A Chapada dos Veadeiros é uma imensa área de cerrado na região nordeste de Goiás. Abrange, grosso modo, a área delimitada pelos municípios de Alto Paraíso de Goiás, Cavalcante e pela vila de São Jorge. O nome vem do antigo povoado Veadeiros (atual Alto Paraíso de Goiás), onde moravam os caçadores e cães veadeiros, que caçavam veados.

Em 1961, foi criado o Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros, numa área de 240 mil hectares, abrangendo apenas uma parte do que hoje chamamos de Chapada dos Veadeiros.

Conhecida pelas suas belíssimas cachoeiras, trilhas, cânions, formações rochosas e pelo seu clima místico, a Chapada dos Veadeiros atrai amantes do ecoturismo provenientes de todo o país e do exterior.  Sua infraestrutura turística ainda deixa um pouco a desejar, mas, ainda assim, é uma excelente opção para quem quer fugir do caos urbano e contemplar a natureza.

Leia também:

Neste artigo, você confere as principais dicas para tornar a sua viagem à Chapada dos Veadeiros uma experiência inesquecível. Confira!

1. A base para explorar a Chapada

Alto Paraíso de Goiás é a principal cidade da Chapada dos Veadeiros. Além de ser a mais próxima de Brasília (235 km), é a que oferece a melhor flexibilidade para visitar as atrações.

Na região, é a cidade que conta com a melhor infraestrutura de apoio ao viajante. São várias opções de hotéis, pousadas, hostels, bem como, posto de gasolina, oficinas mecânicas, agências bancárias (Itaú e Banco do Brasil), rodoviária, lojas, farmácias, hospital, supermercados, bares e restaurantes. Em razão disso tudo, é também a melhor opção para quem viaja com crianças.

Povoado de São Jorge, Chapada dos Veadeiros
Povoado de São Jorge

Muita gente prefere ficar no povoado de São Jorge, a 36 km de Alto Paraíso de Goiás. O ambiente é rústico e alternativo, preferido por mochileiros e “bichos-grilos”. As suas ruas são de terra e, se chover, pode ser difícil caminhar ou andar de carro por lá. As pousadas costumam lotar mais rapidamente e as melhores costumam ser bem caras. A vantagem é a proximidade com o Parque Nacional e com atrações como o Vale da Lua.

Cachoeira Santa Bárbara, Cavalcante, Chapada dos Veadeiros
Cachoeira Santa Bárbara, Cavalcante

Cavalcante, por sua vez, fica a 90 km de Alto Paraíso de Goiás. A cidade também não tem muita estrutura. São poucas as opções de restaurantes ou supermercados. Em razão da distância, o lugar é indicado para quem quer explorar, tão somente, as cachoeiras nos limites do município, tais como, a Cachoeira Santa Bárbara, a Cachoeira do Prata e a Cachoeira São Bartolomeu.

2. Como chegar?

Basicamente, há duas formas de chegar à Chapada dos Veadeiros: de carro ou de ônibus.

De Carro

Para visitar a Chapada dos Veadeiros, recomendo ir de carro, de preferência, usando um veículo que não seja muito baixo, para que você possa trafegar pelas estradas de terra e aproveitar as principais atrações por conta própria. Sem carro, você terá que pedir carona ou contratar serviços de alguma agência, o que pode sair mais caro.

O Aeroporto Internacional de Brasília (BSB) é o aeroporto com voos comerciais mais próximo da Chapada dos Veadeiros. Há um aeroporto em Alto Paraíso de Goiás, mas não é servido por linhas aéreas regulares.

De Brasília, você pode alugar um carro e pegar a estrada. São 237 km até Alto Paraíso de Goiás/GO. Sem paradas, são aproximadamente 3 horas de viagem.

Caso venha de Goiânia/GO, são 424 km de distância, levando 5 horas e meia sem paradas.

Trajeto

O trajeto para a Chapada dos Veadeiros é muito fácil. Não tem como errar. Basta pegar a BR-060 (continuação da Estrada Parque Indústria e Abastecimento – EPIA) no sentido Norte e, após passar por Planaltina, pegar a BR-010, cruzando a pista à esquerda. Confira o percurso no mapa, clique aqui.

De ônibus

A empresa Real Expresso dispõe de ônibus entre Brasília/DF e Alto Paraíso de Goiás/GO. Os ônibus partem da Rodoviária Interestadual, que fica ao lado da estação Shopping do metrô. O trajeto de ônibus leva em torno de 3 horas e meia. O preço da passagem é de R$ 49*.



