Quem acha que o cerrado brasileiro não tem atrações turísticas, é porque não conhece Pirenópolis, a “Princesinha do Cerrado”.

Localizada no interior de Goiás, a cerca de 2 horas de carro a partir de Brasília ou de Goiânia/GO, “Piri” é um destino turístico conhecido pela sua belíssima arquitetura colonial, pelas suas agradáveis ruas de pedra e suas lojinhas de artesanato. Entretanto, o que mais atrai os turistas para Pirenópolis são as suas cachoeiras: deliciosas e geladas.

São 82 cachoeiras localizadas nos arredores de Pirenópolis, porém pouco mais de 35 delas estão abertas à visitação pública. Algumas ficam num mesmo complexo ou propriedade.

Venha conhecer todas as opções e decida quais cachoeiras você visitará quando vier a Pirenópolis.


Sobre Pirenópolis, leia também:

Onde ficar em Pirenópolis? Pousadas Urbanas e Campestres


1.Cachoeira das Araras (e do Renascer)

Cachoeira das Araras, Pirenópolis
Cachoeira das Araras, Pirenópolis

A Cachoeira das Araras é uma excelente opção de passeio para quem visita Pirenópolis.  Apesar de não ser muito famosa entre os turistas, é uma atração de fácil acesso, com boa infraestrutura, preço razoável e ideal para crianças, adultos ou idosos.

Em verdade, trata-se de um complexo com duas cachoeiras e vários poços agradáveis para banho. As duas cachoeiras são a Cachoeira das Araras propriamente dita e a Cachoeira Renascer.

A Cachoeira das Araras é bonita, ampla e agradável. O ambiente é familiar. São dois os poços de banho: um inferior e outro superior.

O poço inferior tem uma área rasa e uma área funda. A profundidade máxima é de 7 metros. Se você souber nadar, pode chegar até a queda d’água e obter uma deliciosa massagem gratuita.

Cachoeira Renascer, Pirenópolis, Goiás
Cachoeira Renascer

Além da Cachoeira das Araras, o ingresso ainda lhe permite visitar a Cachoeira Renascer. Se você gosta de aventuras, uma boa caminhada, e uma deliciosa recompensa ao final, não deixe de visitá-la. Essa cachoeira e seu cânions tornaram-se uma das minhas atrações preferidas em Pirenópolis.

Leia todos os detalhes sobre essa cachoeira aqui!

2.Reserva do Abade (3 cachoeiras)

Cachoeira do Abade, Pirenópolis
Cachoeira do Abade, Pirenópolis

A Cachoeira do Abade é uma das cachoeiras mais famosas de Pirenópolis. Faz parte do complexo conhecido como Reserva do Abade. A propriedade possui 3 cachoeiras, 2 trilhas e alguns mirantes, além de restaurante, loja de conveniência, banheiros e redario.

Além de toda a beleza natural da reserva, seu diferencial está na preocupação com a acessibilidade. Quem está acostumado a visitar as cachoeiras do cerrado sabe que, na maioria das vezes, chegar até as atrações mais exuberantes exige percorrer trilhas longas e nem sempre fáceis. Entretanto, o trajeto até a Cachoeira do Abade, a principal atração, é curto (400 metros), todo pavimentando com pedras de Pirenópolis e sem necessidade de atravessar mata nativa.

Ponte Pensil, Reserva do Abade, Pirenópolis
Ponte Pensil, Reserva do Abade

As cachoeiras do Landi e do Sossego são acessíveis por uma trilha de 2,4km, que termina com a divertida travessia da Ponte Pensil.

Quer saber os detalhes desse passeio? Leia o relato completo aqui

3. Salto do Corumbá (4 cachoeiras)

Cachoeira do Salto, Salto do Corumbá, Corumbá de Goiás
Cachoeira do Salto, Salto do Corumbá

O Salto do Corumbá é o maior parque natural de Goiás e uma excelente opção de passeio para quem visita Pirenópolis. Também é uma opção de day trip para quem está em Brasília ou em Goiânia. A atração é imperdível e recebeu o certificado de excelência do Tripadvisor por 5 anos consecutivos! O acesso ao parque é ótimo e feito totalmente por rodovias pavimentadas.

A Cachoeira do Salto é a principal cachoeira do complexo e também seu cartão postal. A trilha, de 1 km de extensão para chegar até a cachoeira, é fácil, porém apresenta pequenos trechos mais íngremes.

