Uma das atividades que recomendo em Cartagena das Índias, na Colômbia, é fazer um Free Walking Tour no Centro Histórico. Durante a nossa visita à cidade, vivemos essa experiência e a compartilhamos aqui com nossos amigos leitores.

Nas principais cidades mundo afora, há grupos de pessoas que oferecem  passeios a pé, percorrendo os principais pontos de interesse. São os chamados ‘Free Walking Tours’. Em verdade, os tours não são gratuitos, pois, apesar de não cobrarem nenhuma taxa, eles esperam uma gorjeta ao final do trajeto.


Sobre a Colômbia, leia também:


Free Walking Tour no Centro Histórico de Cartagena

Fizemos nosso passeio com o Free Tour Cartagena, uma empresa que recebeu Certificado de Excelência do Tripadvisor nos últimos 4 anos.

Nesse walking tour, é feita uma introdução à história de Cartagena das Índias desde a era pré-colonial até a independência do país.

Nossa guia, a Sra. Imera, foi muito atenciosa, extremamente profissional e demonstrou ter um conhecimento profundo sobre a cidade, seus habitantes e sua história. Ela também conhecia muito sobre a história do Brasil.

A guia deixou claro vários conceitos que eu simplesmente desconhecia. Por exemplo, qual a diferença de uma muralha e um baluarte; qual a diferença entre um escravo e um escravizado; o que é um palenque etc.

A propósito, a escravidão negra é um tema muito importante na história de Cartagena. De fato, na cidade observa-se uma proporção muito maior de negros  que em Bogotá, pois, embora a maioria dos negros escravizados que passavam por Cartagena fossem levados para as fazendas ou para as minas em outras localidades, uma parcela ficava na cidade, trabalhando nas casas da elite local.

Posso afirmar, sem dúvida, que a minha experiência em Cartagena teria sido muito pobre se não tivesse feito esse tour. Impossível não se apaixonar por esse Patrimônio Mundial.


Leia também:


Percurso

O tour começa na Plaza Santa Teresa e dura 2 horas. São dois horários disponíveis: 10hs (manhã) e 16hs (tarde), todos os dias. Há tours em inglês e em espanhol.

É muito fácil encontrar os guias, basta procurar um guarda-sol amarelo.

A seguir, descrevemos os principais pontos visitados.

1. Plaza Santa Teresa

Plaza Santa Teresa, Cartagena das Índias
Plaza Santa Teresa, Centro Histórico de Cartagena

Começamos o nosso percurso na Praça Santa Teresa. Inicialmente, uma explicação básica sobre a fundação de Cartagena e a sua importância histórica.

Em razão da proteção natural oferecida pelas suas baías externa e interna e pelas mais de 20 ilhas que a circundam, Cartagena era o local ideal para a instalação de um entreposto comercial do Império Espanhol.

Todas as mercadorias que chegavam às colônias espanholas da América do Sul passavam por lá antes, inclusive os negros escravizados vindos da África.  Por outro lado, todos os tesouros recolhidos da América do Sul, antes de serem enviados para a Espanha, também faziam uma parada obrigatória em Cartagena.

Nesta praça, três pontos merecem destaque: o Hotel Charleston, o Museu Naval e a Estátua da Índia Catalina.

O Hotel Charleston é um dos mais chiques do centro histórico. Foi um antigo Convento das Carmelitas. Ao longo da história, foi também uma fábrica e uma escola.

O edifício onde hoje se encontra o Museu Naval foi o primeiro colégio de Cartagena. Era dedicado aos filhos de espanhóis. Foi também base militar e uma fábrica de canhões. Há uma lenda de que existe um fantasma no prédio.

Estátua da Índia Catalina, Festival Internacional de Cinema de Cartagena
Estátua da Índia Catalina, Festival Internacional de Cinema de Cartagena

A Índia Catalina é o símbolo de Cartagena. Foi raptada quando criança (1509) e conduzida a Santo Domingo, na atual República Dominicana, onde adquiriu os costumes, as crenças e a língua espanhola.

Retornando à sua terra, por conhecer tanto a língua castelhana quanto as línguas indígenas, atuou como tradutora e intermediária entre os espanhóis e os indígenas.

A estátua da índia está situada em frente ao prédio do Festival Internacional de Cinema de Cartagena. Foi retratada com características semelhantes a do Oscar americano, mas bem diferente das suas características originais.

