma pasta de feijão, couve, ovo frito e torresmo em pó. Vem acompanhada de uma cachaça gelificada. O prato em si estava delicioso. A cachaça, achei sem graça e sem sabor!



5. Siri

Siri, Restaurante Poco Tapas, Curitiba
Siri

O prato é uma carne de siri selada na chapa e servida com pesto de rúcula e capim-limão. Por cima, uma refrescante espuma de abacate e uma torradinha de milho. É bem saboroso! Acompanha um marshmallow de pimenta.

O chef avisa que a pimenta é bem forte, e é mesmo! Apenas encostei a língua e ela ficou quase adormecida. Portanto, cuidado!

6. Sorbet de limão

Sorbet de Limão, Restaurante Poco Tapas, Curitiba
Sorbet de Limão

Para limpar o paladar, é servido um sorbet de limão. Achei mais bonito que gostoso! Trata-se de uma esfera de sorbet com uma fumacinha saindo de dentro. Você deve quebrar a esfera e comer o sorbet com gel de vodka e maçã verde.

7. Vaca atolada

O prato (foto em destaque) é composto por uma espuma quente de aipim cremoso, costela e cheiro verde gelificado. O chef finaliza o prato com um maçarico na própria mesa. Adorei! Comeria mais de um!

8. Panceta de porco

Panceta de Porco, Restaurante Poco Tapas, Curitiba
Panceta de Porco

A panceta de porco, cozida em coca-cola e uísque Jack Daniels, é servida com uma cebola crocante, purê de mandioquinha e caramelo de tomate. A panceta, juntamente com a vaca atolada e a feijoada, foram os meus pratos preferidos.

O prato veio acompanhado por azeitona preta em pó (deliciosa!) e um espaguete de rabanete, mas este achei sem graça.



9. Bulgogi Koreano

Bulgogi Koreano, Restaurante Poco Tapas, Curitiba
Bulgogi Koreano

O churrasquinho coreano, composto por finas lascas de miolo do Prime Rib e marinado com tempero oriental, é servido em uma panela de pedra quente a mais de 300°C, que termina de assar na própria mesa. Acompanha 2 bolinhas de arroz oriental (tipicamente sem tempero) e shoyu “solidificado” (gostei também!).

Churrasquinho Coreano, Restaurante Poco Tapas, Curitiba
Churrasquinho Coreano

10-12. Tábua de sobremesas

Tábua de Sobremesas, Restaurante Poco Tapas, Curitiba
Tábua de Sobremesas: cheesecake de doce de leite, fudge e pudim (da esquerda para direita)

São servidas 3 sobremesas diferentes na mesma tábua:

  • Pudim de whisky Jack Daniels: um pudim escuro com um gosto muito forte de whisky. Não gostei!
  • Fudge de chocolate com caramelo de alecrim em pó: para quem gosta de sobremesas bem doces, como eu, o fudge estava delicioso. Contrastando com o salgado do caramelo de alecrim, foi o ponto alto das sobremesas, junto com a Pipoca do Dragão.
  • Espuma de cheesecake de doce de leite em massa crocante de canela: sabor delicado com uma gostosa combinação da textura da espuma e da massinha de canela.

13. Pipoca do dragão

Pipoca do Dragão, Restaurante Poco Tapas, Curitiba
Pipoca do Dragão

A pipoca do dragão é uma pipoca de caramelo, prensada, desidratada e congelada com nitrogênio liquido. Além de ser doce e crocante, surpreende pela fumacinha que sai da sua boca e nariz enquanto você mastiga a iguaria. Daí vem o nome “Dragão”.



Valeu a pena comer no Poco Tapas?

Realizar sonhos sempre vale a pena!

O restaurante Poco Tapas tem ambiente agradável, atendimento profissional, comida saborosa e com alguns aspectos surpreendentes. Entretanto, não é um restaurante que fiquei com vontade de voltar. Uma experiência é suficiente!

O valor não é tão em conta (R$ 140,00 por pessoa sem bebidas e sem o serviço) e, apesar de ter pratos bem gostosos, o conjunto não é inesquecível. De qualquer forma, se você nunca comeu em um restaurante molecular, sugiro experimentar o Poco Tapas em Curitiba.

>>