Nos últimos 10 anos, os brasileiros passaram a viajar mais pelo Brasil e pelo mundo. Isso ocorreu por uma série de fatores, tais como, o aumento do poder aquisitivo dos brasileiros e a desregulamentação das tarifas aéreas. Mas, isso talvez seja assunto para um outro post. O ponto aqui é outro!

O fato é que muitos de nossos pais, tios(as) e, até mesmo, avós passaram a ter a oportunidade de viajar, o que era inviável quando estavam na “flor da idade”. Aqui me refiro às viagens mais longas e de avião, pois, à época deles era comum viajar de carro ou de ônibus para a praia, para o campo ou para a fazenda.

Viajar para o exterior envolve uma série de procedimentos e cuidados que os idosos não estão acostumados, isso sem falar na barreira linguística.

Neste post, vamos passar algumas dicas para que você, jovem, que vai viajar com idosos, tenha uma viagem tranquila e agradável. São lições que aprendi fazendo várias viagens com idosos nos últimos 10 anos.

1. Paciência

A primeira dica que eu dou para quem vai viajar com idosos é ter paciência.

Afinal, alguns deles reclamam um pouco (é verdade que há muitos jovens que também o fazem). Seja da comida ou do hotel, eles podem estar desconfortáveis com o “novo”.

Além disso, eles não têm a mesma agilidade e disposição dos mais jovens. Para isso, o melhor remédio é ter paciência e não se estressar.

2. Contratar tours ou pacotes

Contratar passeios de um dia é a segunda principal dica para quem vai viajar com idosos. Imprevistos acontecem em qualquer viagem e podem até torná-la mais divertida, entretanto, quando viajamos com pessoas de mais idade, nem sempre a mudança de rumo é tão rápida e fácil.

Por isso, ter um tour já contratado e alguém que possa organizar e assumir o controle desses imprevistos ajuda bastante. Evita desgastes desnecessários.

3. Passeios sem grande impacto

É um tanto óbvio, mas é sempre bom lembrar que os idosos não tem a agilidade dos jovens e, por isso, deve-se evitar passeios que exijam muita caminhada ou muitos trechos de ladeiras, etc.

Aventuras Radicais? Nem pensar! Eles podem até se lesionar se submetidos a um trajeto muito desgastante.

No tocante à locomoção, onde for possível e viável, prefira taxi ou outro transporte privado aos transportes públicos. Entretanto, em havendo transporte público de boa qualidade ou sendo trânsito muito caótico, a opção pelo meio de transporte coletivo continua válida.

4. Orientação prévia quanto ao itinerário, preços e horários

Via de regra, os idosos acabam seguindo nosso itinerário no dia-a-dia, ou seja, eles têm pouca autonomia. Em razão disso, é importante deixar muito claro para eles o trajeto que será percorrido e os horários.

Eles podem se encantar demais com determinadas atrações e vocês podem deixar de cumprir tudo o que foi planejado.

Ah, não se esqueça de orientá-los, também, quanto aos preços das atrações.

5. Seguro-saúde

Ninguém deve viajar ao exterior sem seguro-saúde, ainda que seja aquele fornecido pelo cartão de crédito. A preocupação deve ser ainda maior quando se trata de idosos, pois a chance deles ficarem doentes é ainda maior.

6. Quarto single ou privativo

Conforme envelhecemos, vamos ficando cheios de “manias”, inclusive, na hora de dormir. Ar-Condicionado, Iluminação ou cheiro do quarto, tudo isso pode incomodar os idosos. Ademais, o próprio horário de sono pode ser diferente dos mais jovens.

Em razão disso, verifique a possibilidade de alocar um quarto single para eles, onde possam ficar à vontade. Só não esqueça de passar o número do seu quarto e ensiná-los como ligar para você!

7. Quase ninguém entende português lá fora…

Passamos por várias situações em que nossos parentes da terceira idade tentavam falar em português com atendentes de lojas, repetindo inutilmente algumas palavras chaves e sem conseguir o que queriam!

A dica é aprender algumas palavras básicas na língua do país que está indo visitar ou apelar para a mímica.

