Santiago, no Chile, foi um desses destinos que visitamos por diversas vezes, em várias épocas do ano e realizando os mais variados roteiros. Com base nessa experiência, elaboramos uma série de perguntas e respostas (Q&A), sanando as principais dúvidas de quem pretende viajar para essa impressionante metrópole latino-americana. Confira!

As respostas a seguir refletem, obviamente, a opinião pessoal dos autores do blog.

Geral

1. Por que devo visitar Santiago?

Sobrevoando a Cordilheira dos Andes, Rumo a Santiago do Chile
Sobrevoando a Cordilheira dos Andes

São muitos os motivos pelos quais você deve visitar Santiago do Chile. O principal, na minha opinião, é poder apreciar a belíssima Cordilheira dos Andes, seja voando para Santiago [reserve um assento na janela], seja pelas janelas do seu próprio hotel. A belíssima vista das Cordilheiras também pode ser apreciada nos miradouros pela cidade, tais como, no Cerro San Cristóbal.

Para quem gosta de vinhos, Santiago também é um dos melhores destinos. Por lá, você também pode apreciar uma deliciosa gastronomia, inclusive, a cozinha ancestral.

A cidade é limpa, bonita, moderna e organizada, em especial, se comparada com as demais capitais latino-americanas. Passear pelos bairros de Bellavista e Las Condes é, por si só, uma experiência bem agradável.

Santiago também é um destino para quem gosta de esportes de inverno e não quer viajar para muito longe.

Por fim, não posso deixar de ressaltar a simpatia e o atendimento dos chilenos.

2. Quantos dias ficar em Santiago?

Recomendo ficar, pelo menos, 4 ou 5 dias em Santiago do Chile. É o prazo mínimo para conhecer o que a cidade tem a oferecer: seus parques, cerros, museus, miradouros e as vinícolas bem próximas. Se você quiser fazer day trips para fora de Santiago, incluindo os passeios para as estações de esqui, acrescente um dia para cada passeio que pretender fazer.

3. Santiago é uma cidade segura?

Em relação às grandes cidades brasileiras, Santiago é uma cidade segura. Mas, cabe aos turistas ter bom senso, evitando, por exemplo, sair com objetos de valor ou contar dinheiro em locais com grande circulação. Além disso, deve-se evitar locais ermos e sempre ter cuidado com os seus pertences (bolsas, mochilas, compras e malas).

Quando visitei a cidade pela primeira vez em 2009, podíamos andar tranquilamente pela cidade, mesmo pela região central, a qualquer hora do dia. Hoje, já não é mais assim. Furtos praticados por batedores de carteira são os crimes mais comuns, mas já há relatos também de assaltos.

Desde outubro de 2019, uma série de protestos violentos passaram a ocorrer no Chile, especialmente em Santiago, gerando confrontos entre as forças policiais e os manifestantes. O governo chegou a decretar estado de emergência e toque de recolher.  Na época mais crítica, voos foram suspensos e o transporte público parou de funcionar.

Permanece uma enorme insatisfação no Chile com a situação econômica e social. A situação se acalmou um pouco em 2020, entretanto, novos protestos podem irromper a qualquer momento, especialmente, em datas especiais, como 11 de setembro, no aniversário do golpe militar de Pinochet.  A recomendação para os turistas é uma só: afaste -se dos protestos!

4. Quais os principais golpes contra turistas em Santiago?

Um dos principais golpes (scams) aplicados aos turistas em Santiago é o dos Taxis Piratas. Esse golpe ocorre, por exemplo, no aeroporto de Santiago, mas também pode acontecer em determinados pontos turísticos (por ex. Cerro Santa Lúcia e no Cerro San Cristóbal). Funciona assim: alguém, aparentando ser funcionário do aeroporto, oferece um taxi , porém o leva a um taxi pirata. Normalmente, o valor cobrado acaba sendo  3 ou 4 vezes mais caro que uma corrida normal. Em casos mais graves, o taxista pode  levá-lo para um local isolado e te assaltar.

  • Costumo dizer que, como regra geral de cautela, o turista não deve aceitar nada que lhe é oferecido, ainda que o produto ou serviço seja do seu interesse.

No Aeroporto de Santiago, minha recomendação é que você busque os balcões de taxi oficiais (taxi desks), onde é possível deixar a corrida pré-paga ou solicite um transporte por aplicativo.

Um segundo golpe é o da doação de dinheiro para estudantes. Ocorre ao redor do Cerro Santa Lúcia. Eu mesmo acho que fui vítima deste golpe. Pessoas passando-se por estudantes abordam turistas estrangeiros que pretendem visitar o ponto turístico na região central de Santiago. Oferecem uma poesia ao turista e lhes pedem dinheiro para financiar os estudos. Dizem que o ensino universitário no Chile é pago e é caro, diferentemente do que ocorre no Brasil com as universidades gratuitas. Os “estudantes” obviamente são falsos e alguns deles são até muito velhos para tal.

Alguns desses golpistas são velhos conhecidos (p. ex. Edinson Castro Henríquez e Miguel García) e foram desmascarados pelo programa “En su propia trampa” do Canal 13 da TV Chilena. Confira aqui os episódios com legendas em espanhol (parte 1, parte 2 e parte 3).

Para evitar esse golpe,  não dê bola para as abordagens na rua, não responda às perguntas que lhe forem dirigidas, finja que não entendeu, etc. Essa recomendação vale também para outros destinos turísticos, especialmente, onde houver aglomeração de turistas.

Um terceiro golpe é o dos operadores ou agências de turismo desonestos. Esse golpe pode ocorrer em várias formas e por todo o Chile. Pode ser praticado por agências ou operadoras que já fecharam as portas, mas continuam a coletar dinheiro dos clientes. Os turistas acabam ficando sem o tour prometido ou recebem um serviço de baixa qualidade.

Para evitar esse golpe, a sugestão é sempre ler as avaliações da agência ou da operadora antes de contratar qualquer passeio. Outra sugestão é contratar passeios em sites confiáveis como o GetyourGuide.

Um último golpe que merece destaque é o dos punguistas (carteiristas ou batedores de carteira), que pode ocorrer nos locais onde há aglomeração de turistas, tanto em Santiago, quanto em outras cidades chilenas. Os golpistas geralmente atuam em grupos ou gangs.

Uma variante desse golpe é o do falso cocô de passarinho (fake bird poo). Um dos golpistas derruba de forma sorrateira algo parecido com um cocô de passarinho na sua roupa e outro simula vir ajudá-lo a limpar, mas acaba furtando sua carteira, bolsa ou outros pertences.

A principal dica é evitar sair com objetos de valor, passaporte ou muito dinheiro. Nas ruas, evite aglomerações e não deixe ninguém se aproximar para limpar a sua roupa ou para outros fins.

5. Santiago é uma cidade cara?

Entre os destinos turísticos sul-americanos, Santiago é um dos mais caros. Os preços dos serviços são comparáveis aos de São Paulo e do Rio de Janeiro. Para ficar em um hotel bom, por exemplo, você deve gastar em torno de 100 dólares a diária por pessoa. Para comer em um restaurante bom, você gasta entre 50 a 100 reais por prato.

Mas, obviamente, como toda cidade grande, há opções mais baratas de hotéis e restaurantes, mas também de qualidade inferior.

6. Que moeda levar para o Chile?

Nossa recomendação é levar dólares americanos (USD). A moeda em circulação no Chile é o peso chileno (CLP), mas a hospedagem, que é o item de despesa mais relevante na viagem, é cobrada em dólares americanos. Eventualmente, alguns passeios também são cobrados na moeda americana.

Não recomendo levar o real brasileiro (BRL). Só em último caso. Afinal, o real não é uma moeda conversível e, em razão disso, a taxa de câmbio será desvantajosa para você, seja nos estabelecimentos comerciais que eventualmente aceitem reais, seja nas casas de câmbio.

Pode ser conveniente levar do Brasil alguns pesos chilenos para não precisar fazer câmbio no aeroporto do Chile. Todos sabemos que o câmbio no aeroporto é sempre desvantajoso.

7. Onde trocar dinheiro em Santiago?

As melhores cotações que encontrei foram em lojas de câmbio situadas nas proximidades da Estação de Metrô Pedro de Valdivia, na esquina entre a Av. Providencia com a Av. Pedro de Valdivia.  São várias lojas; pesquise para ver qual a cotação mais vantajosa!

Evite as lojas de câmbio do aeroporto ou de shoppings centers, pois as taxas de câmbio são bem desvantajosas para o turista.

8. Quanto dinheiro levar para Santiago?

Se você já tiver pago a hospedagem, sugiro levar 100 dólares americanos por casal para cada dia que passar em Santiago. Ou seja, se o casal for passar 7 dias, leve US$ 700,00. Caso ainda não tenha pago a acomodação, acrescente a esse montante o valor do hotel.

Essa é apenas uma estimativa que leva em conta uma média de gastos com transporte, alimentação e ingressos. Você pode levar mais ou menos dinheiro dependendo de quão requintada for sua viagem ou dos tours que pretenda fazer por lá. Eventualmente, você pode pagar parte dos gastos com o cartão de crédito.

Lembre-se, apenas, que se for sair do Brasil com mais de R$ 10 mil ou equivalente em moeda estrangeira, você deverá fazer a declaração na Receita Federal do Brasil antes de embarcar.

9. Qual a melhor época para visitar Santiago? Vale a pena visitar Santiago no Inverno?

É possível visitar Santiago em qualquer época do ano. Entretanto, a minha recomendação é visitar Santiago em épocas de baixa temporada (de março a maio ou outubro a novembro), em que os preços estão mais em conta. Além disso, nesses meses o clima é mais ameno e agradável, permitindo que você aproveite melhor as vinícolas e a vida urbana.

Em julho,  é tudo muito mais lotado e caro. Por isso, só recomendo ir nessa época se você for efetivamente praticar os esportes de inverno. Mesmo assim, considere ir em agosto ou no início de setembro, meses em que você poderá pagar mais barato e não encontrar tantos turistas.

As estações do ano em Santiago são bem definidas. No verão, entre dezembro e março, o clima é mais seco e as temperaturas podem variar de 16°C até a 30°C (média de 23°C). O inverno, entre junho e setembro, é o período chuvoso, mas não chove tanto assim (entre 3 a 5 dias por mês). As temperaturas podem variar de 0°C a 16°C (média de 9°C).

