Petrópolis, na região serrana do estado do Rio de Janeiro, é conhecida como Cidade Imperial ou “Cidade de Pedro”. Com um clima ameno, foi a localidade escolhida por D. Pedro II para a construção de seu palácio de verão, inaugurado em 1847, tornando-se a capital de facto do Brasil Imperial por mais de 40 verões.

Petrópolis também é conhecida pelos imigrantes que trouxeram consigo uma rica cultura, os seus festivais e a sua gastronomia. Os principais povos foram os alemães e os portugueses, oriundos do Arquipélago dos Açores. Mas a eles se juntaram os italianos, franceses, ingleses e libaneses.

Se você pretende visitar Petrópolis, confira 12 dicas para tornar a sua viagem ainda mais incrível.

1. Hospede-se no Centro Histórico

Construção no Centro Histórico de Petrópolis
Construção no Centro Histórico de Petrópolis

A maior parte das atrações turísticas encontra-se no centro histórico de Petrópolis.  É lá que você pode apreciar os belíssimos monumentos e as construções que remontam à época do Império.

Quando me refiro ao centro de Petrópolis, estou falando da área urbana nos arredores dos rios canalizados (p. ex. Rio Piabanha), margeada por vias como a Rua do Imperador, a Rua da Imperatriz, a Avenida Koeler, a Avenida Roberto Silveira e a Rua Padre Siqueira.

Hospedando-se no centro histórico, você pode conhecer (quase) tudo a pé e respirar um pouco da nossa história. No centro, você também encontra boas opções de bares e restaurantes.


Leia também:


2. Quantos dias ficar em Petrópolis?

Se você pretende visitar apenas a cidade de Petrópolis, recomendo ficar 1 ou 2 dias, no máximo. É o prazo suficiente para conhecer as principais atrações. Se você pretende visitar também Itaipava, acrescente um dia ao seu roteiro.

3. Qual é a melhor época para visitar Petrópolis?

Clima em Petrópolis, Rio de Janeiro
Clima em Petrópolis/RJ

Na minha opinião, a melhor época para visitar Petrópolis vai de maio a agosto. Nessa época, o clima é mais seco e o inverno não é assim tão rigoroso. Conforme você pode observar no gráfico acima, nesses meses, as temperaturas mínimas médias caem para 12 a 14°C. É frio, mas nem tanto!

O mais preocupante é viajar para Petrópolis com chuva, notadamente no verão. Uma das coisas mais agradáveis de se fazer na cidade é caminhar pelo centro histórico, apreciar os parques e os casarões do século XIX. Com chuva, isso fica mais difícil. No verão, corre-se, ainda, o risco de enchentes e deslizamentos de terra (especialmente nos morros).

Em janeiro de 2011, esse fortes chuvas atingiram os municípios da região serrana do RJ, provocando enchentes e deslizamentos de terra, gerando 905 mortes e milhares de desabrigados. Teresópolis foi o município mais afetado, mas Petrópolis também sofreu bastante com esse evento (Leia aqui).

Importante mencionar que, no inverno, acontecem diversos festivais em Petrópolis, tais como:

  • o Bauernfest, voltado à promoção da cultura alemã. É semelhante à Oktoberfest, mas é um evento de menor porte.
  • o Festival de Inverno, promovido pelo SESC, que acontece no Palácio Quitandinha, com espetáculos de música, teatro, dança, circo e artes visuais.

Obviamente, se você quiser visitar o Natal Imperial, festival em que a cidade recebe iluminação especial, deverá ir em dezembro, mas é bom ficar ciente que, essa época, é uma das que mais chove em Petrópolis.

4. Visite o Museu Imperial

Museu Imperial, Petrópolis
Museu Imperial, Petrópolis

O Museu Imperial é, sem dúvida, a principal atração turística de Petrópolis. Está situado no antigo e belíssimo palácio de verão de D. Pedro II, onde o Imperador costumava permanecer e despachar nos meses mais quentes do ano, recebendo, também, representantes diplomáticos de outros países.