2. Baluarte de São Inácio

Baluarte de São Inácio de Loyola, Centro Histórico de Cartagena
Baluarte de São Inácio de Loyola, Centro Histórico de Cartagena

Da praça Santa Teresa, seguimos até o Baluarte de São Inácio de Loyola, que foi a fortificação mais atacada de Cartagena.

Um baluarte (ou fortificação) não é o mesmo que muralha. Os baluartes possuem guaritas, canhões, tendas para as tropas e rampas de acesso. É uma estrutura defensiva que fica nas esquinas e costumar ter um formato pentagonal. Entre os baluartes, pode haver cortinas de muralhas.

Portanto, tecnicamente, Cartagena das Índias não é uma cidade amuralhada, mas uma cidade abaluartada.

Hoje, o Baluarte de São Inácio de Loyola fornece permite a observação da região do Centro de Convenções de Cartagena (onde, a propósito, foi assinado o acordo de paz com as FARCs) e do La Bodeguita (Porto).

3. Plaza San Pedro Claver

Estátua de San Pedro Claver com negro escravizado, Cartagena das Índias
Estátua de San Pedro Claver com negro escravizado

De lá, seguimos para a praça San Pedro Claver.

Pedro Claver foi um padre jesuíta espanhol que se destacou por aliviar o sofrimento dos negros escravizados trazidos da África. Por ano, chegavam de 12 a 14 navios negreiros em que os negros eram transportados em condições sub-humanas. Os grupos eram formados por negros de diferentes tribos africanas, não permitindo que eles se comunicassem.

Igreja de San Pedro Claver, Centro Histórico de Cartagena
Igreja de San Pedro Claver, Centro Histórico de Cartagena

Pedro Claver chegou a comprar negros escravizados que funcionavam como intérpretes do missionário. Em 1747, foi canonizado pela Igreja Católica pois suas virtudes foram consideradas heroicas.

No local, encontra-se uma estátua do missionário, bem como a Igreja de San Pedro Claver, onde estão os seus restos mortais.

Estátua de Metal da Palenquera
Estátua de Metal da Palenquera, Centro Histórico de Cartagena

Na praça, o turista também pode observar as obras de arte feitas em metal representando moradores locais, incluindo as famosas Palenqueras.

Palenqueras são mulheres vestidas de cores chamativas que comercializam frutas na cidade histórica (ou se oferecem para fotos mediante o pagamento de uma gorjeta). São oriundas de São Basílio de Palenque, uma comunidade onde negros escravizados se refugiavam, equivalente aos quilombos do Brasil.

  • Clique aqui para ver uma foto de uma palenquera em Cartagena.

4. Plaza de la Aduana

Plaza de la Aduana, Centro Histórico de Cartagena
Plaza de la Aduana

A próxima parada foi na Plaza de la Aduana. Trata-se da maior e mais antiga praça de Cartagena. Está localizada em frente à Casa de la Aduana, uma edificação de dois andares que funcionou como alfândega durante o período colonial.

A casa está localizada na Cortina de Muralha que conecta os baluares de São Inácio e de San Juan Evangelista.  Antes de funcionar como Real Aduana, a casa foi residência de Pedro de Heredia, fundador de Cartagena.

Porta da Aduana, Plaza de la Aduana
Porta da Aduana, Plaza de la Aduana

As mercadorias, inclusive os negros escravizados, vinham de barcos menores até a Porta da Aduana, onde era realizado o desembaraço aduaneiro. Os barcos maiores ficavam ancorados à distância.

Na praça, encontra-se atualmente uma estátua em homenagem a Cristóvão Colombo.

No local, conhecemos, ainda, a chamada Pedra Coralina, um material usado para as construções coloniais, composto de vários tipos de corais. Substituiu o “barenque”, que era duro, mas muito inflamável.

Pedra Coralina, Cartagena de Índias
Pedra Coralina, Cartagena

Além disso, observamos que as edificações da cidade histórica eram de dois pisos. O piso inferior era usado para garagem e o piso superior para moradia. Lembrando que na cidade histórica residia a elite colonial.

Outro ponto a ser observado é que as edificações com balcões de madeira são da época colonial, as com balcões de cimento são da época republicana.

5. Plaza de los Coches

Plaza de los coches, Cartagena, Colômbia
Plaza de los Coches, Cartagena, Colômbia

A Plaza de los Coches é a praça a que se tem acesso imediato pela Torre do Relógio. No local, funcionava o antigo mercado de escravos. O preço do escravo no local chegava a ser de 70 vezes o valor original na África.

É a praça mais central da cidade histórica e já teve vários nomes: Plaza del Juez, Plaza del Esclavo, Plaza del Mercaderes e Plaza de la Yerba.

