Brasília é conhecida por seu céu azul, seus monumentos e sua arquitetura, mas pouco se fala da grande quantidade de áreas verdes públicas da capital federal. Em meio à terra vermelha, surgem grandes canteiros verdes e, de julho a setembro, os belíssimos ipês roxo, amarelo e branco.

Essas áreas verdes, por serem amplas e arejadas, são fundamentais para o lazer dos brasilienses durante a pandemia.

Atualmente, o Distrito Federal possui 72 parques ecológicos e urbanos administrados pelo IBRAM, além de outras 22 unidades de conservação de proteção integral ou de uso sustentável (fonte: site do IBRAM). Outros parques como o Parque Nacional de Brasília são administrados pelo Instituto Chico Mendes.

Uma simples caminhada pelas quadras ou um piquenique no Eixo Monumental [foto em destaque] foram de extrema valia para que mantivéssemos nossa saúde física e mental nesses tempos complicados.

Entretanto, foram nos parques que passamos os momentos mais agradáveis. Por isso, selecionamos para vocês alguns que se tornaram nosso quintal nesses dois últimos anos. Venham conhecê-los e aproveitem!


Sobre Brasília, leia também:


1. Parque Ecológico das Copaíbas

Parque Ecológico das Copaíbas, Brasília
Parque Ecológico das Copaíbas: vista da Ponte JK

O Parque Ecológico das Copaíbas é um reduto de sossego na capital do país. Localizado entre as quadras 26 e 28 do Lago Sul, foi inaugurado em dezembro de 2019 como mais uma opção de lazer para os brasilienses.

Trata-se de uma vasta área verde com 73 hectares e abriga, além de algumas nascentes, o Córrego das Antas que deságua no Lago Paranoá. Possui também uma pequena queda d’agua que é bastante convidativa para o banho: a Cachoeira do Aiatolá.

Trilha das Copaíbas, Parque das Copaíbas, Brasília
Trilha das Copaíbas

É possível fazer uma trilha de 4,3 km no chão de terra batida em meio a toda biodiversidade do cerrado brasileiro. A trilha é relativamente fácil com algumas subidas e descidas que fazem a alegria dos mountain bikers.

Existem algumas rotas diferentes, dependendo do estacionamento onde você parar o seu veículo. A dica é seguir os “pezinhos” coloridos que indicam o caminho. O ponto alto do passeio é o Mirante do Parque. Você terá uma vista incrível do Lago Paranoá e da Ponte JK (famoso cartão postal da cidade).

Cuidado: ouvimos o relato de uma visitante que teve sintomas de febre maculosa após passeio nesse parque. Na época da seca, o DF registra um aumento no aparecimento do carrapato estrela. A capivara é um dos hospedeiros  desse carrapato que, ao picar o homem, faz uma reação inflamatória intensa no local da picada. Entretanto, segundo o Jornal Correio Brasiliense, existem estudos recentes que comprovam que os carrapatos das capivaras do DF não possuem Rickettsia rickettsii, bactéria responsável pela transmissão da febre maculosa brasileira.

De qualquer forma, sugerimos usar calça comprida e sapato fechado. Caso encontre algum carrapato no seu corpo, retire-o com uma pinça, sem espreme-lo ou esmagá-lo. No caso de febre alta, dor de cabeça, dor no corpo e prostração, procure um serviço médico.

Parque das Copaíbas, Brasília
Parque das Copaíbas: às margens do Lago Paranoá

O parque fica aberto todos os dias. A entrada é gratuita. Há vários estacionamentos no local, porém o parque carece de infraestrutura como banheiro e bebedouros. Não esqueça sua água, pois não há onde comprá-la.

2. Parque Ezechias Heringer

Parque Ezechias Heringer, Guará, Brasília
Parque Ecológico Ezechias Heringer

O Parque Ecológico Ezechias Heringer fica no Guará, próximo ao Park Shopping, e é um excelente espaço de lazer.

O local possui uma extensa área verde, além de sanitários, bebedouro, mesas para piquenique, quadras poliesportivas e parquinhos para as crianças, além de uma agradável pista de caminhada.

Entretanto,  o que nós mais gostamos é uma trilha de terra batida em meio à vegetação do cerrado, que circunda a parte de baixo do parque . A entrada para essa trilha fica à direita, entre as duas quadras, saindo da pista de caminhada.

É surpreendente como esse passeio restaura as energias. É muito gratificante observar a paisagem mudando durante as estações do ano. Acompanhar o aparecimento de belas flores vermelhas, depois as amarelas e, agora, uma espécie de trigo dourado! Isso, sem falar nos diversos pássaros que, ao voarem no meio da mata, sempre nos provocam sobressaltos.