Trata-se do principal acervo do país relativo ao império brasileiro (Segundo Reinado) com cerca de 300 mil itens museológicos, arquivísticos e bibliográficos. Infelizmente, não é possível tirar fotos dentro do palácio, apenas na área externa e no Pavilhão das Viaturas.

A visitação é feita de terça a sábado, das 10 às 16hs. Durante a pandemia, é necessário prévio agendamento por telefone.

  • Tel. (24) 2233-0313 | (24) 2233-0345, disponíveis para atendimento de segunda a sexta, das 9h às 17h (exceto feriados).

4. Visite o Palácio Quitandinha

Palácio Quitandinha, Petrópolis
Palácio Quitandinha, Petrópolis

O Palácio Quitandinha é imperdível. Localizado no bairro de mesmo nome, começou a ser construído em 1941 para ser o maior hotel cassino da América Latina, tendo sido inaugurado em 12 de fevereiro de 1944. São 50 mil m2, 440 apartamentos e 13 grandes salões. Recebeu, na sua época áurea, estrelas e personagens como Greta Garbo, Carmen Miranda, Walt Disney, Getúlio Vargas e Evita Perón.

Nas dependências do Palácio, aconteceram eventos importantes para a história, tais como, a assinatura da declaração de guerra dos países americanos ao Eixo, durante a Segunda Guerra Mundial.

Em 1946, os jogos foram proibidos no Brasil e o Quitandinha, a partir da década de 60 começou a ter dificuldades para se manter. Em 1963, tornou-se um condomínio de luxo e, desde 2007 a área social do condomínio, que inclui os belíssimos salões, é administrada pelo SESC/RJ.

É possível visitar essa área social e a experiência vale muito à pena. A beleza do lugar é impressionante. Como gostaria de ter me hospedado lá, no passado!

As visitas guiadas custam R$ 20,00 (inteira) e as visitas livres custam R$ 10,00 (inteira). A unidade está aberta de terça a domingo, incluindo feriados, das 9h às 18h. Para saber mais, clique aqui.

Em frente ao hotel há um lago com o formato do mapa do Brasil. Para atrair mais turistas, foi trazida areia da praia de Copacabana, para montar uma praia artificial em frente ao hotel.

5. Leia sobre a época do Brasil Imperial

Mausoléu Imperial, Catedral São Pedro de Alcântara, Petrópolis
Mausoléu Imperial na Catedral São Pedro de Alcântara

O Império do Brasil durou longos 67 anos (1822-1889), mas são poucas as construções, símbolos ou museus que preservam a memória deste período histórico. Essa realidade é ainda mais perceptível se você mora fora do estado do Rio de Janeiro.

Petrópolis é uma exceção à regra. Visitar Petrópolis é, assim, uma oportunidade de mergulhar na história imperial, começando pelo antigo Palácio de Verão de D. Pedro II.

Mas, para isso, é importante ler sobre esse período, notadamente se você não está fazendo uma visita guiada. Assim, você torna a sua experiência muito mais rica. As coisas vão fazer muito mais sentido na sua viagem.


Leia também:


Uma obra que recomendo é a 1889, do jornalista Laurentino Gomes. Apesar de tratar dos eventos que levaram à Proclamação da República, o escritor fala bastante sobre o período imperial.  Trata-se de um livro de fácil leitura, com muitas referências a locais no Rio de Janeiro e em Petrópolis.

Há também várias outras obras tratando sobre o Império e sobre D. Pedro II. Basta pesquisar em sua livraria preferida. Se você não gosta de ler, pode assistir documentários sobre essa época. Só não deixe de fazê-lo antes de visitar a cidade.

Recomendo, ainda, o perfil @tanahistoria do Instagram/TikTok, em que o jornalista Thiago Gomide conta vários casos anedóticos da história do Rio de Janeiro e de Petrópolis, sempre associando-os com as construções de época.