10. Qual a melhor época para visitar as vinícolas no Chile?

Março e abril são os melhores meses para visitar as vinícolas no Chile. É a época em que as parreiras estão cheias. Durante esse período, as vinícolas costumam oferecer as festas da colheita (vindima) proporcionando aos visitantes uma incrível experiência. O preço varia de vinícola para vinícola (algumas delas são gratuitas) e pode ser necessário reservar a experiência com antecedência.

Os eventos, geralmente, contam com música e gastronomia, e os visitantes se vestem com aventais e recebem tesoura, caixa, luvas e aventais para fazer a colheita das uvas por conta própria.

11. Quando neva em Santiago?

É muito raro nevar em Santiago, mesmo no inverno. Quando isso ocorre, a neve vem acompanhada de chuva, o que torna a experiência em si não muito agradável.

A neve ocorre nos arredores de Santiago, em regiões mais altas, nos meses de julho, agosto e talvez setembro. É nessas regiões que ficam as principais estações de esqui e de outros esportes de inverno.

12. O que eu não posso levar na bagagem para o Chile?

É proibido ingressar no Chile com os seguintes produtos:

  • Produtos Apícolas.
  • Artesanato com produtos de origem animal.
  • Frutas e Vegetais.
  • Flores e Plantas.
  • Insetos, bactérias e microrganismos.
  • Animais sem documentação.
  • Carnes de qualquer espécie animal.
  • Produtos lácteos.
  • Produtos químicos para uso agrícola.

Esses produtos devem ser declarados à alfândega (aduana) do Chile, sob pena de multa.

13. Posso entrar com vinhos no Chile?

Sim. É possível ingressar no Chile com até 2,5 litros de bebidas alcoólicas na bagagem.

14. É possível visitar o Chile sem passaporte?

Sim. É possível ingressar no Chile apenas com a cédula de identidade (RG). Desde 2008, está em vigor o Acordo sobre documentos de viagem do Mercosul e países associados que reconheceu a validade da identidade como documento hábil de viagem. O Chile é um dos países que fazem parte deste acordo.

15. É necessário visto de turismo para o Chile?

Não. Brasileiros não necessitam de visto de turismo para viajar por até 90 dias no Chile.

16. É necessário vacina para visitar o Chile?

Não é necessário tomar nenhuma vacina adicional para visitar o Chile. O governo chileno também não exige de brasileiros o Certificado Internacional de Vacinação ou Profilaxia (CIVP) para ingresso no país.  O Portal Consular do Itamaraty, entretanto, recomenda que os cidadãos brasileiros que pretendam viajar ar Chile tomem vacina contra a hepatite A.

17. Devo contratar um seguro-saúde para visitar o Chile?

Apesar de não ser exigido de cidadãos brasileiros, é  importante fazer um seguro-saúde internacional antes de viajar para o Chile, pois qualquer eventualidade médica por lá poderá  custar-lhe muito caro. Se você pretende praticar esportes de inverno, verifique na sua apólice se a atividade está dentre os riscos cobertos.

18. Onde comprar chip de celular em Santiago?

Um chip de celular com acesso à internet é essencial para visitar Santiago, seja para se localizar na cidade, seja para encontrar os pontos de interesse ou para chamar um transporte por aplicativo. No Chile, as principais operadoras de celular são a Entel, a Movistar e a Claro.

Há lojas que vendem chips pré-pagos por toda a cidade. Na Plaza de Armas, por exemplo, é possível encontrar várias delas. No Aeroporto, há lojas da Claro e da Movistar, mas, você também pode comprar um chip no quiosque Fotokina. A minha recomendação é que você habilite o celular com internet na própria loja para evitar problemas futuros.

É importante destacar que, em 2018, foi celebrado um acordo entre o Brasil e Chile para a isenção das tarifas de roaming entre os países. O mesmo vem sendo negociado nos países do Mercosul. Entretanto, tal acordo ainda não foi implementado, o que evitaria que o viajante tivesse de adquirir um outro Sim Card.

19. Quais são as exigências para menores desacompanhados entrarem do Chile?

Para ingressar ou sair do Chile, os menores desacompanhados de um ou de ambos os pais deverão levar, além dos documentos tradicionais (RG ou passaporte):

  • autorização notarial de viagem dos pais que não o acompanham, dando seu consentimento para a saída do menor ou a autorização do Tribunal de Família correspondente. Esse deve ser o original, além de três cópias autenticadas.
  • se um dos pais for falecido, deverá ser levado o Certificado de Óbito, acompanhado de três fotocópias simples.

Destacamos que esses documentos são destinados às autoridades do Chile e não exclui o documento de autorização de viagem para menor destinado às autoridades brasileiras (Departamento de Polícia Federal).

É importante mencionar que os documentos expedidos no Brasil para que tenham validade no exterior deverão ser legalizados, um procedimento que envolve duas etapas: legalização perante o Ministério das Relações Exteriores e a consularização, feita junto ao Consulado do país para quem o documento se destina.

No caso do Chile, que é um país signatário da Convenção de Apostila de Haia, utiliza-se o procedimento simplificado denominado Apostila que pode ser realizado em Cartórios Autorizados.

Transporte

20. Como chegar a Santiago?

A melhor forma de chegar a Santiago é de avião, pelo Aeroporto Internacional Comodoro Arturo Merino Benitez (SCL). Várias empresas aéreas operam rotas entre o Brasil e Santiago, tais como, a Latam, Gol, Jetsmart, Sky e Emirates.

Várias cidades brasileiras são atendidas pelas rotas: Porto Alegre, Florianópolis, Curitiba, Foz do Iguaçu, São Paulo, Brasília, Rio de Janeiro, Salvador e Recife.

Outra forma de chegar é de ônibus, a partir de Mendoza, na Argentina. As rotas de ônibus cruzam a Cordilheira dos Andes e o trajeto dura em torno de 8 horas. Dentre as empresas de ônibus que fazem esse trajeto, destacam-se a Andesmar e a Cata Internacional. Quem já vez esse trajeto de ônibus, fala que é incrível!

21. Como ir e voltar para o Aeroporto de Santiago?

Infelizmente, as linhas de metrô de Santiago não chegam até o aeroporto. Portanto, existem, tão somente, as opções de transporte rodoviário.

Taxi ou Aplicativo

A opção mais conveniente é de taxi ou de aplicativo.  Utilizando Uber, do aeroporto até a região do Sky Costanera, por exemplo, o valor da corrida sai por 14 mil pesos (aprox. R$ 95). Se você for de taxi, cuidado com o golpe do taxi pirata (vide acima).

Ônibus Urbano

Outra opção é ir de ônibus, que é mais econômica. Há linhas que ligam o aeroporto à região central de Santiago. As rotas passam por diversas estações de metrô ao longo da Avenida Libertador B. O’Higgins chegando até a estação Los Heroes. Há também linhas de ônibus que ligam o aeroporto à comuna de Maipú.

Linha de ônibus do Aeroporto SCL até o Centro de Santiago
Linha de ônibus do Aeroporto até o Centro de Santiago (fonte: Nuevopudahuel.cl)

Os ônibus são operados pelas empresas Centropuerto e Turbus e a tarifa é de 1.900 pesos chilenos (R$ 12,50).

Translado

Por fim, você também pode contratar um transfer. Esta opção é a mais conveniente se você estiver com várias pessoas.

22. Como se deslocar em Santiago?

A melhor forma de se deslocar em Santiago é de metrô. O metrô é um meio de transporte eficiente e confortável.

Atualmente, acho que não vale mais a pena usar os ônibus. O trânsito na cidade está infernal. Além disso, muitos ônibus estão sujos e caindo aos pedaços, em situação bem pior que os de muitas cidades brasileiras. Assim, seu trajeto de ônibus será mais longo e desconfortável.

Para visitar algumas vinícolas ou trajetos onde não há estação de metrô próxima, sugiro utilizar o transporte por aplicativo, como o Uber.

23. Vale a pena fazer uma Tarjeta Bip?

Sim. Vale muito a pena! A Tarjeta Bip é semelhante ao Bilhete Único em São Paulo ou no Rio de Janeiro. É um cartão de transporte recarregável que permite que você utilize o metrô e o ônibus na cidade de Santiago. É útil pois evita que você tenha que comprar o bilhete a cada viagem.

Além disso, mais de uma pessoa pode utilizar o mesmo cartão. O único inconveniente disso é que ,no uso combinado (ônibus + trem), há um desconto na passagem,  que será concedido apenas uma vez.

24. Quanto custa a Tarjeta Bip?

A Tarjeta Bip normal ou ao portador custa 1.550 pesos chilenos (CLP). Ela permite que você a recarregue quantas vezes quiser. Nas bilheterias, a carga mínima é de 750 pesos.

Existe, ainda, a Tarjeta Bip personalizada, pessoal e intransferível, com foto. Esta custa 2.800 pesos. Para fazê-la, é necessário ter um RUT (Rol Único Tributário), um número de identificação nacional.

25. Como fazer a travessia entre Mendoza e Santiago?

De Ônibus

Ônibus é a forma mais conveniente para fazer a travessia da Cordilheira dos Andes e, ao mesmo tempo, apreciar as suas belas paisagens, que incluem montanhas, lagos, vinhedos e pequenas vilas às margens da rodovia. Outra vantagem é que os ônibus não pegam as filas das fronteiras.

  • Dica: Reserve os assentos frontais no piso superior do ônibus. Os veículos que fazem o trajeto geralmente são double-decker.

O trajeto de 360 km dura em torno de 7 horas e envolve uma parada no posto de fronteira, no alto da Cordilheira. Todos os passageiros são obrigados a descer dos veículos, apresentar seus documentos (passaporte e RG) e as bagagens são inspecionadas.

Alugar um Carro

É possível também alugar um carro para fazer o percurso entre Mendoza e Santiago. O trajeto é mais rápido e você tem mais flexibilidade para parar em determinados pontos para apreciar o encantador cenário.

Nada obstante, é necessário adquirir uma licença especial e seguro para poder cruzar a fronteira. Ademais, em geral, as empresas de aluguel de veículos não permitem que você retire o veículo em um país e devolva-o em outro. Portanto, você deverá cruzar a fronteira por duas vezes, na ida e na volta.

A estrada também não é para principiantes. Não é recomendável viajar de carro no inverno. A pista pode ficar muito escorregadia, aumentando o risco de acidentes. Também no inverno, a rota poderá fechar em função do mau tempo.

O que mais se destaca na Ruta 60 (no Chile) é o trecho conhecido como “Paseo de Los Caracoles”, que é uma série de 29 curvas bem fechadas formando um incrível ziguezague. Apesar de bonitas, são muito perigosas (não há guard rails) e chegam a ficar cobertas de neve (e bloqueadas) no inverno.