No final da trilha há uma bifurcação. Para a direita, você segue para a cachoeira.  Para a esquerda, você segue para o mirante. A vista do mirante é de tirar o fôlego. A Cachoeira do Salto, com seus 50 metros de altura, apresenta-se com toda a sua beleza e exuberância. O mirante é um ponto fantástico para as fotos.

Cachoeira do Ouro, Salto do Corumbá, Corumbá de Goiás
Cachoeira do Ouro, Salto do Corumbá

O complexo ainda possui 3 outras cachoeiras:

  • Cachoeira da Gruta: uma trilha fácil o leva até uma cachoeira com um poço de 5 metros, extremamente gelado (bate pouco sol no local)
  • Cachoeira do Ouro: você pode apreciar a belíssima cachoeira logo que passa os restaurantes, porém, para acessá-la, é necessário fazer uma trilha
  • Cachoeira do Rasgão: para chegar à cachoeira é necessário fazer uma trilha bem difícil com pedras lisas e escorregadias.

Além das cachoeiras, o local conta também com um parque aquático, fazendinha, prainha e diversas atividades pagas como passeio a cavalo, tirolesa e boia cross.

Não deixe de ler o nosso relato completo sobre todas as atrações do Salto do Corumbá.

4. Cachoeira Paraíso (3 cachoeiras)

Piscina Natural na Cachoeira do Paraíso
Piscina Natural na Cachoeira do Paraíso

Localizada a 30km de Pirenópolis na saída de Goianésia (o caminho é o mesmo para a Cachoeira do Rosário e dos Dragões), a Cachoeira do Paraíso é um complexo onde toda a família pode relaxar. São 3 cachoeiras, 8 piscinas naturais e trilhas que variam de 100m a 2.300m. Todas as trilhas são bem sinalizadas e calçadas. Em algumas, as pedras são irregulares e um pouco escorregadias, portanto, cuidado!

As cachoeiras ficam abertas todos os dias das 9 às 17h e a entrada custa R$ 30,00. Além das belezas naturais, o complexo tem um restaurante que, aos finais de semana serve um buffet por quilo (nos demais dias, serviço a la carte), um hotel  e uma área de camping. Ah, tem também uma piscina aquecida de borda infinita, um redario e uma capela.

A cachoeira com maior queda é a do Lobo, com 11 metros e um poço de 70m2 com 1,5m de profundidade. A trilha, de uns 2km, não é muito difícil mas tem um pouco de subida que cansa os menos preparados. A cachoeira é rodeada por um paredão de pedras e seu poço tem água gelada (como sempre!) e cristalina. É possível fazer rapel no paredão!

Uma trilha de 2300m,  em meio à vegetação do cerrado lhe dará acesso á Cachoeira da Laje.  Embora não tenha um poço para se banhar, o cenário como um todo, é um espetáculo, e faz a caminhada valer a pena! Por ter um baixo volume de água, nas épocas de seca ela “desaparece”. Essa cachoeira é a de mais difícil acesso, com algumas subidas íngremes e cansativas.

5. Cachoeiras Bonsucesso (6 cachoeiras)

Cachoeira Lagoa Azul, Cachoeiras Bonsucesso
Cachoeira Lagoa Azul a 1.200 metros da recepção

As Cachoeiras da Fazenda Bonsucesso são próximas do centro histórico de Pirenópolis (5 km). Não são as melhores cachoeiras de Piri, mas a fazenda é de fácil acesso, não sendo necessário percorrer longos trechos de estrada de chão, como ocorre com outras cachoeiras. A saída é pelo bairro Alto do Carmo, atravessando a ponte sobre o Rio das Almas.

Na recepção, você recebe um mapa da trilha com a indicação das 6 cachoeiras da propriedade:

  • Cachoeira Açude,
  • Cachoeira da Pedreira,
  • Cachoeira Bonsucesso,
  • Cachoeira Lagoa Azul,
  • Cachoeira do Landi e
  • Cachoeira do Palmito

A Cachoeira do Açude é bem próxima à entrada da fazenda e possui um poço de 1,5 m de profundidade. O caminho para as demais atração não é tão difícil, mas não é recomendado para pessoas com dificuldade de mobilidade. Para acessar as 2 últimas cachoeiras, é necessário subir boas escadas, num trajeto bem íngreme. Tem que ter fôlego!

