Maximizar a experiência de viagem é um dos objetivos daqueles que viajam por conta própria. Afinal, viajar é se enriquecer! É ficar rico em experiências e em boas recordações. Seja no Brasil ou no exterior, viajar é conhecer lugares, pessoas, culturas e sabores diferentes. Ao voltar de uma viagem, você certamente não será a mesma pessoa!

Neste artigo, ofereço algumas dicas para que você torne a sua viagem ainda mais enriquecedora.

1. Contate um local

Nada melhor que conhecer um destino pelo ponto de vista de um local. É muito mais fácil você descobrir como é, de fato, a vida e a cultura do lugar visitado. É conhecer destinos que  não são batidos e também não ficar atado a nenhum roteiro pré-formatado.

Os guias turísticos, em geral, te oferecem uma visão “romantizada” do destino e te levam para aqueles pontos turísticos tradicionais.

Para isso, recomendo muito se inscrever no Couchsurfing, uma rede social  em que você poderá conhecer e até fazer amizades com pessoas do mundo todo. O site viabiliza que você se hospede gratuitamente na casa de um nativo. Entretanto, você pode simplesmente combinar com alguém para tomar um café ou dar uma volta pela cidade. O Couchsurfing é um site gratuito, e baseia-se na reciprocidade.

Conheci 3 pessoas excepcionais por meio deste site. Recomendo! Ressalto, entretanto, que nunca me hospedei na casa de ninguém via esse site!

2. Faça um Free Walking Tour

Outra recomendação para maximizar sua experiência de viagem é fazer um Free Walking Tour. Na maioria das cidades mundo afora, há grupos de pessoas que oferecem estes passeios à pé, passando pelos principais pontos de interesse. Em alguns você nem precisa reservar antes; pode simplesmente aparecer no local e horário marcado para iniciar o tour.

Os tours não são, de fato, gratuitos, pois, apesar de não cobrar nenhuma taxa, eles pedem uma gorjeta ao final do trajeto.

Você também poderá fazer free walking tours temáticos: tours de comida, de história ou de artes urbanas, por exemplo.

Uma vantagem deste tipo de tour é que os “guias” dão o melhor de si para tornar a sua experiência o mais interessante possível e, com isso, obter uma gorjeta mais generosa. Apesar de não necessariamente habilitados para a atividade de turismo, a maioria deles costuma ter uma conduta bem profissional.

  • Eu gostei muito dos free walking tours que fiz em Kiev, na Ucrânia; em Cartagena e em Bogotá, na Colômbia.

De qualquer forma, procure ler as avaliações sobre o tour desejado que estão disponíveis na internet.

  • Fique atento: Observei que alguns free walking tours na Europa só tem fins comerciais e, na verdade, são promovidos por empresas de turismo. Evidência disso é que, se não houver um número suficiente de pessoas, o tour não se realiza. Ademais, fazem uma “parada técnica” num café para divulgar os demais tours não gratuitos da empresa. Exemplos, os free walking tours de Cracóvia, na Polônia; e de Tbilisi, na Geórgia.

3. Aprenda a língua do destino

Inglês é uma língua básica para quem viaja ao exterior. Antes de desbravar terras estrangeiras, não deixe de estudar pelo menos o básico da língua inglesa.

Nos locais turísticos como hotéis, aeroportos, restaurantes e atrações mais importantes, como regra, as pessoas vão falar inglês em qualquer parte do mundo.

A despeito de a língua inglesa estar cada vez mais acessível, nem todo mundo fala inglês, especialmente, nas cidades do interior. Tive, por exemplo, uma imensa dificuldade para conversar com os atendentes de um hotel em Harbin, na China.

Aprender a língua do destino pode tornar sua experiência de viagem muito mais proveitosa. Mesmo sem falar fluentemente a língua local, você conseguirá se virar muito mais tranquilamente. Isso é tão mais importante quanto menos os habitantes locais falarem o inglês. Caso contrário, você terá que ficar dependente de guias turísticos.

Poxa, como vou aprender essas línguas “estranhas” ou difíceis como Mandarim, Russo, Tailandês, Farsi, Árabe e Alemão, dentre outras?

A minha dica é usar o curso chamado Pimsleur, disponível para várias línguas. São aulas em áudio de 30 minutos onde perguntas e respostas, repetidas exaustivamente, fazem com que você possa falar e entender sentenças simples. Você não vai aprender a escrever ou a ler, mas vai conseguir ter uma conversação básica.