Translado

Outra possibilidade é contratar um transfer. Há empresas de turismo em Mendoza que fazem um transfer, privado ou semi-privado, para Santiago.

Trekking

Por fim, se você não tiver medo de aventura, pode fazer um trekking de 4 a 5 dias durante o verão, dormindo em barracas pelo caminho. Não dá para fazer por conta própria, é necessário contratar uma empresa especializada.

Numa delas, o turista é levado para o Refugio Portinari, onde é feito o controle de imigração na Argentina e depois para o acampamento Yaretas, onde começa o trekking.  A caminhada é de 60 km dividida em 4 dias. A bagagem é transportada por mulas. No último dia, a caminhada termina em Termas Del Plomo, no Chile, de onde os aventureiros são levados para Santiago.

Hospedagem

26. Onde se hospedar em Santiago?

Recomendo hospedar-se na região próxima à estação Tobalaba do metrô. A estação fica entre as comunas de Providência Las Condes.

É uma área interessante. Não fica tão distante do centro, nem distante da agradável região de Las Condes. Além disso, a estação é servida por duas linhas de metrô, o que facilita bastante a sua vida, pois diminui o número de conexões que você terá que fazer nos seus deslocamentos pela cidade.

Nas proximidades da estação, você encontra o Shopping Costanera Center e, um pouco mais distante, está o Parque Bicentenário. É possível ir caminhando até essas duas atrações.

27. Vale a pena hospedar-se na região central de Santiago?

Não. Apesar de ter muita coisa para se fazer durante o dia na região central de Santiago, as lojas fecham à noite e a região fica um tanto deserta, inóspita. É uma área degradada e poluída, pois está sujeita a um trânsito intenso de veículos. Em síntese, é um lugar não muito seguro para os turistas à noite.

28. Devo pagar o IVA nos hotéis de Santiago?

O IVA (Imposto de Valor Agregado) é um imposto chileno incidente sobre serviços, produtos e transações comerciais. O IVA é, grosso modo, uma mescla dos impostos ISS, ICMS e IPI no Brasil. O imposto incide, portanto, sobre o serviço de hotelaria na alíquota de 19%.

Chilenos e estrangeiros residentes devem pagar o IVA ao se hospedarem nos hotéis.

Mas, para incentivar o turismo, os visitantes estrangeiros estão isentos em determinadas condições. O pagamento deve ser feito em dólares americanos (USD) e deve ser apresentado o passaporte (ou RG) e o cartão de imigração. Se o pagamento for feito em pesos chilenos, não há isenção de IVA.

Consulte o seu hotel para saber se há ou não incidência de IVA quando o pagamento se der por cartão de crédito. Mas, lembre-se que, em qualquer caso, você terá que pagar o famigerado IOF na alíquota de 6,38%.

  • Ao fazer a reserva do hotel pelo Booking.com, o valor do IVA não estará incluído.

Atrações

29. O que fazer no centro histórico de Santiago?

O centro histórico de Santiago pode ser visitado em um único dia. Você consegue fazer tudo a pé! Pode contratar um free walking tour ou simplesmente pegar um mapa e marcar os pontos abaixo. Seu ponto de partida pode ser o que for mais próximo ao seu hotel ou, iniciar pela Plaza das Armas.

Plaza de Armas

A Plaza de Armas foi construída em 1541 em um formato que lembra um tabuleiro de xadrez. No passado, bem no centro da praça ficava uma forca, onde eram realizadas as execuções públicas. É nessa praça que também esta o marco zero da cidade (procure-o no chão, próximo à fonte). Hoje, a praça é ponto de encontro de amigos e também palco de manifestações. Aos finais de semana, fica tomada por artistas de rua e expositores de arte. Você ainda pode tirar uma foto com a estátua de Pedro de Valdivia (fundador da cidade) ou do Monumento aos Povos Indígenas.

Na própria praça você encontrará alguns prédios importantes:

  • Catedral Metropolitana de Santiago: é o principal templo católico do país. Trata-se da quinta construção realizada no mesmo local. As anteriores foram destruídas por terremotos.  Atenção para o altar-mor feito de mármore branco e lápiz-lazúli. A Catedral abriga o Museu de arte Sacra que fica aberto apenas às segundas feiras
  • Prédio dos Correios 
  • Museu Histórico Nacional (antigo Palácio da Real Audiência): possui diversas salas que contam com riqueza a história do povo chileno desde os povos pré-colombiano até a época da ditadura militar (década de 70). A entrada tem um valor simbólico e dá direito a subir na torre do edifício.
  • Museu chileno de arte Pré-Colombiana: fica há 3 min caminhando da Plaza das Armas, em um bonito prédio histórico de 1805. Possui um arquivo riquíssimo para quem curte arte pré-colombiana.
  • Casa Colorada: foi declarada monumento nacional em 1977.  Infelizmente encontra-se fechada a visitação, pois o terremoto de 2010 provocou sérios danos à sua estrutura original. Sua fachada é muito bonita.
  • Paseo Ahumada: famosa rua de pedestres com inúmeras lojas locais, mas também lojas de grife. Esse calçadão fica lotado de chilenos durante a semana. Ele cruza boa parte do centro histórico, terminando na famosa Av. Libertador General Bernardo O’Higgins.

Plaza de la Constitución/Plaza de la Ciudadania

São duas praças amplas e bem cuidadas. Separando uma da outra, fica o Palácio de La Moneda.

Palácio de La Moneda

O Palácio de La Moneda é um prédio imponente e belíssimo que abriga a sede do governo chileno. Recebeu esse nome pois foi projetado para abrigar a Casa da Moeda. Esse edifício foi bombardeado em 1973 no golpe militar liderado pelo General Pinochet. O Presidente Salvador Allende ordenou a evacuação do edifício, mas nele permaneceu. Allende supostamente teria cometido suicídio nesse palácio, mas, para muitas pessoas, ele teria sido sumariamente executado por militares do Exército. É possível visitar o seu interior gratuitamente porém, fique atento e reserve com antecedência (visitas@presidencia.cl) pois são poucos os horários disponíveis e o número de participantes é restrito.

Centro Cultural La Moneda

O Centro Cultural La Moneda, localizado no subsolo do Palácio de La Moneda (a entrada é feita por uma rampa na lateral do palácio), é um local de exposições e atividades culturais. Possui também um café e loja de artesanato. O acesso é gratuito mas a entrada em algumas exposições específicas pode ser cobrada.

Panteón de Los Heroes de la Pátria

O Panteón de Los Heroes de la Pátria, localizado embaixo da Plaza de la Ciudadanía, abriga o túmulo do General O’Higgins e o Monumento ao Soldado Desconhecido.

Troca da Guarda

A Troca da Guarda ocorre a cada 2 dias, desde 1851 e dura em torno de 40 minutos. Durante a semana ocorre às 10h e aos finais de semana às 11h.

Cerro Santa Lúcia

O Cerro Santa Lucia é uma bela colina que oferece uma vista panorâmica da cidade, portanto, vale o esforço de subir até o seu topo. Logo após a entrada, no primeiro piso, você encontrará a belíssima Fonte de Netuno, construída em 1857. Na nossa última visita, a fonte estava um pouco abandonada. Não deixe de apreciar a vista dos miradoros e o Castillo de Hidalgo (não é aberto a visitação).

Parque Forestal

O Parque Forestal é um espaço verde na cidade, com 172 mil m2, em que as crianças podem brincar nos playgrounds muito bem conservados e coloridos ou mesmo passear de bicicleta. Fica na região da Lastarria, bem próximo da área central.  É um parque bem arborizado, com várias áreas de descanso e muito frequentado pelos chilenos. Inclusive, foi lá que se iniciou o romance entre Pablo Neruda e sua amada Matilde Urrutia.

Museu de Arte Contemporânea

O Museu de Arte contemporânea possui duas sedes: uma no Parque Quinta Normal e outra no Parque Forestal, na realidade, localiza-se no Palácio de Belas Artes, junto ao museu de mesmo nome. Seu acervo é constituído principalmente de obras de artistas chilenos. A entrada é gratuita.

Museu Nacional de Belas Artes

A formação do acervo do Museu Nacional de Belas Artes começou na metade do século XIX quando foram reunidas 140 pinturas de artistas chilenos e estrangeiros. Hoje, o acervo possui mais de 5.000 peças, que datam desde a época colonial até os dias de hoje. A entrada no museu, que fica no Parque Forestal, é gratuita. Vale a pena uma visita.

Mercado Central

O Mercado Central, localizado em um belíssimo prédio histórico de 1872, pode render-lhe boas fotos. Seu interior, entretanto, é um caos! Vende-se de tudo: frutas, legumes, peixes, queijos, doces etc. Porém, o que acaba incomodando são os insistentes garçons que querem a todo custo levá-lo para o seu restaurante. Importante ressaltar que, por ser extremamente turístico, achamos  o preço salgado e não gostamos nem da comida e nem da experiência em si. Sugiro conhecer mas almoçar em outro lugar.

30. O que fazer de graça em Santiago?

Santiago do Chile oferece várias atrações gratuitas:

Plaza das armas e arredores

A Plaza de Armas é o coração histórico de Santiago. Veja o que mais pode encontrar nessa praça na pergunta anterior.

Mercado Central

O Mercado Central é belíssimo prédio histórico de 1872. Seu interior é caótico. Vende-se de tudo. Muito famoso por seus restaurantes típicos, entretanto, não gostamos nem do preço e nem da qualidade da comida. Passe para fazer uma visita rápida apenas!

Feira Los Dominicos

A Feira los Dominicos replica um típico povoado chileno. É um lugar arborizado e bastante agradável para você conhecer. Nas ruas de terra batida, espalham-se mais de 140 casinhas de barro que são lojas de artesanato. Você encontrará roupas, joias, artesanato em madeira, cobre e a famosa pedra lápiz-lazúli. O preço é um pouco salgado, mas dá para encontrar lembrancinhas. Fica na estação Los Dominicos ao lado da Igreja de mesmo nome.

Parques Públicos

Santiago é uma cidade com muita área verde. São inúmeros parques espalhados pela metrópole nos quais você pode respirar e descansar. Não deixe de conhecer o Parque Bicentenário, uma ampla área verde, moderna, com atrativos para as crianças e adultos. Passeando pelo centro histórico você com certeza passará pelo Parque Forestal. Aproveite para sentar e observar a vida cotidiana. Além disso, existem também o Parque Metropolitano, o Parque de las Esculturas e o Parque Quinta Normal.