A maioria das pessoas fica na última cachoeira: a Cachoeira Lagoa Azul, a 1200m da recepção e com um poço de 5 metros mas nós, particularmente, gostamos mais da Cachoeira Bonsucesso, um pouco mais vazia, com um visual mais bonito e um poço mais profundo (7 metros).

Para chegar às Cachoeiras do Landi e do Palmito, você deve fazer um desvio à D, em frente à pedreira desativada. Mas, atenção, a Cachoeira do Landi não tem poço para banho!

Recomendamos que você chegue cedo. Em nossa ultima visita, quando fazíamos a trilha de retorno, encontramos muitos turistas, mas muitos mesmo, chegando para passar a tarde na cachoeira com gigantescas caixas de bebida.

6. Cachoeira do Rosário

O que fazer em Pirenópolis: Cachoeira do Rosário
Cachoeira do Rosário, Pirenópolis

A Cachoeira do Rosário fica na mesma estrada para a Cachoeira dos Dragões, a 35 km do centro, dos quais, 25 km são de estrada asfaltada.

A Cachoeira do Rosário possui duas piscinas naturais e um cachoeira. As piscinas  ficam a 150 metros da casa de pedra. O acesso é feito por  uma escada curta mas que pode ser difícil para pessoas de mais idade. A cachoeira tem a maior queda livre de Pirenópolis, com 42 metros. Sugerimos que você desça pela longa escadaria e retorne pela Trilha do Cânion, com 1,5 km porém bem menos íngreme.

O valor da entrada é 45 reais para quem quer apenas visitar as cachoeiras. Aos finais de semana, existe a opção de um ingresso que inclui almoço e petiscos durante todo o dia por 90 reais. Trata-se da típica culinária goiana, servida à vontade no sistema self-service. Durante a semana, você pode experimentar a Panelinha Goiana.

A cachoeira está aberta todos os dias das 9 às 17h e o almoço das 14 às 16h. Recomenda-se fazer reserva pois existe um limite de 70 pessoas por dia no local.

7. Cachoeiras dos Dragões (8 cachoeiras)

Cachoeira Pérola do Dragão, Cachoeiras dos Dragões, Pirenópolis
Cachoeira Pérola do Dragão, Cachoeiras dos Dragões (créditos: Pirenopolis.tur.br/CC-BY-4.0)

As Cachoeiras dos Dragões são as mais distantes de Pirenópolis. Ficam a 40 km do centro histórico, porém são as mais apreciadas pelos amantes do ecoturismo. É considerada a segunda melhor atração de Pirenópolis com Certificado de Excelência pelo Tripadvisor.

A partir do centro, você deve pegar a GO-338 (25 km asfaltados) e depois seguir as placas para a Cachoeira do Rosário ou para as Cachoeiras dos Dragões. São 15 km de estrada de terra. É uma estrada ruim e você passa inclusive por riachos. Não recomendo ir com carros baixos!

A trilha tem 4,4 km de extensão e você passará por 8 cachoeiras de águas cristalinas:

  • Portão do dragão,
  • Dragão azul,
  • Pérola do dragão,
  • Nuvens do dragão,
  • Dragão verdadeiro,
  • Dragão voador,
  • Dragão do céu e
  • Rei dos dragões

O tempo médio do percurso é de 4 horas. Não é uma trilha muito fácil. É rústica, com subidas e descidas, e pode ficar escorregadia quando molhada.

As cachoeiras ficam no Mosteiro Zen Budista Eisho-Ji.  Em razão disso, há algumas restrições aos visitantes, tais como: não fumar ou não trazer bebidas alcoólicas.

Há pouca infraestrutura. Recentemente, foram disponibilizados lanches, biscoitos e bebidas no sistema “pegue e pague”, onde cada um deixa a contribuição que julgar adequada.

A entrada custa 50 reais por pessoa e o horário de funcionamento é das 9 às 17hs, de quarta a domingo. Entretanto, a última entrada ocorre às 13hs.

Para saber mais, confira nosso post Cachoeiras dos Dragões.