Booking.com

3. Onde comer?

Como falei, Alto Paraíso de Goiás é a cidade que oferece mais opções de restaurantes, bares, e lanchonetes.

São Jorge também tem boas opções, mas num ambiente mais rústico. Os três restaurantes que mais se destacam lá são: Santo Cerrado Risoteria Café (italiano), Restaurante Buritis (comida brasileira) e Lua de São Jorge (comida italiana). Os três possuem Certificado de Excelência do Tripadvisor.

Cavalcante tem menos opções. Se você ficar em Cavalcante, a recomendação é jantar na própria pousada onde estiver hospedado. Se mesmo assim quiser sair à noite, a pizzaria Encanto da Pizza é uma opção bem avaliada pelos usuários do Tripadvisor.

  • Quando estive em Cavalcante, almocei no Restaurante da Rosa, que fica numa esquina na Av. Tiradentes. A refeição custa R$ 30 por pessoa com opções de carne, frango e peixe. A comida é bem servida, com vários acompanhamentos, mas a qualidade é só ok.
Picanha, Restaurante La Parrilla, Alto Paraíso de Goiás
Picanha, Restaurante La Parrilla

Em Alto Paraíso de Goiás, indico o restaurante uruguaio La Parrilla, que funciona apenas para o Jantar. Abre em torno das 18:30hs. A comida é simplesmente deliciosa. Uma das melhores picanhas que já provei, feita na brasa pelo dono uruguaio à sua frente e servida com batatas rústicas. Os vinhos são bem mais baratos que nos restaurantes em Brasília. Se você quiser uma cerveja, tem uma Norteña bem gelada. O ambiente é agradável e fica ainda melhor com as músicas do uruguaio Jorge Dexler. O atendimento é excepcional.

Por outro lado, uma grande decepção foi o Zu’s Bistrô, que é especializado em massas e risotos. Apesar de ter bons preços e avaliações no Tripadvisor, a qualidade deixou a desejar. Não gostei do risoto. O ambiente é bem simples, no quintal de uma casa.

4. Quanto tempo ficar? Quando ir?

É impossível, numa única viagem, aproveitar tudo o que a Chapada dos Veadeiros tem a oferecer. Portanto, espere voltar mais vezes à região.

Para cada viagem, recomendo ficar de 3 a 5 dias. Se ficar menos tempo, não poderá aproveitar razoavelmente o que a cidade tem a oferecer. Afinal, só de deslocamento levará, no mínimo, 3 horas a partir de Brasília (por trecho).

Evite os finais de semana prolongados, pois, as diárias ficam mais caras e as atrações mais lotadas. Às vezes, não tem como, né? Se puder, visite a Chapada durante a semana.

A Chapada dos Veadeiros tem, basicamente, duas estações climáticas: a seca, que vai de maio a outubro e a chuvosa, que vai de outubro a abril. O melhor período para visitar é na estação seca, pois, assim, além de aproveitar melhor as atrações, você evita trafegar por estradas barrentas e, nas cachoeiras, corre menos risco de pegar uma tomba d’água. Entretanto, em algumas poucas atrações, as cachoeiras ou poços de banho podem secar. É como é o caso da Cachoeiras Loquinhas.

5. Aprecie as paisagens naturais na estrada

A caminho da Chapada dos Veadeiros, especialmente no trajeto entre Alto Paraíso e a vila de São Jorge,  encante-se com a incrível paisagem natural na estrada, os belíssimos campos  do cerrado e os morros imponentes, envolvidos por um incrível céu azul. Apreciar o pôr do sol por ali também é uma experiência indescritível. Tudo isso de forma gratuita!

Jardim de Maytrea, Chapada dos Veadeiros
Jardim de Maytrea: entre Alto Paraíso de Goiás e a vila de São Jorge

Uma parada rápida, mas obrigatória, é no Jardim de Maytrea, no meio da GO-239. É um grande campo aberto com dois grandes morros nas laterais: o morro do Buracão e o morro da Baleia. Suba numa pedra e aproveite para tirar fotos de um dos principais cartões portais da Chapada dos Veadeiros.

6. ETs por todos os lados!

Alto Paraíso de Goiás está localizada no mesmo paralelo de Machu Pichu e sobre uma enorme placa de cristal de quartzo. Essas duas condições são responsáveis pela energia mística que emana da região. A cidade, além de estar protegida de qualquer profecia apocalíptica, possui, segundo alguns, águas curativas devido à “especial vibração molecular”.