Museu da Memória e dos Direitos Humanos

O Museu da Memória e dos direitos humanos é impactante e imperdível. Inaugurado em 2010, segundo o site do próprio museu o objetivo é ” dar visibilidad a las violaciones a los derechos humanos cometidas por el Estado de Chile entre 1973 y 1990; a dignificar a las víctimas y a sus familias; y a estimular la reflexión y el debate sobre la importancia del respeto y la tolerancia, para que estos hechos nunca más se repitan.” Não deixe de visitar!

Museu Nacional de Belas Artes

O Museu Nacional de Belas Artes fica no Palácio de Bellas Artes, no Parque Forestal. Seu acervo possui mais de 5.000 peças, que datam desde a época colonial até os dias de hoje.

Museu de Arte Contemporânea

O Museu de Arte Contemporânea possui duas sedes: uma no Parque Quinta Normal e outra no Parque Forestal, junto ao Museo de Bellas Artes. Seu acervo é constituído principalmente de obras de artistas chilenos.

Museu Histórico Nacional

O Museu Histórico Nacional possui diversas salas que contam com riqueza a história do povo chileno desde os povos pré-colombiano até a época da ditadura militar (década de 70). A entrada tem um valor simbólico e dá direito a subir na torre do edifício.

Museu Nacional de História Natural

O Museu Nacional de Historia Natural possui uma exposição permanente que mostra os diversos biomas do país. Não se assuste com o enorme esqueleto de baleia logo na entrada do museu.

Palácio de La Moneda

O Palácio de la Moneda é um prédio imponente e belíssimo que abriga a sede do governo chileno. É possível visitar o seu interior gratuitamente porém, fique atento e reserve com antecedência (visitas@presidencia.cl), pois são poucos os horários disponíveis e o número de participantes é restrito.

Centro Cultural Palácio de La Moneda

O Centro Cultural Palácio de la Moneda, localizado no subsolo do Palácio de La Moneda (a entrada é feita por uma rampa na lateral do palácio), é um local de exposições e atividades culturais. Possui também um café e loja de artesanato. O acesso é gratuito mas a entrada em algumas exposições específicas pode ser cobrada. É possível também visitar o Panteón de los Heroes de la Patria.

Troca da Guarda

A troca da guarda no Palácio de la Moneda ocorre a cada 2 dias, desde 1851 e dura em torno de 40 minutos. Durante a semana ocorre às 10h e aos finais de semana às 11h.

Cerro San Cristóbal

O Cerro San Cristobal é famoso pela imagem da Virgem de La Inmaculada Concepción com 14 metros de altura sobre um pedestal de 8,5 metros e pela vista que proporciona da cidade. É uma atração gratuita caso você se disponha a subir e descer a pé. Do contrário terá que pagar pelo bondinho, teleférico ou taxi, que são as outras opções disponíveis.

Existe mais de uma trilha, sendo algumas bem sinalizadas e outras nem tanto. Apesar de ter vários banquinhos e água potável pelo trajeto (pelo menos na Sendero Zorro Vital), a subida é íngreme e o chão de terra batida. O Cerro está dentro do Parque Metropolitano que possui diversas outras atrações (algumas gratuitas e outras não).

Cerro Santa Lúcia

O Cerro Santa Lúcia é uma pequena colina foi transformada em um parque urbano bastante visitado por turistas. Para encontrar sua entrada principal, basta procurar pelo muro e pórtico amarelo. Depois, é só seguir pelas suas trilhas e escadinhas para chegar ao topo e apreciar a bela vista da cidade. Logo na entrada, não deixe de reparar na Fonte de Netuno (um pouco mal cuidada em nossa última visita). Pelo caminho, pare nos diversos mirantes para fotos.

Catedral Metropolitana

A Catedral Metropolitana é o principal templo católico do país. Seu interior é riquíssimo em detalhes e seu altar-mor é imperdível.

Centro Cultural Estación Mapocho

O Centro Cultural Estación Mapocho foi criado numa antiga estação ferroviária que funcionou entre 1914 e 1987. Hoje, com a belíssima arquitetura preservada, é um centro de exposições, que conta com exibições permanentes e temporárias, além de concertos e outros eventos.

31. O que fazer em Santiago com crianças?

Nos casos de crianças maiores, tenho certeza que os esportes de inverno, ou mesmo apenas brincar na neve ou construir um famoso boneco de neve, já são motivos suficientes para visitar Santiago.

Entretanto, a cidade possui outras atrações que são bastante interessantes e devem fazer parte do seu roteiro na cidade:

Cerro San Cristóbal e Zoológico Nacional

O Cerro San Cristóbal é famoso pela vista da cidade, o que pode não ser tão atrativo para as crianças, mas,  a diversão já começa no trajeto para chegar até o topo! As crianças adoram subir de funicular e descer de teleférico (ou vice versa). O que muitas pessoas não sabem é que na primeira parada do funicular fica o Zoológico nacional do Chile.

Embora seja pequeno e lotado aos finais de semana, vale a pena conhecer pois terá a oportunidade de encontrar animais que não vemos no Brasil como, por exemplo, o urso polar, cangurus e os divertidíssimos suricatos. Ressalto que não visitei o zoológico pois sou cada vez mais contra animais encarcerados!

Parque Bicentenário

Inaugurado em 2010, o Parque Bicentenário é um amplo espaço verde na cidade. Também é um programa que agrada adultos e crianças. Trata-se de um parque moderno, com uma área verde imensa e diversos parquinhos espalhados por todo ele. Esqueça o conceito antiquado de playground. No parque Bicentenário as crianças podem divertir-se em modernos pula-pulas, casas na árvore, trepa-trepa futuristas e fontes de água.

Encontramos até um espaço dedicado a crianças com deficiências. Vários carrinhos de sorvete e outras guloseimas também estão disponíveis. Para descansar de tanta algazarra, você pode observar os lagos e os flamingos. Muitas pessoas recomendam associar o passeio a um almoço no restaurante Mestizo, porém é necessário reserva!

Museu Interativo Mirador

O Museu Interativo Mirador é um museu muito divertido onde a criança aprende ciência brincando. Assemelha-se muito ao museu Catavento de São Paulo. São diversas atrações para todas as idades, inclusive com uma área específica para os menorzinhos. As simulações de terremotos e tsunamis são imperdíveis.

Parque Forestal

O Parque Forestal é mais um espaço verde na cidade, com 172 mil m2, em que as crianças podem brincar nos playgrounds muito bem conservados e coloridos ou mesmo passear de bicicleta. Fica na região da Lastarria, bem próximo da área central.  É um parque bem arborizado, com várias áreas de descanso e muito frequentado pelos chilenos. Inclusive, foi la que se iniciou o romance entre Pablo Neruda e sua amada Matilde Urrutia.

Parque Quinta Normal

Construído em 1841, o Parque Quinta Normal é um dos primeiros parques de Santiago, o que explica as árvores centenárias de troncos gigantescos! Em seus 36 hectares você encontrará jardins bem cuidados, playground, um lago com pedalinhos que as crianças adoram e até uma piscina municipal. Nesse parque também estão 5 museus sendo que o Artequim e o Ferroviário podem interessar às crianças.

Kidzania Parque Arauco

O Kidzania Parque Arauco é uma cidade em escala infantil onde a criança diverte-se exercendo as mais diversas profissões. As crianças podem receber os kidzos pelo trabalho realizado no parque e trocá-los por compras ou ainda guardar no banco para a próxima visita. Importante reservar com antecedência! Os ingressos são válidos para dias e horários pré-estabelecidos e variam com a idade da criança/adulto.

Parque Fantasilandia

O Parque Fantasilandia é um parque de diversões que fica dentro do Parque O’Higgins. Possui atrações para todas as idades, desde carrossel para os pequenos até incríveis montanhas russas. Os ingressos podem ser comprados online.

Museu Artequín

Para começar o prédio do Museu Artequín é lindo! Foi construído em 1889 na França para representar o Chile em Paris. Foi desmontado e trazido para Valparaíso e depois para Santiago. O museu conta com uma coleção de reproduções de alta qualidade das principais artes ocidentais cujo o público alvo são as crianças. Ao final, o monitor propõe alguma atividade relacionada à exposição para entreter os pequenos.

32. Que vinícolas visitar ao redor de Santiago?

Basicamente, há 5 vinícolas em Santiago ou nos seus arredores abertas à visitação:

  • Concha y Toro,
  • Viña Santa Carolina,
  • Viña Cousiño Macul,
  • Viña Undurraga e
  • Viña Santa Rita.

33. É possível visitar as vinícolas por conta própria em Santiago?

As cinco vinícolas indicadas na pergunta anterior podem ser visitadas por conta própria. As vinícolas Santa Carolina e Cousiño Macul são as mais próximas de Las Condes, Providência e da região central de Santiago. As demais ficam ao sul da região metropolitana um pouco mais distantes do centro.

Em qualquer um dos casos, não há estações de metrô próprias. Você terá que pegar um ônibus, taxi ou Uber para completar a sua viagem.

34. Vale a pena visitar a vinícola Concha y Toro?

Sim, vale a pena! A Vinícola Concha y Toro é a principal produtora de vinhos da América Latina. Fundada em 1883, hoje detém em torno de 37% do mercado interno chileno e responde por mais de 31% das exportações de vinho do Chile. Seus vinhos tem presença em 130 países mundo afora. Eu mesmo encontrei vinhos da Concha y Toro em Xi’an, na China.

Os vinhedos estão localizados no Chile, na Argentina e nos Estados Unidos, mas sua sede encontra-se nos subúrbios de Santiago.

A Concha y Toro dispõe de várias linhas de vinhos, dentre os quais, destacam-se:

  • Casillero del Diablo
  • Frontera
  • Marques de Casa Concha
  • Don Melchior.

Infelizmente, a linha que mais encontramos nos supermercados brasileiros é a Reservado.  Sinceramente, não recomendo!

Há várias opções de tours disponíveis: o tour tradicional, o tour Gran Reserva e o tour Casillero del Diablo.

Os tours incluem visita aos jardins da antiga residência de verão da família Concha y Toro,  às instalações da produção e, ainda, ao famoso Diablo, que protegia a adega do proprietário da vinícola. Ao final, é feita uma degustação de vinhos selecionados. Não esqueça de reservar seu tour com antecedência. É possível contratar serviços de translado.

35. Como chegar à vinícola Concha y Toro por conta própria?

Para chegar à Concha y Toro, o jeito mais conveniente é pegando um taxi ou Uber. Entretanto, trajeto pode levar até 40 minutos e sair por até R$ 100.