8. Fazenda Vagafogo

Embora a Fazenda Vagafogo tenha uma pequena cachoeira e um poço singelo, ela não se encontra nessa lista por isso. Trata-se de uma reserva ecológica particular com 44 hectares de natureza exuberante dedicada a práticas sustentáveis e ao ecoturismo.

A fazenda é famosa pelo seu brunch que é servido das 9h às 15h30 e conta com 45 produtos elaborados a partir de frutas do cerrado cultivadas no local e derivados do leite produzidos na fazenda. Não experimentamos as famosas delícias, pois achamos um pouco caro: R$ 65 por pessoa.

Na fazenda, também é possível realizar esportes de aventura: arvorismo, pendulo, rapel e tirolesa. O valor é de R$ 150 para as 4 atividades que duram em torno de 45 minutos cada uma. É necessário agendamento.

A trilha que leva à cachoeira é bastante tranquila. Tem apenas 1.530 metros de chão batido e algumas partes com calçamento em madeira. É possível parar nos bancos e mesas estrategicamente dispersos pela caminho para apreciar toda a beleza da fauna e flora local. Para fazer a trilha é necessário desembolsar mais R$ 25.

A Fazenda Vagafogo está bem perto do centro de Pirenópolis. São  apenas 6 km da Igreja matriz, sendo 5 km em estrada de terra bem conservada.

Para saber mais, consulte o site da atração.

9. Cachoeira Usina Velha

A Cachoeira Usina Velha é uma das cachoeiras mais próximas do centro de Pirenópolis. São apenas 3,5 km pela Rodovia Parque dos Pirineus.

Uma trilha calçada de apenas 100 metros e uma pequena escada dão acesso às diversas pequenas queda d´água, sendo que a maior delas tem apenas 10 metros.

Os poços são bem rasinhos, sendo ideais para crianças. Pela pouca profundidade, é também um dos poços mais quentinhos da região (lembre-se que as águas das cachoeiras de Pirenópolis costumam ser bem geladas).

Possui um amplo estacionamento e uma pequena lanchonete que vende salgadinhos a um preço alto. O valor da entrada é de R$ 30,00 por pessoa.

Por estar muito próxima ao centro, fica cheia durante os finais de semana e, muitas vezes, encontramos lixo espalhado pelo local. Infelizmente, o ser humano ainda tem muito a aprender quando se trata de respeitar a natureza e ao próximo. Não é a nossa escolha em Piri!

10. Cachoeira Meia Lua

A Cachoeira Meia Lua fica na mesma direção da Cachoeira Usina Velha, sendo apenas 2,5 km mais distante. Ambas compartilham a mesma entrada.

São mais de 200 metros de corredeiras, diversas quedas d’água e ótimos poços para o banho, sendo alguns mais rasos e outros bem profundos. Há uns 200 metros de descida por uma escada calçada, portanto, não é recomendável para crianças ou idosos.

Por estar bem próxima ao centro de Pirenópolis (uns 7 km da igreja matriz), também fica bastante lotada nos finais de semana. Sua longa descida por escada, entretanto, acaba espantando alguns turistas que preferem ficar na Cachoeira Usina Velha. O valor do ingresso é R$ 35,00 por pessoa.

Para saber mais, consulte a página da atração.

11. Reserva Ecológica Vargem Grande (3 cachoeiras)

Cachoeira do Lázaro, Pirenópolis
Cachoeira do Lázaro, Reserva Vargem Grande (créditos: Pirenopolis.tur.br/CC-BY-4.0)

A Reserva Ecológica Vargem Grande fica na mesma estrada que leva à Reserva do Abade. São 11 km desde o centro histórico pela estrada dos Pirineus, sendo que 7 Km são de estrada de terra, mal conservada e com uma pequena serrinha.

A primeira cachoeira é a de Santa Maria, que tem uma trilha fácil, calçada, de aproximadamente 10 min. É considerada a melhor cachoeira de Pirenópolis para quem vai com criança ou idosos.  A cachoeira tem uma queda de 4 metros e um poço raso que vai afundando, bem gostoso para o banho. O que mais chama a atenção nela é a sua prainha de areia clara que faz a alegria das crianças. Chegue cedo para garantir um sombrinha.

A segunda cachoeira é a Véu de Noiva. São 1.300 metros de trilha um pouco cansativa com algumas subidas e descidas, embora toda calçada com pedras Pirenópolis. A cachoeira tem um poço amplo e raso. É possível chegar até à queda d’água.