Disco Voador no Centro de Alto Paraíso de Goiás, Chapada dos Veadeiros
Disco Voador no Centro de Alto Paraíso de Goiás

É bem possível que você encontre um disco voador na cidade, aliás, logo na entrada há um heliporto para disco voadores (foto de capa). Tenho certeza que até o mais cético dos nossos leitores encontrará um ET por lá! Eles estão por todas as partes: nas histórias dos moradores, nas ruas, nas estampas de camisetas e nas lojas de souvenirs.

Caso encontre algum, não se desespere. Dizem que, na maioria das vezes, eles vêm em missão de paz.

7. Lojas de Artesanato

Quer levar um ET para casa? Nas lojas de artesanato da Chapada isso é possível. Você pode escolher a cor, o tamanho e até o material. Tem para todos os gostos. Além disso, as diversas lojas espalhadas pela rua principal de Alto Paraíso de Goiás vendem cristais brutos ou em formato de joias (todos energizados, é claro), porta incenso, mandalas e filtros de sonhos, a maioria produzido por artesões locais.

Bonecos de ETs numa Loja, vila de São Jorge, Chapada dos Veadeiros
Bonecos de ETs numa Loja, vila de São Jorge

Pinturas, pequenas esculturas, trabalhos manuais em linha ou crochê também podem ser encontrados. Você com certeza vai encontrar algo que o agrade.

8. A Internet é ruim!

Algo que você deve ter em mente ao visitar a Chapada dos Veadeiros é que a qualidade da Internet (Wifi ou 3G/4G) é bem ruim, mesmo nas melhores pousadas ou hotéis. Em vários pontos das estradas que ligam Alto Paraíso de Goiás à vila de São Jorge ou a Cavalcante, não há sequer sinal de internet.

Portanto, procure utilizar o Google Maps no modo offline, baixando os mapas antecipadamente. Pesquise e marque os pontos de interesse no Google Maps antes de viajar.

Portanto, evite também levar compromissos de trabalho ou de estudo para terminar por lá.

9. O que fazer?

As principais atrações da Chapada dos Veadeiros estão relacionadas ao ecoturismo. São belíssimas cachoeiras, trilhas, cânions e formações rochosas. São muitas atrações. A  seguir relacionamos as principais atrações nas proximidades de Alto Paraíso de Goiás/GO, seus preços, distâncias e exigências.

a. Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros

  • A entrada fica próxima à vila de São Jorge. O trajeto é de 36 km de estrada de asfalto e de 1 km de estrada de terra.
  • A trilha, de 5km, tem grau de dificuldade média a difícil.
  • Preço: R$ 18 por pessoa e R$ 15 de estacionamento.
  • É necessário contratar guia credenciado para acompanhá-lo.
  • Depoimento de um turista: “Lugar maravilhoso, com vistas incríveis. Apesar das caminhadas árduas, vale a pena por conta das inúmeras cachoeiras e dos locais onde se pode tomar um bom banho.” (Vitor P, março/2020, Tripadvisor).
Cachoeira dos Saltos, Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros
Cachoeira dos Saltos, Parque Nacional (créditos: Renatoto / CC BY-SA 4.0)

b. Vale da Lua

  • Seguindo no sentido São Jorge, o trajeto é de 30 km de asfalto e de 4 km de terra.
  • A trilha, de apenas 600 metros, tem um grau de dificuldade médio.
  • Preço: R$ 20/pessoa.
  • Não é necessário contratar guia.
  • Depoimento de um turista: “Diferente de qualquer outra. Lugar muito lindo e exótico! O único problema é que, por ser próximo das cidades, durante a temporada, fica lotado de turistas .. Então a melhor coisa é sair Zero Hora para ser um dos primeiros a chegar e conseguir aproveitar de verdade!” (Diego NU, março/2020, Tripadvisor).
  • Para saber mais, clique aqui.
Vale da Lua, Chapada dos Veadeiros
Vale da Lua: formações rochosas que “lembram” a superfície lunar.