A Plaza de los Coches recebeu este nome em razão de um decreto da alcadía no final do século XIX que permitiu o estacionamento de carros no local.

Atualmente, encontra-se, na praça, uma estátua de Pedro de Heredia, fundador de Cartagena.

Nas arcadas da construção em frente à praça, encontra-se “El Portal de los Dulces”, um caminho com várias barraquinhas de doces. Que tal um Dulce de leche?

6. Plaza de las Negras

Torre del Reloj y Plaza de las Negras, Cartagena de Índias
Torre del Reloj y Plaza de las Negras

A “Plaza de la Paz” também chamada de “Plaza de las Negras” era um local onde as negras livres ou escravizadas eram autorizadas ou obrigadas por seus donos a comercializar a varejo frutas, verduras ou carnes. Era o chamado “Negro Jornalero”.

7. Plaza de la Proclamación

Seguimos, então, para a Praça da Proclamação. Aqui foi o local onde, em 11 de novembro de 1811, a população se reuniu para firmar a ata de Independência de Cartagena em relação à Espanha. Era o segundo território do Império Espanhol a se declarar livre. Está situada ao lado da Catedral de Cartagena (próxima atração).

Em 1815, o chamado Estado Livre de Cartagena foi reconquistado pelo Império Espanhol. A Independência da Gran Colômbia só ocorreu, de fato, anos depois com a atuação de Simón Bolivar (1819).

8. Catedral de Santa Catalina de Alexandria

Catedral Metropolitana de Cartagena
Catedral Metropolitana de Cartagena

A Catedral Metropolitana Basílica de Santa Catalina de Alexandria, também chamada de Catedral de Cartagena, é a sede do Arcebispado de Cartagena. O templo é composto por três alas, divididas por colunas. Começou a ser construída em 1577 e só foi terminada em 1612.

Catedral Metropolitana de Cartagena, Centro Histórico de Cartagena
Catedral Metropolitana de Cartagena

À noite, é incrível vê-la toda iluminada. Ao lado da Catedral, está uma estátua do Papa João Paulo II.

9. Plaza Bolívar

Também chamada de Parque de Bolívar, é um parque urbano localizado no centro histórico de Cartagena. No passado, foi chamada de Plaza Mayor, sendo o local onde se realizavam cerimônias militares. Em 1896, foi instalada uma Estátua do Libertador Simon Bolívar montado em um cavalo.

Atualmente, é um local arborizado, bem agradável em que podemos nos refrescar do calor de Cartagena.

10. Palacio de la Inquisición

Palacio de la Inquisición, Centro Histórico de Cartagena
Palacio de la Inquisición, Centro Histórico de Cartagena

O Palácio da Inquisição é onde funciona atualmente o Museu Histórico de Cartagena.

Trata-se, definitivamente, de uma atração que vale a visita, mas que não pudemos fazê-la durante o nosso Walking Tour. Deixamos para visitá-la à tarde. O ingresso custa 21.000 pesos.

Em 1610, foi instalado o Tribunal das Penas do Santo Ofício em Cartagena, ocupando duas casas baixas na antiga Plaza Mayor (atual Praça Bolívar). O tribunal tinha por finalidade julgar os crimes contra a fé religiosa, mas, é importante dizer, nunca reconheceu pessoas inocentes. Quatro anos depois da sua instalação, já houve o primeiro “Auto de Fé” (1614).

O auto de fé era um ritual público que tinha como objetivos: inspirar o temor na população que o assistia; fazer com que o condenado demonstrasse arrependimento e se reconciliasse com a fé católica; e entregar o condenado às autoridades seculares para a execução das penas de morte.

Pátio do Palácio da Inquisição, Cartagena de Índias
Pátio do Palacio de la Inquisición

Em 1770, sobre os cimentos das antigas casas baixas, edificou-se o que hoje se conhece como Palácio da Inquisição, composto por três casas baixas e uma casa alta. Em 1811, com a declaração de independência de Cartagena, a inquisição foi abolida.

Na América Espanhola, foram instituídos três Tribunais do Santo Ofício: o de Lima, o do México e o de Cartagena. Cada um tendo jurisdição sobre uma determinada região.

Dentre os delitos perseguidos, encontram-se as praticas religiosas do luteranismo, judaísmo e o “maometismo”, a bigamia, os sortilégios, as profanações, a usura, a leitura ou circulação de livros proibidos, a feitiçaria e a bruxaria. Como se sabe, a tortura era uma pratica muito comum para fazer os investigados confessarem.