6. Contemple as praças, os casarões e os canais

Catedral São Pedro de Alcântara, Petrópolis
Catedral São Pedro de Alcântara, Petrópolis

Na minha opinião, uma das coisas mais agradáveis de Petrópolis é caminhar a esmo pelo centro histórico apreciando os canais, os casarões e suas praças.

Já mencionamos que no centro há vários rios canalizados, margeados por importantes vias como a Rua do Imperador, a Rua da Imperatriz e a Avenida Koeler.

Em vários pontos, há pontes para pedestres e são excelentes pontos para registrar as fotos da cidade. São esses canais que conferem um charme especial à Cidade Imperial. Um ponto interessante para fotografar fica na Avenida Koeler, tendo como fundo a Catedral São Pedro de Alcântara (foto acima).

Praça da Liberdade, Petrópolis
Praça da Liberdade, Petrópolis

Às margens desses canais, encontram-se os casarões do Século XIX e, nos extremos, há pontos turísticos interessantes como a bela Praça da Liberdade e a Praça 14 Bis, onde há uma réplica da famosa aeronave de Santos Dumont.

7. Leia as placas informativas

Placa Informativa, Palácio Rio Negro, Petrópolis
Placa Informativa, Palácio Rio Negro

Um ponto positivo de Petrópolis é que a maior parte das edificações do centro histórico, sejam elas casarões públicos ou privados, contém placas com informações sobre a história da construção e dos seus ex-proprietários. As informações estão em português e inglês.

Ao apreciar as belíssimas construções, não deixe de conhecer também um pouquinho sobre elas.

8. Aprecie o clima ameno e a gastronomia

Aproveite a sua visita a Petrópolis para curtir o clima ameno e o ar de montanha. Afinal, foram esses os motivos que levaram à criação da cidade no século XIX. Há um contraste muito grande entre o clima da cidade do Rio de Janeiro e o da região serrana.

Antepasto, Burrata com tomate cereja e manjericão, Di Farina, Petrópolis
Antepasto – Burrata com tomate cereja e manjericã

Uma das formas de aproveitar esse clima é tomar um bom vinho e comer uma boa massa. A nossa recomendação é a Di Farina Pizzaria, avaliada com nota 4,5/5 no Tripadvisor, e localizada no centro histórico (há outras boas pizzarias, mas ficam fora do centro). Tem uma boa seleção de antepastos, pizzas, vinhos (inclusive de meia-garrafa) e sobremesas. Os preços são razoáveis.

Provamos um antepasto de burrata (R$ 38,90) e uma bruscheta. Estavam tão bem servidos que abdicamos do prato principal. Adoramos!

9. Prove os chocolates de Petrópolis

Chocolates Katz, Petrópolis
Chocolates Katz, Petrópolis

Além de um bom vinho e de uma boa massa, Petrópolis convida os visitantes a provar os seus deliciosos chocolates. São várias lojas de chocolates produzidos em Petrópolis para você conhecer, dentre os quais, o Chalé do Chocolate e a Katz Chocolates, situadas no centro histórico, nas proximidades da Praça da Liberdade. Fora do centro, você encontra a Chez Bonbon e a Fábrica de Chocolates Patrone.

Trufas e Bombons, Chocolates Katz, Petrópolis
Trufas e Bombons, Chocolates Katz

Algumas fábricas foram criadas por imigrantes:

  • Petrópolis: 12 dicas para conhecer a 'Cidade Imperial' 1A Patrone foi fundada em 1913 por um imigrante Português, na cidade do Rio de Janeiro, e, em 1946, foi transferida para Petrópolis em busca do ar puro da montanha e o clima adequado à fabricação de chocolates e seus derivados, onde está até os dias de hoje.
  • Por sua vez, a Katz nasceu como fruto da amizade entre a alemã Anne Katz e austríaca Ruth Bucki. Juntas, em 1953 elas fundaram o Chocolates Katz, trazendo as mais deliciosas receitas de suas terras natais e reproduzindo-as de maneira artesanal.