c. Catarata dos Couros

  • Seguindo no sentido Brasília, o trajeto é de 18 km de asfalto e de 35 km de terra.
  • A trilha, com 3000 metros, tem dificuldade média.
  • A entrada é gratuita.
  • É necessário contratar guia credenciado para acompanhá-lo. Além de  te levar para pontos em que você sozinho não chegaria, ele explica sobre a fauna local.
  • Depoimento de uma turista: “Surpreendente. Couros é aquele tipo de rolê que te coloca no seu lugar. Vc se sente pequeno perante a imensidão. Imponente. Passeio pra um dia todo. Vários locais de banho e contemplação. Quedas, poços, mirantes… completo.” (Monalisa C, março/2020, Tripadvisor).
Catarata dos Couros, Chapada dos Veadeiros
Catarata dos Couros (créditos: Emilia Abreu / CC BY-SA 3.0)

d. Cachoeiras Almecegas I e II

  • Localizadas na Fazenda São Bento.
  • Seguindo no sentido São Jorge, o trajeto é de 8 km de asfalto e de 5 km de terra.
  • A trilha, com 1.500 metros, possui dificuldade média.
  • Preço: R$ 50,00 para acesso às 3 cachoeiras (São Bento, Almécegas I e Almécegas II)
  • Não é necessário contratar guia.
  • Depoimento de um turista: “Cachoeira Maravilhosa. Fomos em uma época chuvosa e isso nos brindou com uma catarata monousuário da cachoeira. Trilha fácil embora íngreme e visual maravilhoso. No mesmo passeio da para ver outras duas cachoeiras e ainda degustar a deliciosa cerveja São Bento no bar dentro da propriedade!” (Katia Zacarias, março/2020, Tripadvisor).
Cachoeira Almécegas I, Chapada dos Veadeiros
Cachoeira Almécegas I (créditos: Bruno Lenharo / CC BY-SA 4.0)

e. Cachoeira dos Cristais

  • Sentido Cavalcante, o trajeto é de 5 km de asfalto e de 3 km de terra.
  • A trilha é de fácil acesso com apenas 400 metros de caminhada.
  • Preço: R$ 20,00.
  • Há estrutura de lanchonete no local.
  • Não é necessário contratar guia.
  • Depoimento de uma turista: “O lugar é agradável, mas não imperdível para quem busca cachoeiras impactantes. Composto de pequenas quedas, que facilita para desfrutar de locais mais reservados com menos aglomeração de gente na mesma cachoeira e também para quem está com crianças. Porém, a última queda, a mais ao fundo da trilha (de nível fácil) é a mais gostosa, para quem deseja uma cachoeira e poço para mergulhar.” (Marcelle, março/2020, Tripadvisor).

f. Cachoeira dos Macaquinho(s)

  • Sentido Brasília, o trajeto é de 13 km de asfalto e de 30 km de terra.
  • A trilha, com 1.800 metros, tem dificuldade média a difícil.
  • Preço: R$ 30,00.
  • É recomendável contratar guia, mas não é obrigatório.
  • Depoimento de um turista: “Passeio muito bacana. Para percorrer a trilha até o final é bem cansativo (nível de trilha médio/pesado). Pessoas com limitações físicas/maior idade não indico ir.  Muito massa os poços, de variados gostos. Da pra achar um que você goste. A cachoeira ao final da trilha é muito linda. No meio da trilha fica o local onde tem ‘nudismo’, mas, passei lá e não tinha nada (nesse poço onde rola o nudismo não da pra banhar). tem muitos poços que da pra fazer saltos. mergulhar e muitos pra ficar relaxando. Vale a pena. Passeio para o dia todo. Não precisa de guia” (Yuri, janeiro/2020, Tripadvisor).
Cachoeira dos Macaquinhos, Chapada dos Veadeiros
Cachoeira dos Macaquinhos (créditos: Vinicius Cunha / CC BY-SA 3.0)

g. Cachoeira Raizama

  • Sentido São Jorge, o trajeto é de 23 km de asfalto e de 16 km de terra.
  • A trilha, com 2.200 metros , tem grau de dificuldade médio.
  • Preço: R$ 20,00.
  • Não é necessário contratar guia.
  • Depoimento de um turista: “Vale a visita. Um local que resume bem o que é o Cerrado: subidas e descidas íngremes, locais maravilhosos. Fizemos a trilha no sentido contrário, portanto, ao invés de descermos, subimos. Mesmo assim, vale a visita. A entrada é de um grande palco com muitos instrumentos “em carcaças”, uma área gigante para shows e pouco utilizada. É no caminho para a Pedra da Baleia e, depois dessa caminhada, banhos de cachoeira, muitas fotos, visite – e coma deleitando-se – no Rancho do Valdomiro.” (Marcelo Siqueira G, fevereiro/2020, Tripadvisor).