Para economizar, você pode pegar o metrô e descer na estação Plaza Puente Alto e, de lá, pegar um taxi ou uber até a a vinícola. O trajeto do metrô até a vinícola é de 4 km e o preço da corrida do Uber é de aprox. R$ 15.

Não esqueça de reservar o tour com antecedência!

36. Como visitar a vinícola Cousiño Macul por conta própria?

Em primeiro lugar, você deve fazer a reserva do tour por meio do website da Cousiño Macul. Estão disponíveis os seguintes tours: Tradicional, Privado, Premium, Jardín de Macul, Especial Reapertura e Isidora Goyenchea.

Cada tour tem preços e seleção de vinhos diferenciados. Escolha o tour que mais o agrada. Durante a nossa visita, optamos pelo tour Premium e tivemos a oportunidade de provar vinhos selecionados harmonizados com uma seleção de queijos deliciosos, na companhia de um especialista.

37. Como chegar à Viña Cousiño Macul por conta própria?

Apesar de localizada numa região central, não há estações de metrô próximas à Viña Cousiño Macul. Entretanto, para chegar lá, você pode descer na estação Las Torres (linha 4) e pegar um taxi ou Uber até a vinícola.

Se quiser ir de ônibus a partir do bairro da Providência, pode pegar o ônibus n° 418 e descer na parada PD-460, na esquina entre a Avenida Tobalaba e a Avenida Quilin Sur. Então, é só caminhar 250 metros até a entrada da vinícola.

Mas, a forma mais conveniente é ir de Uber. O trajeto a partir do edifício Costanera Center custa entre 11.000 CLP (aprox. R$ 74) e 14.000 CLP (aprox. R$ 95).

38. Qual o melhor mirador de Santiago?

A melhor vista da metrópole é proporcionada pelo Teleférico de Santiago, no Parque Metropolitano. O teleférico liga a parte mais baixa do parque ao Cerro San Cristóbal. O trajeto contempla três estações: a Estação Oasis (parte mais baixa do teleférico), a Estação Tupahue (estação intermediária) e a Estação Cumbre (dá acesso ao Cerro San Cristóbal).

Nos arredores da estação Tupahue, sua câmera poderá registrar a mais bela paisagem de Santiago.

Não é necessário pegar o teleférico para chegar às proximidades da estação Tupahue. Você pode ir caminhando, mas tenha disposição e preparo físico para subir o morro.

39. Como pegar o teleférico de Santiago?

O teleférico de Santiago fica no Parque Metropolitano. Para pegar o teleférico, você deve descer na estação Pedro de Valdívia do Metrô (Linha 1) e procurar a Avenida Pedro de Valdívia. Caminhe por 15 minutos pela avenida até chegar à entrada do Parque Metropolitano, onde você encontrará a estação Oasis do teleférico.

Se você estiver na região do Costanera Center, basta caminhar de 10 a 15 minutos pela Av. El Cerro até a entrada do Parque Metropolitano.

40. Vale a pena visitar o Sky Costanera?

O Sky Costanera é um deck de observação com paredes de vidro localizado a 300 metros de altura no novíssimo edifício Costanera Center. O Sky Costanera oferece uma vista 360° de Santiago, abrangendo tanto a Cordilheira dos Andes, quanto o Cerro San Cristóbal e o Parque Metropolitano de Santiago. É considerado o mirante mais alto da América Latina.

Apesar de eu ser voto vencido, não acho que valha a pena visitá-lo. A atração não tem uma boa relação custo-benefício. O ingresso para adultos custa caro (15.000 CLP, o equivalente a R$ 102), você pega filas e pode ser que você não consiga ver muita coisa em razão do tempo. O próprio vidro atrapalha as fotos.

Essa foi a nossa experiência! Pessoalmente, eu prefiro apreciar a vista de Santiago a partir do Teleférico e do Parque Metropolitano, que inclui o belo edifício na sua paisagem. Por outro lado, deixo claro que o Shopping Center localizado nos andares inferiores do edifício Costanera Center é excelente!

Caso, mesmo assim, você queira visitar o Sky Costanera, tenha certeza de que o tempo está bom e procure ir no horário do pôr do sol.

41. Vale a pena usar o ônibus “Hop-On Hop-Off” em Santiago?

Definitivamente, não! O ônibus Hop-on Hop-off em Santiago é operado pela Turistik, passa por 13 paradas e custa 23.000 CLP (aprox. R$ 155) por pessoa por um dia inteiro. Em tese, o serviço funciona das 10:30hs às 19hs e os ônibus circulam a cada 30 minutos. Esse valor não inclui ingressos nem comida.

Ocorre que a maior parte das atrações pode ser acessada por meio do transporte público (ônibus e metrô), de Uber/taxi ou  a pé, o que sai muito mais barato do que o preço cobrado pela agência. Além disso, você perde um bom tempo aguardando nos pontos de ônibus e, geralmente, não consegue visitar metade das atrações disponíveis.

Vale lembrar que o trânsito em Santiago em determinados horários é caótico, fazendo com que você perca muito do seu tempo disponível.

Confira, a propósito, alguns relatos sobre o serviço publicados no Tripadvisor:

“Não vale a pena o passeio, Santiago Hop on – Hop off. Pegamos o ônibus na rua Lota, e pagamos 20,000 pesos (R$116) por pessoa, o passeio não vale a pena, é horrível, porque você não consegue visitar nem a metade dos pontos de parada em que o ônibus para, é muito mas vantagem você ir de metrô ou até mesmo de táxi, vai sair bem mais barato e você não vai ficar igual eu, esperando o ultimo ônibus passar às 17:30 e o ônibus não aparecer e olha que cheguei no ponto as 17:15, e tivemos que pagar mas 11.000 pesos para voltar ao hotel de táxi, muito melhor você reservar 2 dias em Santiago para fazer as mesmas visitas e até mais que o ônibus, e com mais qualidade e sem correria, não façam esse passeio.” (Fernando Chiaro, julho/2015).

“(…) Além desses dois, fechei também o hop on hop off. São pouquíssimos ônibus circulando, se você não der a sorte de chegar na mesma hora em que o ônibus no ponto, ficará pelo menos uma meia hora esperando o próximo. E a cereja do bolo foi o calor DOS INFERNOS em um dos ônibus, eu e minha família passamos mal de tão quente que estava!” (mfmbarros, janeiro/2017)”.

42. O que fazer em 1 dia em Santiago? O que fazer durante uma conexão em Santiago?

Santiago possui diversas atrações turísticas! Entretanto, se tiver apenas um dia livre, recomendo conhecer apenas o centro histórico de Santiago. As atrações estão próximas uma das outras e você pode fazer tudo a pé.

Uma outra opção é conhecer o Cerro San Cristóbal, que é uma das principais atrações turísticas de Santiago e combiná-lo com alguma atração do centro histórico ou ainda com uma vinícola.

43. Quais os melhores parques e locais públicos de Santiago?

Santiago é uma capital extremamente arborizada com diversos parques e locais públicos. Se você gosta de caminhar pelas áreas verdes, recomendo as atrações abaixo:

Parque Bicentenário

Inaugurado em 2010, o Parque Bicentenário é um amplo espaço verde na cidade. Também é um programa que agrada adultos e crianças. Trata-se de um parque moderno, com uma área verde imensa e diversos parquinhos espalhados por todo ele. Possui também um belíssimo lago onde você pode observar os flamingos. Muitas pessoas caminham, andam de bicicleta ou apenas descansam nesse pulmão da cidade.

Parque Forestal

O Parque Forestal é um espaço verde na cidade, com 172 mil m2, em que as crianças podem brincar nos playgrounds muito bem conservados e coloridos ou mesmo passear de bicicleta. Fica na região da Lastarria, bem próximo da área central.  É um parque bem arborizado, com várias áreas de descanso e muito frequentado pelos chilenos.

Parque Metropolitano

Considerado um dos maiores parques urbanos do mundo, com 772 hectares, o Parque Metropolitano abriga vários pontos turísticos como o Cerro San Cristóbal e o Zoológico Nacional. Esse amplo espaço verde possui áreas para churrasco, piqueniques, pista para bicicletas e até 2 piscinas. No parque, também estão localizados o jardim Botânico, o Jardim Japonês e o Anfiteatro Mirador Pablo Neruda. Ou seja, você tem atrações para um dia inteiro de diversão.

Parque de las Esculturas

O Parque de las Esculturas é um museu ao ar livre, às margens do Rio Mapocho, no bairro Providência, que conta com diversas esculturas de artistas chilenos e de outros países. Em 1982, o Rio Mapocho inundou 70% de Santiago, sendo a área onde se encontra o parque, uma das mais afetadas. Um grupo de artistas se reuniu e teve a ideia inédita de construir esse museu ao ar livre que, com certeza, merece a sua visita.

Parque Quinta Normal

Construído em 1841, o Parque Quinta Normal é um dos primeiros parques de Santiago, o que explica as árvores centenárias de troncos gigantescos! Em seus 36 hectares você encontrará jardins bem cuidados, um lago com pedalinhos e até uma piscina municipal.

Nesse parque também estão 5 museus:

  • Museu Nacional de Historia Natural: possui uma exposição permanente que mostra os diversos biomas do país. Não se assuste com o enorme esqueleto de baleia logo na entrada do museu. O acesso é gratuito
  • Museu de Ciência e Tecnologia : primeiro museu interativo do Chile. Você aprende ciência brincando. Existem salas dedicadas a mecânica, astronomia, ótica e outros.
  • Museu de Arte Contemporânea: museu especializado em arte moderna e contemporânea, possui no seu acervo obras de artistas nacionais e estrangeiros. Essa sede esta localizada, dentro do parque em uma construção conhecida como Palácio de Versailles. A outra sede localiza-se no Parque Forestal. Entrada gratuita
  • Museu Ferroviário: este museu a céu aberto expõe 16 locomotivas com 4 vagões de passageiros. Você pode fazer um tour guiado ou, caso prefira, todas as peças expostas tem informações em espanhol e inglês.
  • Museu Artequim: O museu conta com uma coleção de reproduções de alta qualidade das principais artes ocidentais cujo o público alvo são as crianças.

44. Como subir até o Cerro San Cristóbal?

O Cerro San Cristóbal é um morro localizado na região central de Santiago. No seu topo, encontra-se um Santuário dedicado à Imaculada Conceição. No local, destaca-se uma imensa estátua da Virgem Maria voltada para o centro da cidade. O Cerro San Cristóbal também proporciona uma belíssima vista de Santiago. Choca, entretanto, ver o contraste da área central, mais poluída, e a região de Providência e Las Condes, com o ar mais limpo, tendo como pano de fundo a Cordilheira dos Andes.