Importante ressaltar que o parque é muito maior que essa área que utilizamos atualmente. Na verdade, possui mais de 300 mil hectares. A população aguarda ansiosamente para que um projeto com várias melhorias e ampliação da área de lazer do parque saia do papel.

O parque fica localizado na QE 23, Guara 2. Funciona todos os dias das 6h às 18h. A entrada é gratuita.

3. Parque Olhos D’Água

Parque Olhos d'Água, Brasília
Lago no Parque Olhos d’Água

O Parque Olhos D’água é um ótimo lugar para passar momentos agradáveis em família. Possui uma pista de caminhada calçada com aproximadamente 2 km de extensão, além de trilhas internas. Possui também parquinho infantil, ilha para exercício físico, serviços de massagem, aulas de yoga e meditação e atrações culturais aos domingos.

O local abriga, ainda, uma imensa biodiversidade, incluindo a Lagoa do Sapo (abastecida por diversas nascentes) com peixes, anfíbios e aves, além de espaços gramados onde é possível descansar à sombra de frondosas árvores nativas.

Cuidado! algumas pontes do parque estão sob risco de desabamento. As estruturas sofreram com a erosão pluvial e não são seguras. Segundo o IBRAM, a recuperação e estabilização das pontes já foi aprovada. Vamos torcer para que os trabalhos comecem logo.

O parque fica localizado na Asa Norte (SQN 413/414) e está aberto todos os dias das 6h às 19h. A entrada é gratuita.

4. Parque da Cidade Sarah Kubitschek

Lago no Parque da Cidade, Brasília
Lago no Parque da Cidade

O Parque da Cidade Sarah Kubitschek, localizado na Asa Sul, é o maior parque urbano da América Latina. Seus 420 hectares também o classificam como o segundo maior parque urbano do mundo, perdendo apenas para o Parque Phoenix em Dublin.

O local conta com o trabalho do quarteto icônico da capital federal: projeto urbanista de Lucio Costa, arquitetura de Oscar Niemeyer, paisagismo de Burle Marx e azulejos (que decoram os banheiros) de Athos Bulcão.

Também foi imortalizado na música Eduardo e Mônica, do Legião Urbana:

“Eduardo e Mônica trocaram telefone

Depois telefonaram e decidiram se encontrar
O Eduardo sugeriu uma lanchonete

Mas a Mônica queria ver um filme do Godard

Se encontraram então no Parque da Cidade,

A Mônica de moto e o Eduardo de camelo,

O Eduardo achou estranho e melhor não comentar

mas a menina tinha tinta no cabelo”

Pista de Caminhada, Parque da Cidade, Brasília
Pista de Caminhada no Parque da Cidade

O parque, fundado em 1978, é uma das principais atrações da capital brasileira e frequentado tanto por turistas quanto por moradores locais, afinal é um extenso centro de lazer ao ar livre. No seu interior é possível encontrar:

  • Pistas de caminhada – trajetos de 4km, 6km e 10km
  • Ciclovia e pista de patinação
  • Quadras poliesportivas
  • Áreas de piquenique
  • Academia ao ar livre
  • Lago artificial com pedalinho (R$ 50 para 2 pessoas) e caiaque (R$ 20)
  • Parque infantil – o castelinho (um grande labirinto) e o foguete fazem a alegria dos pequenos
  • Parque de diversões Nicolândia com atrações para todas as idades (passaporte R$ 50)
  • Kart indoor (R$ 75 por 20 min)
  • Tendas de massagem
  • Diversas lanchonetes para todos os gostos.

Caso nenhuma dessas atrações acima agradem, o parque ainda possui, aos finais de semana, apresentação de grupos musicais, capoeira e exposições variadas. Você com certeza vai gostar!

5. Parque Nacional de Brasília

Sede do Parque Nacional de Brasília, ICMBIO
Administração do Parque Nacional de Brasília

O Parque Nacional de Brasília, mais conhecido como Água Mineral, em razão das suas 2 piscinas de água corrente, é um passeio disputadíssimo em Brasília. Antes da pandemia, nunca havíamos conseguido visitá-lo, pois seus ingressos acabavam rapidamente, bem cedo pela manhã.

O parque possui 30 mil hectares de extensão e conta com as 2 piscinas já mencionadas, diversas trilhas, um belíssimo lago para meditação, além de espaço para piquenique e churrasco.