h. Cachoeira Anjos e Arcanjos

  • Sentido Moinho, o trajeto é de 14 km de terra.
  • A trilha com  2.000 metros, tem dificuldade média a difícil.
  • Preço: R$ 15,00.
  • Não é necessário contratar guia.
  • Depoimento de uma turista: “Lindas Cachoeiras. As cachoeiras têm um acesso um pouco difícil, nível médio. Embora a trilha não seja longa, tem muita subida e muitas pedras altas, é uma trilha um pouco cansativa mas no final vale a pena. Cachoeira muito bonita com um excelente poço para nadar e local para se sentar ao sol apreciando a beleza das cachoeiras. Já fui mais de uma vez e [as cachoeiras] estão sempre mais vazias, tranquilas, local bem mais agradável do que as outras cachoeiras que ficam lotadas.” (Patrícia, junho/2019, Tripadvisor).

i. Sertão Zen

  • Próxima à cidade, o trajeto é de 2 km de terra.
  • A trilha é difícil e tem  8.000 metros.
  • Preço: R$ 20,00.
  • É necessário contratar guia credenciado.
  • Depoimento de uma turista: “Trilha maravilhosa. Estava com medo de ir para o sertão Zen devido a distância, mesmo amando trilhas, mas assim que chegamos para pesquisar com o guia, ele falou que é um prato cheio para quem ama caminhadas (meu caso rs). O lugar é um espetáculo. São 18 km (ida e volta), apesar da distância só apresenta um pouco de dificuldade no final (subir algumas pedras, mas nada demais). Pelo caminho, muitas plantas, vegetação peculiar, paisagens maravilhosas. Cachoeiras no final (está mais para um poço, para quem não sabe nadar como eu, excelente). Contrate um guia, pois é fácil de se perder por lá. Leve lanches também, um local totalmente isolado da civilização, paz total. Trilha pouco frequentada por turistas. Se estiver com medo da distância, vá assim mesmo! O local é apaixonante. Melhor rolê em Alto Paraíso.” (Verônica Leme, janeiro/2020, Tripadvisor).

j. Santuário Ecológico Vale Dourado

  • Sentido São Jorge, o trajeto é de 12 km de asfalto e de 8 km de terra.
  • A trilha de fácil. Possui atividade de Boia Cross.
  • Preço: R$ 30,00 (ingresso) + R$ 50,00 (Boia Cross).
  • Não é necessário contratar guia.
  • Depoimento de um turista: “Lindo e anfitriões simpáticos. O lugar realmente é lindo, vale a pena ir com a família, fácil acesso para as cachoeiras e praias. O casal que recebe os visitantes são tão simpáticos que dá vontade de ficar conversando com eles o dia todo. Apenas uma observação: o caminho de terra para carro, havia umas poças d’água que não facilitou muito para carro baixo como o nosso, mas atravessamos Ok.” (Ana H, janeiro/2020, Tripadvisor).
Boia Cross no Vale Dourado, Chapada dos Veadeiros
Boia Cross no Vale Dourado

k. Fazenda Veredas

  • Localizada a 5 km da Cidade de Cavalcante.
  • São 7 cachoeiras em um único lugar, sendo a mais famosa a Cachoeira Veredas, com uma queda de 90m de altura.
  • Preço: R$ 25,00
  • Leia aqui o relato da nossa amiga Lucinda sobre sua experiência nessa Fazenda!

10. Respeite as normas das atrações

Nas atrações da Chapada, o turista está sujeito a vários riscos de acidentes graves, que podem acarretar, até mesmo, a morte. Em razão disso, é extremamente importante que você respeite as normas de segurança locais. Por exemplo, caminhe apenas nas trilhas sinalizadas, não corte caminhos, evite tocar na vegetação e cuidado com as pedras escorregadias. Não se arrisque!

A Prefeitura de Alto Paraíso de Goiás alerta, a propósito, que o salvamento em locais naturais é muito difícil e que prevenir é o melhor caminho.

Contrate um guia sempre que for recomendável ou obrigatório. Ele tem o conhecimento e a experiência para te levar pelos melhores caminhos e orientá-lo sobre a possibilidade de fazer ou não o que você planejou.

Além das normas de segurança, é importante respeitar as normas ambientais.  Não deixe lixo. Não corte árvores ou retire flores, pedras e animais da natureza. Não utilize sabonete ou xampu nos rios. Não alimente os animais silvestres. Não faça fogueiras.

Por fim, respeite as normas de costumes. Na maioria dos lugares, o nudismo, por exemplo, é proibido. O naturismo é permitido em raríssimos lugares, tais como, na Cachoeira do Banho Pelado, no Vale dos Macaquinhos.