Para subir ao Cerro San Cristóbal, o visitante pode subir de Funicular a partir da estação Pio Nono, que fica na Rua Pio Nono, no bairro Bela Vista. O ingresso custa 1.500 CLP (R$ 10) para adultos até a estação Cumbre (topo do morro). No meio do trajeto, você encontra o Zoológico de Santiago. Para ir apenas até o Zoológico, o preço é de 800 CLP.  Para mais informações sobre tarifas e horários, clique aqui.

Se você tiver energia e coragem, pode subir caminhando, mas já adianto que a subida é íngreme e o trajeto leva em torno de meia hora.

Uma alternativa é ir de teleférico a partir do Parque Metropolitano de Santiago. O trajeto do teleférico contempla três estações: a Estação Oasis (parte mais baixa do teleférico), a Estação Tupahue (estação intermediária) e a Estação Cumbre (dá acesso ao Cerro San Cristóbal). Há tickets combinados entre Teleférico e Funicular.

45. Vale a pena visitar o Cerro Santa Lúcia?

Sim! Com certeza! O Cerro Santa Lucia é uma das principais atrações de Santiago. Localizado no centro histórico, o cerro é de fácil acesso pelas estações Santa Lúcia ou Universidad Católica, ambas da linha 1 do metrô.

Foi aos pés desse Cerro (morro) de 70 metros de altura que o conquistador espanhol Pedro de Valdívia fundou a cidade de Santiago em 1541.  Durante muito tempo, o Cerro foi um ponto de observação. Em meados de 1800, foi construído um forte chamado de Castilho Hidalgo que hoje funciona como casa de eventos. Posteriormente, em 1871, o então governador Vickuna Mackena decidiu transformar o Cerro em um belíssimo parque urbano.

Logo na entrada, você encontrará um guarda anotando seus dados, mas o passeio é gratuito. Após as primeiras escadas, você chegará à famosa Terraza Neptuno, que possui uma fonte de mesmo nome, inspirada na Fontana de Trevi, Roma. O local é bem arborizado. Para chegar ao segundo nível precisará de um pouquinho de folego pela subida um pouco íngreme.

A segunda parada é na Terraza Calpolicán e na Praça Circular. Nessa parada, você encontra jardins muito bonitos, área para descanso, lojinhas, lanchonete, um mirador e diversas esculturas. A mais fotografada é a do líder indígena Calpolicán.

O ponto alto, entretanto, é a Torre Mirador. Prepare-se para uma subida íngreme, dessa vez com escadas estreitas, de pedra e um pouco escorregadias. Mas, vale a pena! Você terá uma incrível vista da cidade se o smog (mistura de fumaça e neblina) de Santiago não atrapalhar!

46. Quais são os principais museus de Santiago?

Museu da Memória e dos direitos humanos

Para mim o Museu da Memória e dos Direitos Humanos é o melhor museu de Santiago. Impactante e imperdível! Inaugurado em 2010, segundo o site, seu objetivo é

dar visibilidad a las violaciones a los derechos humanos cometidas por el Estado de Chile entre 1973 y 1990; a dignificar a las víctimas y a sus familias; y a estimular la reflexión y el debate sobre la importancia del respeto y la tolerancia, para que estos hechos nunca más se repitan.” 

Não deixe de visitar! A entrada é gratuita.

Museu Nacional de História Natural

O Museu Nacional de História Natural possui uma exposição permanente que mostra os diversos biomas do país. Não se assuste com o enorme esqueleto de baleia logo na entrada do museu. O acesso é gratuito.

Museu de Ciência e Tecnologia

O Museu de Ciência e Tecnologia é o primeiro museu interativo do Chile. Você aprende ciência brincando. Existem salas dedicadas a mecânica, astronomia, ótica e outros.

Museu de Arte Contemporânea

O Museu de Arte Contemporânea possui em seu acervo obras de artistas nacionais e estrangeiros. Possui 2 sedes: uma no Parque Quinta Normal e a outra no Parque Forestal. A entrada é gratuita.

Museu Ferroviário

O Museu Ferroviário é um museu a céu aberto que expõe 16 locomotivas com 4 vagões de passageiros. Você pode fazer um tour guiado ou, caso prefira, todas as peças expostas tem informações em espanhol e inglês.

Museu Artequín

O Museu Artequín conta com uma coleção de reproduções de alta qualidade das principais artes ocidentais cujo o público alvo são as crianças.

Parque de las Esculturas

O Parque de las Esculturas é um museu ao ar livre, às margens do Rio Mapocho, no bairro Providência, que conta com diversas esculturas de artistas chilenos e de outros países. Em 1982, o Rio Mapocho inundou 70% de Santiago, sendo a área onde se encontra o parque, uma das mais afetadas. Um grupo de artistas se reuniu e teve a ideia inédita de construir esse museu ao ar livre que, com certeza, merece a sua visita.

Museu Interativo Mirador

O Museu Interativo Mirador é um museu muito divertido onde a criança aprende ciência brincando. Assemelha-se muito ao museu Catavento de São Paulo. São diversas atrações para todas as idades, inclusive com uma área específica para os menorzinhos. As simulações de terremotos e tsunamis são imperdíveis.

Museu Nacional de Belas Artes

O museu fica no Palácio de Belas Artes, no Parque Forestal. Seu acervo possui mais de 5.000 peças, que datam desde a época colonial até os dias de hoje. A entrada é gratuita.

Museu Histórico Nacional

O Museu Histórico Nacional possui diversas salas que contam com riqueza a história do povo chileno desde os povos pré-colombiano até a época da ditadura militar (década de 70). A entrada tem um valor simbólico e dá direito a subir na torre do edifício.

Museu Chileno de Arte Pré-Colombiana

Localizado a 3 minutos de caminhada da Plaza de Armas, em um bonito prédio histórico de 1805, o Museu Chileno de Arte Pré-Colombiana possui um acervo riquíssimo para quem aprecia as obras de arte dos povos que povoavam a América do Sul.

Museo Nacional Aeronáutico y del Espacio

O Museu Nacional Aeronáutico y del Espacio é destinado à conservação e divulgação do patrimônio aeronáutico chileno. Saiba mais na pergunta a seguir.

47. Há um museu de aviação em Santiago?

Na região industrial de Los Cerrillos, há o Museo Nacional Aeronautico y del Espacio destinado à conservação e divulgação do patrimônio aeronáutico chileno. Seu acervo compreende uma coleção de aeronaves (exposição interna e externa), armas, componentes de aeronaves, maquetes de artigos espaciais e trajes militares dentre outros objetos.

Algumas exposições são voltadas à história do voo e dos precursores da aviação no Chile. Há uma sala destinada às crianças, proporcionando-lhes uma introdução ao conhecimento aeronáutico.

O museu está aberto de terça-feira à domingo das 10 às 17hs. A entrada é gratuita. O museu fica próximo à estação Cerrillos (linha 6) do metrô. Para chegar ao museu, você também pode pegar os ônibus 108, 109, 113 e 115 (Transantiago).

48. O que fazer à noite em Santiago?

Santiago não tem fama de cidade com muitas opções noturnas como São Paulo ou Buenos Aires e nós, quando estamos viajando, também não passamos a noite em “baladas” por isso é um tópico difícil para escrever. Além disso, lembre-se que os lugares populares são perenes. Santiago possui vários restaurantes e bares, sendo alguns deles, famosos rooftops, porém, deixa a desejar no quesito casas noturnas. As mais famosas estão no bairro da Providência e na Avenida Vitacura. Confira as casas noturnas mais famosas:

Passeios ao redor de Santiago

49. Quais são os principais passeios ao redor de Santiago?

Valparaíso

Valparaíso, no litoral do Chile, é conhecida pelas suas colunas íngremes, casinhas coloridas e elevadores funiculares, é um dos passeios ao redor de Santiago mais visitado. É obrigatório um passeio de funicular. Não deixe de reparar nos diversos grafites espalhados pela cidade, transformando-a num museu a céu aberto.

Você ainda pode visitar: La Sebastiana (casa do Pablo Neruda), o Museu Marítimo Nacional, a Plaza Sotomayor e o Porto de Valparaíso. Os dois cerros mais famosos são o Cerro Concepción e o Cerro Alegre. Ambos tem vistas incríveis da cidade, associado a um clima boêmio, com bares, restaurantes, artistas e lojas de artesanato.

Viña del Mar

Vina del Mar é uma cidade costeira, cujas praias de água gelada não me encantaram. Se você espera uma praia de areia branquinha e mar azul, não vá para Viña del Mar. Entretanto, a cidade oferece outras atrações turísticas como um Cassino, um relógio de flores, o Jardim Botânico e o Castillo Wulff (seu cartão postal). Na minha opinião, em passeios de um dia, preferiria passar mais tempo explorando Valparaíso.

Isla Negra

Isla Negra fica a quase 100km de Santiago e é famosa por ter sido o local de morada de Pablo Neruda. Vale ressaltar que não é uma ilha e sim  uma região litorânea com praias geladas e pedras escuras. É lá que você pode visitar o Museu de Pablo Neruda, localizado em sua casa, que tem uma belíssima vista do Pacífico. Algumas agências combinam esse tour com a visita a alguma vinícola.

Farrelones

Farrelones é um parque de inverno que agrada a toda família. É mais próximo de Santiago que o Valle Nevado e, além das pistas de ski, possui vários outros brinquedos com o “skibunda”, teleféricos e escorregadores com boia. Caso você realmente queira aproveitar o parque, não recomendo combiná-lo com outras visitas (por exemplo Valle Nevado). Você perde muito tempo no deslocamento.

Sugiro que você contrate um tour organizado, pois o caminho possui curvas muito fechadas que se tornam ainda mais perigosas quando está nevando. Comparativamente com o Valle Nevado, é um passeio mais econômico. Vale muito a pena. Recomendo!

Vale Nevado

Valle Nevado é um dos destinos de inverno mais famoso entre os brasileiros, com cerca de 40 pistas de Sky com os mais variados graus de dificuldade. Importante ressaltar, entretanto, que pode ser visitado também no verão, mas é claro que não haverá neve, apenas a belíssima vista da Cordilheira! Recomendamos contratar um motorista ou tour organizado.

No dia que fomos ao Valle Nevado caiu um grande nevasca e as curvas sinuosas ficaram ainda mais perigosas. Nosso motorista, apesar de acostumado a tudo isso, sugeriu que retornássemos por questões de segurança. Você pode hospedar-se lá ou apenas fazer um bate e volta. Apenas não recomendo combinar Valle Nevado e Farrelones. Você não aproveita nem um e nem outro.