A ultima cachoeira é a do Lazaro. É necessário percorrer uma trilha de 30 minutos com uma dificuldade media, pois possui bastante subida, descida e escadas. O esforço, entretanto, compensa! Chegamos a um poço pequeno, porém profundo. Ótimo local para contemplação.

O complexo oferece uma pequena lanchonete, banheiros e estacionamento. O valor da entrada é de R$ 45,00.

Para saber mais, consulte o site da atração.

12. Cachoeira Sonrisal

Pocinho do Sonrisal, Parque dos Pirineus, Pirenópolis
Pocinho do Sonrisal, Parque dos Pirineus (créditos: Pirenopolis.tur.br/CC-BY-4.0)

A Cachoeira do Sonrisal é uma das poucas atrações gratuitas em Pirenópolis. Fica na entrada do Parque Estadual dos Pireneus. Trata-se, na verdade, de uma sucessão de 6 piscinas naturais formadas por pequenas quedas d’água em um declive. A trilha para percorrer os 6 poços é curta, porém bastante acidentada.

O grande problema dessa cachoeira é o acesso. Não tem explicação. É possível achá-la através do Google Maps, mas, ouvi 2 relatos de perrengues de turistas que passaram da entrada, desceram um declive, e depois precisaram ser guinchados para subir de volta.

Caso queira arriscar, quando entrar no parque, a trilha estará uns 200 metros depois de um portal de madeira. Pegue a estreita estradinha de terra, vire à direita e depois à esquerda (logo antes de uma cancela e uma casinha na estrada). Não desça o declive à frente! Boa sorte!

13. Parque do Coqueiro (2 cachoeiras)

Cachoeira do Coqueiro, Parque do Coqueiro, Pirenópolis
Cachoeira do Coqueiro (Reprodução: site do Parque do Coqueiro).

Também pouco conhecido pelos turistas, o Parque do Coqueiro fica a 13km da cidade, na rodovia BR-070. O trajeto compreende um bom trecho de terra batida, mas em boas condições.

O parque dispõe de 2 cachoeiras, bem próximas da recepção (em torno de uns 200m). O acesso é todo calçado. Também é possível fazer algumas trilhas na mata nativa. O caminho e as escadas também são todas pavimentadas.

A Cachoeira do Coqueiro é ideal para crianças e idosos. Possui uma pequena prainha de areias claras e um poço raso, que atinge, na maior profundidade, 1,80m.

A Cachoeira da Garganta é toda rodeada por pedras e vegetação. Possui uma queda pequena mas que proporciona uma boa hidromassagem natural. Seu poço é ótimo para banho e tem uma profundidade de 7 metros. Na propriedade ainda existem diversos outros poços para banho.

O valor do ingresso é R$ 40,00. Cartões de crédito não são aceitos por falta de internet.

É possível almoçar no local, mas o restaurante é pequeno e os pratos demoram um pouco para ficarem prontos. Peça com antecedência.

Para saber mais, confira o site da atração.

15. Santuário Praia Grande

Pouco conhecido pelos turistas que vão a Pirenópolis, o Santuário Praia Grande  é uma atração de 55 hectares que fica a 22 km do centro da cidade.

A principal atração do Balneário Praia Grande é uma deliciosa praia de rio, com areia branquinha e águas cristalinas. Também é possível realizar uma trilha de 1200m em meio a mata nativa e para e se refrescar em alguns poços pelo caminho.

O valor do ingresso é R$25,00. O local possui banheiros e um pequeno restaurante.

Médica, 42, apaixonada por pessoas, sabores e novas culturas.

2 Comments

  1. nilza maria da silva cerqueira brito Reply

    Não entendi por que elencaram o Salto de Corumba a Pirenópolis e não a cidade de Corumbá!

    • Luciana Mardegan Reply

      Oi Nilza, tudo bem? Pirenópolis é uma das cidade mais conhecida aqui no cerrado pelas suas cachoeiras e ecoturismo. Geralmente as pessoas procuram por ela quando estão realizando suas pesquisas. O Salto de Corumbá, apesar de ficar Corumbá, é uma atração lindíssima e bastante perto de Pirenópolis e não gostaríamos que as pessoas que procuram por Piri, deixassem de visitá-la. Bjos e boas viagens!

Escreva seu Comentário

Pin It