A principal atração do parque são as piscinas naturais: a piscina Areal (fecha às segundas e terças feira para limpeza) e a piscina Pedreira (fecha às quintas e sextas feira). Existe um estacionamento amplo nas proximidades, além de banheiros, lanchonetes e posto médico. Entretanto, no espaço ao redor da piscina não há cadeiras ou guarda-sóis. É necessário que você leve a sua canga para poder tomar sol ou descansar entre um mergulho e outro.

De maneira geral, as piscinas são bem cuidadas e a área verde no seu entorno também. Por ser uma das poucas piscinas públicas de Brasília, aos finais de semana pode ficar bem lotado.

IMPORTANTE:  durante a pandemia as piscinas estão fechadas. O acesso ao parque está sendo gratuito.

Trilha do Parque Nacional de Brasília
Trilha do Parque Nacional de Brasília

Nós adoramos as trilhas desse parque. Fique atento pois, do estacionamento até o início das trilhas (logo após o Centro de Educação Ambiental), são aproximadamente 2,5 km. Embora haja algumas vias, elas são de uso exclusivo para os funcionários do parque.

O Centro de Educação Ambiental tem alguns grafites muito bonitos e uma grama verde bem cuidada ao seu redor, mas, infelizmente, não está tendo nenhuma atividade (não sei se é por causa da pandemia).

Em frente ao Centro está a Ilha da Meditação. É um belo lago de fundo clarinho cortado por uma ponte e alguns banquinhos dispersos, onde você pode, além de meditar, curtir o silêncio e a paisagem.

Ilha da Meditação, Parque Nacional de Brasília
Ilha da Meditação, Parque Nacional de Brasília

Falando das trilhas propriamente, existem 3 trajetos com extensões variadas que podem ser percorridas a pé ou de bicicleta. Todas são de terra batida, em meio às plantas naturais do cerrado e tem 5km, 8km ou 10km de extensão. Basta seguir as indicações das pegadas coloridas da trilha escolhida. É possível ouvir os pássaros ou encontrar pequenos animais. Nunca vimos nada peçonhento.

Esse parque foi uma deliciosa surpresa! Recomendo bastante a caminhada por lá!

Está aberto todos os dias das 8h às 17h, sendo a ultima entrada às 15h. Atualmente não está sendo cobrada entrada, mas, geralmente é necessário pagar um ingresso de R$ 14,00 para brasileiros e R$ 28,00 para estrangeiros.

6. Parque Ecológico da Asa Sul

Parque Ecológico da Asa Sul, Brasília
Parque Ecológico da Asa Sul

O Parque Ecológico da Asa Sul é um espaço bem cuidado no final da Asa Sul. Trata-se de um parque inaugurado em 2003, situado entre as vias L2 e L4 Sul entre as quadras 613 e 614 Sul, próximo ao Hospital Sírio-Libanês e outras unidades hospitalares.

O parque é amplo (21,7 hectares) e conta com uma pista circular asfaltada de 2,3 km de extensão, parque infantil, quadras esportivas e equipamentos de ginástica ao ar livre. Segundo informações do GDF, o parque teria recebido banheiros públicos e bebedouros.

Equipamentos de Ginástica ao Ar Livre, Parque Asa Sul, Brasília
Equipamentos de Ginástica ao Ar Livre, Parque Asa Sul

Não é muito movimentado, mesmo nos finais de semana. Os visitantes são, em sua maioria, moradores das quadras próximas. Muitos utilizam-se do parque para a prática de esportes ou como um espaço de contemplação.

Quem visita o parque aprecia os bosques, as áreas de replantio de mudas do cerrado (Rio +20), as diversas aves silvestres e de árvores. Há um pequeno lago no centro do parque com alguns bancos próximos, mas o lago fica cercado.

Existem algumas árvores frutíferas no local. Eu adorei comer amoras super doces diretamente do pé!

Mapa do Parque Ecológico da Asa Sul, Brasília
Mapa do Parque Ecológico da Asa Sul

Entretanto, o parque tem alguns pontos negativos:

  • Estacionamento: o parque não tem estacionamento próprio, portanto, quem vier de carro deverá utilizar o estacionamento público ao lado, usado pelas clínicas médicas. Durante o final de semana, o estacionamento fica vazio.
  • Segurança: próximo às quadras esportivas, na parte de trás do parque, há uma invasão (moradias irregulares), o que não transmite uma boa sensação de segurança aos visitantes. Há também buracos nas cercas do parque. Apesar de haver rondas regulares, talvez não seja legal visitar o parque sozinho ou à noite, especialmente, na parte de trás (próximo à L4).