11. Tromba d’água

Você já deve ter visto reportagens mostrando o volume de água das cachoeiras que aumentou repentinamente, apavorando as pessoas que lá estavam. Isso é um fenômeno natural popularmente conhecido como Tromba d’água ou Cabeça d’água (há uma diferença entre esses termos, mas não convém aqui explicar), que ocorre devido a chuvas na cabeceira dos rios ou nas suas partes mais altas.

É um grande perigo para quem visita as cachoeiras da região da Chapada dos Veadeiros.

A força da água tem um grande poder destrutivo. Além de transbordar as margens dos rios, leva consigo tudo o que está pela frente, inclusive árvores, detritos e pessoas. Tudo isso em questão de segundos. A Tromba d’água pode ocorrer mesmo que não esteja chovendo na cachoeira naquele momento.

O visitante deve estar sempre atento a alguns sinais que podem indicar a chegada de uma tromba d’água, tais como, aumento repentino, ainda que pequeno, do volume de água; excesso de detritos como folhas e galhos; alterações na turbidez da água; e som alto e diferente vindo da parte alta do rio (fonte: Entre Trilhas e Aventuras). É importante também ficar atento à presença de nuvens densas na parte alta dos rios.

Diante desses sinais, saia imediatamente da água e siga para uma parte alta d até o fluxo do terreno até a água se normalizar. Avise as pessoas ao seu redor.

O fenômeno da “Tromba d’água” é mais comum na estação chuvosa (de outubro a abril), em especial, no final da tarde. Para saber como é uma tromba d’água, assista este vídeo.

12. Aproveite bem o dia

A Chapada dos Veadeiros é um destino turístico diurno. À noite, o máximo que vai encontrar são alguns bares e restaurantes com música ao vivo, mas isso você tem na sua cidade, não é?

Por isso, procure aproveitar bem o dia. Acorde cedo e siga logo para as cachoeiras, evitando filas e congestionamentos.

Vida noturna em Alto Paraíso de Goiás, Chapada dos Veadeiros
Vida noturna em Alto Paraíso de Goiás

Dá para fazer uma atração de manhã e outra à tarde. O ideal é fazer alguma trilha ou atividade mais intensa durante a manhã e, à tarde, depois do almoço, algo mais tranquilo.

É importante relembrar que, nos finais de semana e feriados, as principais atrações ficam lotadas, sendo comum ver filas de veículos na estrada. Em algumas atrações, há um horário-limite para entrada.

13. O que levar para as atrações?

Algo que não deve faltar na sua mochila são garrafas d’água. O clima do cerrado costuma ser muito seco e os dias ensolarados. É importante manter-se bem hidratado durante as trilhas até as cachoeiras. Boné, Chapéu e óculos-escuros são importantes também.

Leve consigo algum lanche leve (frutas e sanduíches), especialmente, se não pretender almoçar. Um saco de lixo também é bom para não deixar os seus resíduos no ambiente.

Para caminhar nas cachoeiras, eu particularmente gosto de usar sapatilhas aquáticas. Permitem que você caminhe na terra ou nas pedras com menos chance de escorregar ou de se machucar.  No final da tarde, poderá também encontrar muitos mosquitos, por isso, não esqueça de levar um repelente.

Muitas atrações não aceitam cartões de crédito. Você também terá que pagar o guia ou algo que vá comer por lá. Por isso, é importante sempre levar algum dinheiro. Lembre-se que são poucas agências bancárias na região. Há agências do Banco do Brasil e do Itaú em Alto Paraíso de Goiás e da Caixa Econômica Federal em Cavalcante.

Para registrar seus momentos, não deixe de levar a sua Câmera  e, se possível, uma Go Pro, para entrar nas cachoeiras.

Por fim, procure manter o tanque do seu carro sempre cheio. São poucos os postos de combustível disponíveis, apenas nas cidades de Alto Paraíso de Goiás e Cavalcante. Você não vai encontrar nenhum posto na estrada.

Espero que essas dicas sobre a Chapada dos Veadeiros lhe sejam úteis. Acabando a pandemia, é para lá que eu vou!


Apaixonado por viagens e por fotografia. Começou a descobrir o mundo há 10 anos e já visitou 71 países. Gosta de caminhar a esmo pelas cidades mundo afora, observando as pessoas, as comidas, as construções e a arquitetura. É formado em Engenharia e Direito.

Pin It