Janela onde eram feitas as Denúncias, Palácio da Inquisição, Cartagena de Índias
Janela onde eram feitas as denúncias, Palácio da Inquisição

Na parte externa do prédio, havia uma janela onde eram feitas as denúncias. As espanholas casadas eram as principais denunciantes (denunciavam quando seus maridos as traíam com as negras). A janela estava numa altura tal que elas faziam as denúncias sem necessitar desembarcarem das carruagens.

Em 211 anos de funcionamento, mais de 800 réus foram processados no Tribunal de Cartagena. Foram realizados 56 autos de fé e 5 pessoas foram queimadas vivas. A nossa guia, entretanto, não acredita nesta última informação. Entende que o número de pessoas queimadas foi muito maior.

O Museu Histórico de Cartagena é dividido em duas partes: a parte térrea, dedicada à Inquisição, e a parte alta, dedicada à história de Cartagena. Eu, sinceramente, achei as salas dedicadas à inquisição muito mais interessantes.

11. Plaza e Igreja de Santo Domingo

Plaza Santo Domingo, Centro Histórico de Cartagena
Plaza Santo Domingo

A Plaza de Santo Domingo é uma das praças mais visitadas do centro histórico de Cartagena, com muitos restaurantes, bares ao ar livre e artistas. A praça recebeu o nome em função da Igreja de Santo Domingo, a mais antiga da cidade, fundada em 1570.

A praça é repleta de mesas coloridas de restaurantes da região, o que torna aquela paisagem urbana ainda mais agradável.

Escultura Gorda Gertrudis, Plaza Santo Domingo, Centro Histórico de Cartagena
Escultura Gorda Gertrudis, Plaza Santo Domingo

No local, encontra-se a escultura da “Gorda” Gertrudis, de Fernando Botero, um dos artistas mais famosos da Colômbia. A estátua, feita de bronze, parece estar tomando sol.

É um erro afirmar que Botero só trabalha com pinturas ou esculturas de pessoas gordas. Em verdade, Botero trabalha com grandes volumes e proporções, o que se aplica tanto às pessoas, animais ou paisagens.

Existe uma lenda local de que os homens que tocarem os seios e as nádegas da Gertrudes com as duas mãos terão uma grande noite de amor.

Não custa tentar!

12. Claustro de La Merced

Mausoléu de Gabriel Garcia Marques, Claustro de la Merced, Centro Histórico de Cartagena
Mausoléu de Gabriel Garcia Marques, Claustro de la Merced

Nossa última parada foi no Claustro de La Merced, edificação construída em 1615. Está localizado ao lado do Teatro Heredia, onde ficava a antiga Igreja. Ambas as construções formavam o Convento de la Merced.

Ao longo do tempo, o Claustro serviu como sede de batalhão, como prisão e, em 1907, como tribunal de justiça. Atualmente, pertence à Universidade de Cartagena.

Teatro Heredia, Centro Histórico de Cartagena
Teatro Heredia

Desde maio de 2016, abriga, no centro do pátio, o mausoléu com as cinzas de Gabriel Garcia Marques, um dos mais famosos escritores colombianos e Prêmio Nobel de Literatura (1982). O autor viveu em Cartagena durante os anos de 1948 e 1949, fugindo da violência que assolava Bogotá. Seus livros tem alguns pontos de contato com as histórias que o autor viveu na cidade.

No antigo Claustro, está sendo instalado o Espaço Cultural Gabriel Garcia Marquez.

Resumindo

Para quem aprecia história, fazer um Free Walking Tour no Centro Histórico de Cartagena é, sem dúvida, uma experiência muito enriquecedora. É uma das atividades que você não pode deixar de fazer na cidade.

Apaixonado por viagens e por fotografia. Começou a descobrir o mundo há 10 anos e já visitou 71 países. Gosta de caminhar a esmo pelas cidades mundo afora, observando as pessoas, as comidas, as construções e a arquitetura. É formado em Engenharia e Direito.

2 Comments

  1. carmensueli Reply

    GOSTARIA DE RECEBER OS HISTÓRICOS DE SUAS VIAGENS !! AMEIII

    • Luciana Mardegan Reply

      Oi Carmem, que bom saber que você gostou dos nossos relatos!!!!! O que você gostaria que enviássemos? Se tiver qq duvida ou precisar de ajuda com suas viagens, fique à vontade para nos chamar no instagram @classeturista ou, nos mandar um email para o classeturista@gmail.com. Será um prazer poder conversar com você e ajudá-la! Bjo

Escreva seu Comentário

Pin It