4. Leia sobre a história e a cultura local

Várias atrações turísticas, especialmente as do velho continente, recebem visitantes em função de sua importância histórica. Conhecer a história local poderá tornar sua visita muito mais proveitosa. Vai permitir, por exemplo, que você compreenda o verdadeiro significado de uma construção, de uma ruína, de uma obra de arte e de outros objetos históricos visitados, ou encontrados em um museu. Afinal, de que adianta ver tudo isso e não saber qual o seu significado ou o que está por trás?

Aprender a história também ajuda a entender o que se passa no presente e um pouco da cultura do local.

Ler as notícias locais e saber a realidade local te ajudará também a se conectar com os seus habitantes, tornando mais proveitosa essa experiência de troca cultural. Vão ter muito mais sobre o que falar!

5. Planeje a sua viagem

Planejar sua viagem é essencial se você viaja por conta própria.

Pesquise antecipadamente sobre o lugar que você pretende visitar: suas atrações, riscos, costumes e exigências para os visitantes. Com base nessas informações você planeja sua viagem, antecipando-se aos problemas e maximizando a sua experiência.

6. Leia relatos nos blogs de viagem

Os Relatos de viagem constituem uma rica fonte de pesquisa sobre o destino turístico. Os relatos dos blogs de viagem te apresentam uma visão mais realística do que você vai enfrentar no seu destino e informações que geralmente não constam nos guias de viagem.

Obviamente, cada blogueiro faz uma apreciação subjetiva de determinado lugar ou situação. Alguns são mais deslumbrados, outros mais pessimistas. Na média, entretanto, você terá um bom conjunto de informações para fazer os seus próprios planos.

7. Use o Tripadvisor

O Tripadvisor é, sem dúvida, o aplicativo que mais uso durante as minhas viagens. Seja para identificar as melhores atrações ou para descobrir os bons restaurantes, especialmente aqueles que estão ao redor.

O app também será muito útil para quem deixou de fazer o dever de casa, o planejamento.

8. Tenha um chip de celular

Para todos os países que for visitar, recomendo adquirir um chip de celular (Sim Card) com pacote de dados.

Ter internet móvel é essencial para você se deslocar pela cidade por conta própria, para que você possa se comunicar com seus amigos de viagem, para que você utilize um aplicativo de transporte e para que você encontre e faça reservas nas melhores atrações e restaurantes.

9. Utilize aplicativos de viagem no celular

Há vários aplicativos de celular que te auxiliam muito no dia-a-dia das viagens. Por exemplo, quando você está numa cidade desconhecida, uma atração interessante pode estar ao seu lado e você nem se dá conta.

Eu, particularmente, utilizo muito o Google Maps, o Uber, o Tripadvisor e o Google Translator.

Na China continental (mainland), infelizmente, alguns aplicativos são bloqueados. Você terá que instalar aplicativos alternativos!

10. Use os meios de transporte públicos e caminhe pela cidade

Com algumas exceções, utilizar o transporte público facilita o seu deslocamento pelas cidades, especialmente em localidades com trânsito muito intenso.

Mas, o ponto aqui é outro. Andar de trem, metrô, ônibus ou tram permite que você veja a vida local como ela realmente é.

Outra recomendação, na mesma linha, é caminhar pela cidade. Desbrave as ruas, aprecie as lojas, pessoas e construções. Sinta a energia do local!

11. Scams e Tourist Traps

Para evitar cair numa cilada, informe-se, antecipadamente, sobre quais os scams (golpes) que os turistas estão sujeitos e quais são as principais tourist traps (furadas).

Em todos os lugares, nos países desenvolvidos ou não, nas cidades grandes, médias ou pequenas, sempre há algum golpe ao qual os visitantes estão sujeitos.

Para evitar chateações, não custa fazer uma rápida consulta sobre o assunto na internet.

Por outro lado, algumas atrações famosas são verdadeiras furadas para os turistas, seja porque não tem a menor graça, seja porque atraem uma multidão, tornando a visitação muito desconfortável.

Obviamente, isso é uma apreciação subjetiva, ou seja, cada um tem sua opinião. Leia as avaliações (reviews) da atração e selecione aquelas que mais te encantam. Os blogs de viagem também são uma rica fonte de informações para evitar as furadas e perrengues de viagem.

Resumindo…

Seguindo essas dicas, você irá maximizar a sua experiência de viagem, absorvendo o que o seu destino tem de melhor para te oferecer.

Apaixonado por viagens e por fotografia. Começou a descobrir o mundo há 10 anos e já visitou 71 países. Gosta de caminhar a esmo pelas cidades mundo afora, observando as pessoas, as comidas, as construções e a arquitetura. É formado em Engenharia e Direito.

Escreva seu Comentário

Pin It