A entrada no complexo do Valle Nevado é gratuita,  você paga apenas para usufruir dos esportes de inverno. Mas, tenha em mente, que não é um passeio barato. Caso queira andar na gôndola, almoçar e ter algumas aulas de ski, pode  assustar-se com os valores!

Embalse el Yeso

Embalse el Yeso é  uma represa construída em 1964 que é a principal fonte de abastecimento de água potável do Chile. E por que é tão visitada? Porque é uma paisagem incrível, tanto no verão quanto no inverno. A gigantesca represa de águas verde esmeralda reflete a belíssima cordilheira e faz com que você pare a cada minuto para apreciar a paisagem e tentar conseguir a melhor foto do lugar. Mas, já adianto: a foto não consegue capturar tanta beleza.

Cajón del Maipo

Cajón del Maipo é o nome de uma região, cercada pelas Cordilheiras e banhada pelo rio Maipo. O centro dessa região é a cidade de San José del Maipo, onde você pode fazer algumas atividades como trekking e tirolesa. Entretanto, o destino final da maioria dos passeios é o Embalse el Yeso.

Termas de Colina

Termas de Colina é uma estância hidrotermal com 6 piscinas cuja temperatura das águas variam entre 25 e 55 graus. É um local bem simples, também localizado na região de Cajon del Maipo. Fique atento pois funciona apenas no verão.

50. Vale a pena visitar Valparaíso e Viña del Mar?

Um dos day trips mais famosos de Santiago tem como destino as cidades litorâneas de Valparaíso e Viña del Mar. Valparaíso é a sede do poder legislativo do Chile (o Poder Executivo fica em Santiago) e do principal porto do Chile. Viña del Mar, por sua vez, é uma cidade essencialmente turística.

O tour para Valparaíso e Viña del Mar parte cedo de Santiago. No caminho do litoral, faz uma parada em uma vinícola ou em alguma loja para provar bebidas típicas. Chegando à Valparaíso, visita-se, via de regra, o centro histórico, a Plaza Sotomayor e o Cais do Prat.  Em seguida, o tour passa pela famosa Casa Museu de Pablo Neruda e pode-se ter uma vista incrível da cidade e suas casas coloridas nos morros.

De lá, segue-se para Viña del Mar, onde pode-se conhecer o Relógio das Flores, o Cassino e a Praia de Reñaca. Geralmente, o tour inclui almoço em algum restaurante local.

Ocorre que, nesse tour, tudo é muito corrido. Aproveita-se muito pouco.

A praia de Viña del Mar, por sua vez, não tem muita graça para os brasileiros. É muito fria. A água fica a 12°C no verão. Além disso, não é tão bonita assim.

Talvez seja melhor passar um dia em cada cidade. Recomendo fazer o tour apenas se você tiver tempo sobrando.

51. Vale a pena alugar roupas de inverno em Santiago?

Ao se dirigir aos centros de esqui, uma das primeiras paradas é nas lojas de locação de roupas de inverno. Nestas, além de pagar caro o aluguel, você também poderá pegar produtos não limpos e com defeitos. Eu encontrei, por exemplo, várias botas com as palmilhas desgastadas. Tive que pedir várias vezes para trocar até obter uma adequada.

O aluguel costuma sair por 8.000 pesos a peça, o que corresponde aprox. a R$ 40.

Se você vai visitar um centro de esqui por mais de um dia,  vale a pena adquirir as peças no Brasil ou, mesmo, em Santiago.

52. O que fazer em Santiago no inverno?

Santiago no inverno oferece um ambiente especial para você aproveitar um bom vinho, visitar uma vinícola e jantar num bom restaurante, além das atrações disponíveis no verão. Mas, no frio, o que Santiago oferece de melhor são os esportes de inverno.

Em Santiago, via de regra, não há neve. Para aproveitar a neve, você terá que procurar as estações de esqui que ficam nos arredores da metrópole. Dentre essas estações de esqui, destacam-se:

  • Valle Nevado: é a mais famosa estação de esqui, localizada a 65 km de Santiago. Em verdade, trata-se de um “ski resort” com opções de hotéis e restaurantes.
  • El Colorado: é uma estação de esqui com boas pistas de esqui localizada a cerca de 36 km de Santiago com altitude de 3.000 metros. É uma estação procurada por seus trajetos de nível básico e intermediário. Indicada para quem não tem muita familiaridade no esporte e quer fazer aulas.
  • Farellones: estação voltada para famílias e crianças. Possui atividades de inverno menos radicais, como, esquibunda, tubing, etc.
  • La Parna: estação pouco conhecida dos brasileiros, mais frequentada pelos chilenos. Está localizada a 38 km de Santiago. Possui pistas de esqui para todos os níveis: iniciante, intermediário, avançado e expert.
  • Portillo: a estação está localizada a 160 km de Santiago, bem próxima da fronteira com a Argentina. Trata-se de um complexo turístico com hotéis e lazer. O ideal é se hospedar nessa região.

53. Como é o passeio para Embalse El Yeso em Cajón del Maipo?

Primeiramente, é importante ressaltar que o Embalse el Yeso fica em Cajón del Maipo. São “coisas” diferentes. Cajón del Maipo é o nome de uma região cercada pelas Cordilheiras e banhada pelo rio Maipo. O centro dessa região é a cidade de San Jose del Maipo, onde você pode fazer algumas atividades como trekking e tirolesa. Entretanto, o destino final da maioria dos passeios para Cajón del Maipo é o Embalse el Yeso, o que acaba gerando uma certa confusão.

Vale ressaltar que algumas empresas incluem no passeio a visita à Cascata el Yeso e às Termas de Colina (somente no verão).

No caminho para o Embalse, uma rápida parada para as fotos sempre ocorre na Las Cascaras, um lugar abandonado que era utilizado como alojamento pelas pessoas responsáveis pela construção do Embalse.

Embalse é, na verdade, uma represa construída em 1964 que é a principal fonte de abastecimento de água potável de Santiago. E por que é tão visitada? Porque é uma paisagem incrível, tanto no verão quanto no inverno. A gigantesca represa de águas verde esmeralda reflete a belíssima cordilheira e faz com que você pare a cada minuto para apreciar a paisagem e tentar conseguir a melhor foto do lugar. Mas, já adianto: a foto não consegue capturar tanta beleza.

Fomos no inverno, época em que as pistas ficam escorregadias. Além disso, é complicado estacionar por lá. Por isso, sugiro contratar um tour organizado. Além da praticidade, a maioria deles oferece um café da manha com petiscos no final da visita. É importante ressaltar a necessidade de seguir as orientações de segurança e não ultrapassar as áreas demarcadas. O local ficou fechado por um tempo após um acidente com vítimas fatais por deslizamento de neve, porém já está reaberto com reforço das orientações de segurança.

54. Vale a pena visitar Farellones?

Sim. Definitivamente! Muito de nós não sabemos esquiar e o que queremos na verdade é brincar na neve. Farrelones foi construído para isso. Além das tradicionais pistas de esqui, com aulas para os iniciantes, o parque possuiu outras atrações. Você pode se divertir na tradicional tirolesa, fazer um “esquibunda”, descer um morro de 250 metros numa boia (tubing) e até mesmo andar numa bicicleta adaptada para a neve. Se ainda tiver pique, há uma imensa área livre onde você pode deitar e rolar na neve, fazer guerrinha com familiares e até construir seu boneco de neve.

  • Ressalto, entretanto, que a nossa experiência em Farellones não foi muito boa. Pegamos uma forte nevasca ao chegar lá e pudemos aproveitar muito pouco dessa estação. Não havia locais para se abrigar da nevasca, apenas uma pequena “casinha” onde muitas pessoas se amontoavam. Poucos corajosos decidiram se aventurar pela estação. A maior parte de nossos companheiros de viagem decidiu ficar na van aguardando a nevasca passar. Senti que o atendimento do parque também deixou a desejar.

Sugiro que você contrate um tour organizado, pois o caminho possui curvas muito fechadas que se tornam ainda mais perigosos quando está nevando. Não esqueça de comprar sua roupa de neve. Lembre-se que, para brincar, as roupas não precisam ser apenas quentinhas, mas também impermeáveis. E vale ressaltar que, embora não seja barato, achei o preço justo pelo que é oferecido! Em 2020, o ingresso custava 30.000 pesos chilenos por dia.

Não combine Farrelones com outras visitas (p. ex. Valle Nevado). Você perde muito tempo no deslocamento e deixa de aproveitar tudo o que o lugar tem para oferecer.

55. Até quando tem neve em Farellones?

As temporadas de neve no Chile variam de Junho a começo de Setembro. É importante confirmar nos sites oficiais quando elas ocorrerão. Por estar numa região mais baixa que o Valle Nevado, Farrelones costuma encerrar suas atividades mais cedo.

Restaurantes

56. Onde comer comida natural em Santiago?

Em Santiago, recomendo o restaurante Quinoa, localizado na região de Vitacura. Segundo o Tripadvisor, é o melhor restaurante de Santiago na categoria Saudável. O menu inclui saladas, sopas e outras comidas vegetarianas com preços razoáveis. Até quem não é vegetariano vai gostar dos pratos.

O local é bem decorado e fica na Avenida Luís Pasteur, não muito distante do Shopping Center Parque Arauco (14 minutos de caminhada), mas é afastado das estações de metrô.

Jantamos por lá em julho/2017 e provamos um delicioso Risoto de Quinoa acompanhado de Ragout de Champignons e de Queijo Parmesão.

57. Qual a melhor experiência gastronômica em Santiago?

O Peumayen Ancestral Food é a melhor experiência gastronômica em Santiago. O estabelecimento fica na Rua Constitución, no bairro BellaVista, famosa pelos seus diversos restaurantes, tais como, o Como Água para Chocolate, e os do Patio BellaVista.

No Ancestral, promove-se a culinária dos povos antigos do Chile. Trata-se de uma sequência de pratos de todas as regiões do país, de norte ao sul do Chile. Clique para saber mais sobre o Peumayen Ancestral Food.

58. Vale a pena comer no restaurante Giratório?

Localizado no 16° piso de um edifício no bairro da Providência, o Restaurante Giratório é um dos mais famosos de Santiago. As mesas do restaurante estão localizadas numa plataforma circular que gira lentamente completando os 360° em torno de 1 hora.