10. Visite as Cervejarias

Cervejaria Bohemia, Petrópolis
Cervejaria Bohemia, Petrópolis

Petrópolis é também famosa pelas cervejarias. A primeira cervejaria do Brasil foi fundada na cidade em 1853 e até hoje mantem a tradição cervejeira, inclusive com feiras e festivais dedicados à cerveja.

Atualmente, Petrópolis conta com várias fábricas: de grande porte, microcervejarias ou brewpubs. Dentre elas, as marcas mais famosas são a Bohemia, a Imperial, e a Itaipava.

As cervejarias costumam oferecer tours na linha de produção e degustações.

Confira, a seguir, algumas cervejarias que oferecem tours:

Na região central, entretanto, você só encontra a Bohemia, alguns pubs e e brewhouses. A maior parte das fábricas fica um pouco afastada. De qualquer forma, se você aprecia uma boa cerveja, não deixe de visitar.

11. Lojas de Roupas na Rua Teresa

Loja na Rua Teresa, Petrópolis
Loja na Rua Teresa, Petrópolis

A Rua Teresa é um polo de moda na região serrana do estado do Rio de Janeiro. Com cerca de 2km, a rua contempla mais de 1.000 lojas de vestuário dos mais variados tipos (calçados, moda infantil, moda feminina, casacos, jeans, lojas de meias, tecidos, etc). Além das lojas, a rua Teresa oferece pequenas galerias, cafés e mercadinhos. Famosa entre os cariocas, é muito comum encontrar por lá moradores da capital fluminense fazendo compras nos finais de semana.

Se você já visitou os pontos turísticos de Petrópolis, vale a pena dar uma passadinha pela Rua Teresa.

É importante pesquisar os preços antes de comprar. Algumas lojas cobram preços de shopping center. Procure as liquidações, mas fique atento à qualidade dos produtos.

A Rua Teresa começa na esquina das ruas Aureliano Coutino e Visconde de Bom Retiro. O acesso a pé é bem fácil a partir da Rua do Imperador, no centro histórico. As lojas funcionam até às 18hs.

  • Confira aqui a relação de lojas da Rua Teresa.

12. Cuidado na Rodovia BR-040

Se você pretende alugar um carro e ir para Petrópolis a partir da capital, provavelmente, pegará a rodovia BR-040, que liga Brasília ao Rio de Janeiro.

Na serra, as pistas se dividem. A pista com sentido a Petrópolis é bem afastada da pista com sentido ao Rio de Janeiro. Se você precisar parar em algum lugar no caminho, fique bem atento para não passar do seu ponto. Isso porque o retorno só poderá ser feito depois da entrada de Petrópolis.

Ademais, a pista de subida é bem sinuosa. Reduza a velocidade! Os motoristas costumam ultrapassar, em muito, os limites permitidos e é muito comum ver acidentes nessa rodovia. Recentemente, vimos um veículo capotar na nossa frente. Por sorte, ninguém se feriu.


Já foi para Petrópolis? Tem alguma dica? Conte-nos aqui nos comentários!

Apaixonado por viagens e por fotografia. Começou a descobrir o mundo há 10 anos e já visitou 71 países. Gosta de caminhar a esmo pelas cidades mundo afora, observando as pessoas, as comidas, as construções e a arquitetura. É formado em Engenharia e Direito.

4 Comments

  1. ANDRÉ XAVIER TEIXEIRA Reply

    FALTOU MENCIONAR A VISITA DA CASA DE SANTOS DUMONT. IMPERDÍVEL TAMBÉM.

    • Luciana Mardegan Reply

      Oi André, obrigada pela lembrança. Haviamos pensado em coloca-la no post sobre as atrações de Petrópolis, mas vou adicionar aqui também!

Escreva seu Comentário

Pin It