8. Não levar frutas e alimentos a outros países

Em quase todos os países, é proibido ingressar com frutas, alimentos e produtos de origem animal ou vegetal. Em alguns lugares, essa inocente conduta, se detectada pela alfândega, só acarreta a “perda” do alimento, mas em outros pode gerar multas pesadas (por. ex. Chile). Importante orientar todos que viajam com você acerca dessa proibição.

9. Medicação e Prescrição Médica

Nunca deixe para comprar seu medicamento durante a viagem. Leve sempre com você todos os seus medicamentos de uso contínuo na quantidade necessária. Leve-os na embalagem original e sempre com a prescrição médica.

Sempre importante:

  • Consultar seu médico antes da viagem, pois, às vezes algumas mudanças, como por exemplo na altitude, requerem adequações na dosagem do seu medicamento.
  • Ter certeza que o medicamento é permitido no país para o qual viaja. Por exemplo, a Dipirona, muito consumida por nós aqui no Brasil, é proibida em muitos países, inclusive nos EUA. Por isso, opte sempre pelo Paracetamol.

10. Bagagem de mão

É importante orientá-los quanto ao que colocar na bagagem de mão e ao que se deve levar na bagagem despachada.

Por exemplo, líquidos ou cremes com mais de 100 ml e objetos perfuro-cortantes (alicates de unha, por ex.) devem ser despachados. Eletrônicos, documentos e moeda estrangeira devem ser levados, por sua vez, na bagagem de mão.

É muito fácil que eles se confundam e acabem tendo que deixar objetos no controle de segurança.

11. Pegando a mala errada

Isso é um equívoco que pode ocorrer com qualquer um, tendo em vista que a maioria das malas são muito parecidas. Mas, os idosos estão mais propensos a cometer esse erro e isso pode gerar um terrível transtorno para a viagem.

A dica é colocar algo para diferenciar a mala, como um lenço ou um laço. Antes de tirar a mala da esteira, ajude-o a certificar que a mala que ele está carregando é mesmo dele.

12. Preenchimento de formulários de Imigração

Os formulários estão em inglês e na língua do país de entrada. Isso dificulta o entendimento dos que não tiveram a oportunidade de aprender essa segunda língua, gerando um stress. Predisponha-se a preencher o formulário!

13. Imigração e Tradução

Na imigração, tanto na entrada, quanto na saída do país, a sugestão é pegar a mesma fila que eles, e deixá-los passar à frente pelo controle de passaporte. Qualquer dúvida, especialmente quanto à tradução, esteja disponível para saná-la junto ao oficial de imigração. Se você for à frente, é provável que não consiga retornar para ajuda-los.

Quando for possível, vá junto com eles até o balcão de imigração.

14. Check-list de viagem

Para evitar que eles esqueçam algum documento ou artigo pessoal necessário para a viagem, faça um checklist e peça para eles conferirem. Isso evita muitos problemas.

15. Chip de celular (SIM Card)

Se você for se separar dos idosos, ainda que por curto período, é importante que tenha um meio para se comunicar com eles. A sugestão é adquirir um chip de celular local. Outra alternativa é habilitar os celulares para usar no exterior.

Não deixe, também, de combinar um ponto de encontro, caso vocês se percam.

16. Regras e Costumes locais

Desrespeitar uma regra ou costume local pode causar grandes transtornos ao turista, podendo até acabar na prisão, em algumas localidades.

Por exemplo, chicletes são proibidos em Singapura; fazer um “jóia” é um gesto ofensivo no Irã; e, em vários países do Oriente Médio, não se deve tocar nas pessoas do sexo oposto. Para evitar problemas, informe-se sobre as regras e costumes locais e oriente os seus companheiros de viagem.

17. Prioridades para Idosos

Uma última orientação é que, no exterior, não costuma haver prioridade de embarque e check-in para idosos nos aeroportos, tal como ocorre no Brasil. Fique atento!

Resumindo: Viajar com idosos…

Viajando com Idosos - Deserto do Atacama
Idosos no Deserto de Atacama

… dá trabalho, mas é recompensador. Afinal, os bons momentos da viagem ficarão sempre na lembrança de vocês! Boa viagem!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

>>