Conheci o restaurante na minha primeira visita a Santiago, em 2009, e não achei a experiência muito boa. Apesar do bom atendimento, achei a estrutura do restaurante um pouco antiga e a comida apenas razoável. A vista, por outro lado, nem é tão fantástica assim, quando comparada aos demais miradores de Santiago. Acaba pegando uma região de prédios antigos do bairro da Providência, mas a vista também depende do tempo e da qualidade do ar no dia.

De qualquer forma, vale a pena ler os relatos e opiniões mais recentes acerca do restaurante, tais como, os constantes do site Tripadvisor.

59. Vale a pena comer no mercado central de Santiago?

Mercado Central, próximo à Plaza de Armas, costuma ser indicado como visita obrigatória em Santiago. Muita gente já me recomendou comer um “Pastel de Mariscos” (ou outros frutos do mar) no famoso restaurante Donde Augusto.

Entretanto, se você pensa que vai encontrar um lugar como o Mercado Municipal de São Paulo, esqueça!

O mercado central de Santiago mais parece uma grande peixaria. Além do terrível cheiro de peixe, o entorno é feio e você ainda é abordado por muita gente na entrada.

Os principais restaurantes ficam na parte central do mercado, mas os preços não são bons e a comida é apenas razoável. Já foi bom comer por lá. Agora, nem tanto.

Compras

60. O que comprar em Santiago?

Em primeiro lugar, vale ressaltar que a noção de barato e caro pode se modificar dependendo da valorização ou não da nossa moeda. Por isso, após ler essas dicas, confirme se o câmbio ainda está favorável!

Lembre-se que, nas compras no cartão, terá que pagar IOF de 6,38%. Não poderá parcelar e também terá que tomar cuidado para não ultrapassar a cota de compras no exterior.

Além disso, temos mudado um pouco nosso mindset com relação a compras no exterior.

Tendo tudo isso em mente, vamos a alguns itens:

  • Perfumes e cosméticos: em 2018, costumavam ter um preço em torno de 20% mais barato. É necessário comparar antes de comprar.
  • Roupas em geral: as marcas de grife e as lojas de departamento famosas costumam ter quase o mesmo preço que no Brasil. Fomos a 2 Outlets nos arredores de Santiago e não achamos  nada que compensasse.
  • Roupas de inverno e artigos esportivos: aqui talvez haja alguma vantagem. Como os chilenos são muito adeptos das atividades outdoor você consegue encontrar boa variedade de marcas e modelos. As conhecidas The North Face e Columbia podem ser encontradas com valores até 50% mais baratos que no Brasil. Entretanto, cuidado com as falsificações. Compre em lojas confiáveis.
  • Vinhos chilenos: esses costumam ser bem mais baratos, com diferenças que podem chegar a 30 a 50%. Entretanto, lembre-se que você só pode entrar com 12 garrafas no Brasil. Outro ponto de atenção é que sua mala pode ficar muito pesada e consequentemente terá que pagar excesso de bagagem e alguma garrafa pode quebrar no trajeto. Sugiro que compre vinhos que não encontra aqui no Brasil.
  • Souvenirs: existem alguns artesanatos típicos do Chile que talvez valham a pena. São típicos da região os enfeites feitos de cobre, as roupas de lã de alpaca e também as joias de Lápis-lazúli.

61. Quais são os principais shoppings centers em Santiago?

Basicamente, são quatro os principais shoppings centers localizados na região central de Santiago. A sua maior parte fica no bairro Las Condes.

Mall Costanera Center

Mall Costanera Center é um dos maiores (se não for o maior) shopping de Santiago com uma imensa variedade de lojas e serviços. Está localizado nos primeiros andares do edifício Costanera Center, o mais alto da América Latina.

Parque Arauco

O Parque Arauco é um dos shoppings mais elegantes e mais famosos de Santiago, situado no bairro Las Condes. O shopping tem áreas abertas e fechadas e conta com restaurantes, lojas de departamento, teatro, cinema e outras facilidades.

Mall Sport

Mall Sport é um shopping center especializado em artigos esportivos, localizado também no bairro Las Condes.

Alto Las Condes

Alto Las Condes é um shopping moderno localizado no bairro Las Condes, na mesma avenida do Parque Arauco. O shopping contém lojas de departamento, restaurantes, cinema  e uma unidade do supermercado Jumbo. O destaque do shopping é o Mirante com vista para a cidade.

62. Como funcionam os descontos para turistas nos shoppings?

Alguns shoppings centers em Santiago, como o Parque Arauco e o Mall Costanera Center, dispõem de descontos especiais para turistas, que giram em torno de 10 a 15% conforme o estabelecimento. Não deixe de aproveitar!

Para usufruir destes descontos, você deve identificar-se no balcão de informações do Shopping e os atendentes informarão as lojas e restaurantes que dispõem dessas ofertas. Eu mesmo aproveitei descontos em torno de 10% em restaurantes de ambos os shopping centers.

63. Onde comprar roupas de inverno em Santiago?

As roupas de inverno costumam ser mais baratas que no Brasil. Além disso, com certeza, você encontrará mais variedade de modelos e numeração, além de serem roupas adequadas para enfrentar temperaturas baixas. Mas, pense bem se vale o investimento!

As lojas de departamento são bons lugares para encontrar roupas a bons preços. Você encontrará facilmente uma H&M, Fallabela, Paris e Ripley caminhando por Santiago e tenho certeza que alguma peça caberá no seu bolso.

Para quem deseja roupa de frio de boa qualidade, pode procurar as lojas de marcas como The North Face, Columbia e Merrel, nos principais shoppings citados na pergunta 61.

Existem também roupas a preços bem populares no Bairro Patronato, porém, valem o que pagamos!

Outra opção interessante são os brechós. Muitas pessoas falam da qualidade das roupas vendidas nesse tipo de loja, porém, infelizmente, não visitamos nenhuma delas.

Lembre-se, porém, que as roupas de frio não servem para você brincar na neve. Nesse caso são necessárias roupas impermeáveis.

64. Vale a pena visitar os Outlets ao redor de Santiago?

Em Santiago, você vai ver muita propaganda do BuenaVentura Premium Outlet, um outlet da mesma rede do famoso shopping center Parque Arauco, que fica em Las Condes. Está distante de 20 a 25 km de Las Condes, conforme o trajeto, e fica na Av. San Ignacio, em Quilicura, Região Metropolitana de Santiago. Na mesma avenida, estão outros outlets como o Outlet Quilicura e o Easton Outlet Mall.

Vale a pena? Não. Se você está esperando algo como os Outlets dos Estados Unidos, esqueça.

Você até vai encontrar lojas famosas como Guess, Nike e United Colors of Benetton, dentre outras, mas os preços estão, em geral, mais altos que no Brasil. É preciso garimpar bastante para obter algum produto com preços mais em conta.

Pode até ser vantajoso para os chilenos, mas para os brasileiros, em geral, não é! Além disso, você irá gastar uma grana de Uber ou de Taxi para ir e voltar.

65. Existem locais de compras populares em Santiago?

O bairro Patronato é famoso pelo comércio de rua em Santiago. Muito semelhante à região do Brás e da Rua José Paulino, em São Paulo, o bairro contempla um conjunto de lojas populares especialmente de roupas, bolsas e calçados. Os preços são bem mais em conta que os dos Shoppings Centers, mas não espere muito luxo ou roupas de grife.

Além das lojas de rua, existe o Centro Comercial Paseo Santa Filomena com diversas lojas e serviços.

Recomenda-se visitar o bairro Patronato em dias de semana. Nos sábados, o local costuma ficar muito lotado. Para chegar no bairro, basta descer na estação Patronato (linha 2) do metrô.

66. É mais barato comprar vinhos em Santiago?

Os preços dos vinhos chilenos em Santiago costumam ser de 30 a 50% mais baratos em relação aos preços no Brasil. Vejamos três exemplos.

Vinho Preço no Brasil Preço no Chile Economia
Marques de Casa Concha Cabernet Sauvignon R$ 129,90 (Superadega) 12.990 CLP – aprox. R$ 89 (El Mundo del Viño) 31,5%
Viu Manent Secreto Gran Reserva Cabernet R$ 95,69 (Carrefour) 9.990 CLP – aprox. R$ 68 (El Mundo del Viño) 29%
Toro de Piedra Gran Reserva Cabernet Sauvignon R$ 99,00 (Americanas) 39.900 CLP (caixa com 6 unidades) – aprox. R$ 45,30 por garrafa (La Vinoteca) 54,2%

67. Quais são os vinhos bons e baratos para comprar no Chile?

Vinho bom e barato é não é fácil encontrar em qualquer lugar, mas, no Chile, é possível encontrar alguns rótulos com excelente custo-benefício. As marcas que recomendo são as seguintes: Montes, Viu Manent, Concha y Toro, Perez Cruz e Casa La Postole.

Cada uma das marcas, tem diversas linhas de vinhos. Mas, nunca escolha a linha de entrada como, por exemplo, a linha Reservado. Opte sempre por um vinho da linha Reserva ou Gran Reserva. Ao escolher uma linha intermediária, você obtém um vinho de qualidade sem precisar pagar muito. Em qualquer caso, antes de comprar, não deixe de conferir a nota do vinho no aplicativo Vivino. Eu, por exemplo, só compro vinhos com nota acima de 3.5/5.

68. É barato comprar vinhos no DutyFree do Aeroporto de Santiago?

Nem sempre. Você deve estar atento aos preços e às promoções. Observe um exemplo.

No Duty Free do Aeroporto de Santiago, uma garrafa do vinho Finis Terrae da Cousiño Macul custa U$ 27,50, o que em reais equivale a R$ 145,00 (cotação do Google). No Brasil, a garrafa custa R$ 168 na Adega Bartolomeu, o que representa uma pequena diferença de preço (15%).

Se considerarmos, ainda, o IOF incidente sobre a operação feita com cartão de crédito (6,38%), a diferença de preço fica pequena e torna a compra pouco atraente. Além disso, você ainda tem que fazer o transporte para o Brasil, correndo o risco de quebrar a garrafa no caminho.

Por outro lado, existe uma promoção no Duty Free em que você compra 3 vinhos e paga 2. Neste caso, o preço de cada garrafa passaria a ser R$ 96,70. Nesse caso, a economia em relação ao preço no Brasil seria de 42,4%, já compensando a compra no Duty Free.

Author

Apaixonado por viagens e por fotografia. Começou a descobrir o mundo há 10 anos e já visitou 71 países. Gosta de caminhar a esmo pelas cidades mundo afora, observando as pessoas, as comidas, as construções e a arquitetura. É formado em Engenharia e Direito.

Pin It