O parque fica aberto das 6 às 20 horas e há um ponto de ônibus em frente.

7. Parque Ecológico Dom Bosco

Parque Ecológico Dom Bosco, Brasília
Parque Ecológico Dom Bosco

O Parque Ecológico Dom Bosco é um parque localizado às margens do Lago Paranoá, no bairro Lago Sul, bem próximo à Barragem do Paranoá. Do lado oposto do lago, fica o Palácio da Alvorada, residência oficial do Presidente da República.  O parque é muito bonito e bem cuidado, talvez o mais bem cuidado da capital federal. Em razão disso, costuma ser bem movimentado aos finais de semana.

Com acesso ao lago, os brasilienses utilizam o parque como a ‘praia’ de Brasília. É também um excelente lugar para apreciar o por do sol ou fazer um piquenique na capital federal.

Ermida Dom Bosco, Brasília
Ermida Dom Bosco

Logo na chegada, chama a atenção a Ermida Dom Bosco, uma pequena capela em formato de pirâmide.

A Ermida Dom Bosco foi a primeira obra de alvenaria de Brasília, erguida em 1957, construída em homenagem ao padre italiano Dom Bosco que, em 1883, anunciava o surgimento de uma terra prometida entre os paralelos 15 e 20 do hemisfério sul às margens de um lago.

Descendo em direção ao lago, encontra-se o letreiro Eu Amo Brasília, onde muitos visitantes reúnem-se para tirar fotos. À esquerda, uma ladeira usada para descer com carrinhos de rolimã.

Pier do Parque Ecológico Dom Bosco, Brasília
Pier do Parque Ecológico Dom Bosco

Passa-se, então, por um teatro de arena até chegar à prainha e um Pier de Madeira, ponto de encontro de muitos visitantes.

Percorrendo o parque, há, ainda, uma pista de caminhada e de ciclismo. No caminho, há uma pequena capela com um incrível traçado arquitetônico. É a Capela Dom Bosco. Ao final, prepare-se para uma boa subida na volta.

Capela Dom Bosco, Brasília
Capela Dom Bosco

O parque Dom Bosco dispõe de cantina, banheiros e estacionamento externo. Uma equipe de salva-vidas trabalha no parque até às 17hs.

O parque está aberto diariamente das 6 às 20h. Para chegar lá, o ideal é ir de carro ou pegar um transporte de aplicativo. Ao lado do parque, encontra-se o Mosteiro São Bento, que também merece uma visita.

8. Parque das Garças

Parque das Garças, Lago Norte, Brasília
Parque das Garças, Lago Norte

Localizado no Lago Norte, ao lado do Clube do Congresso, o Parque das Garças é diversão garantida para toda a família, inclusive para seu pet!

O lago é a atração principal do local. Chegue cedo e garanta seu espaço embaixo de uma árvore e aproveite para se divertir. Além de poder nadar no lago, você também pode se divertir fazendo stand up paddle ou kite surf.

9. Pontão do Lago Sul

Pontão do Lago Sul, Brasília
Pontão do Lago Sul

Situado no Lago Sul, o Pontão é um centro de entretenimento na capital federal. Não se intimide com a entrada que parece uma portaria de clube.

O local possui inúmeros restaurantes com uma vista magnífica e a chance de comer apreciando um belíssimo por do sol. Além disso, é possível caminhar na sua orla e até molhar o pezinho na água, porém, não é um lugar para banhos e nem para a realização de piqueniques. É possível contratar passeios de lancha ou de barco no local.

Seu pet também é bem vindo! Fique apenas atento ao regulamento interno. dos restaurantes pois são variados.

O acesso ao Pontão é livre e gratuito. O horário de funcionamento é das 7h às 23h.

10. Jardim Botânico

Lago no Jardim Botânico de Brasília
Lago no Jardim Botânico de Brasília

O Jardim Botânico de Brasília (JBB) é uma área protegida, vinculada à Secretaria de Meio Ambiente do Distrito Federal (SEMA/DF), cuja missão é a constituição e a manutenção de coleções de plantas, desenvolvimento de pesquisa, educação ambiental e lazer orientados para a conservação da biodiversidade (site do JBB)

Jardim Japonês, Jardim Botânico de Brasília
Jardim Japonês, Jardim Botânico de Brasília

Inaugurado em 1985, é uma área de lazer de mais de 500 hectares de extensão (o parque inteiro tem mais de 5mil hectares). A área aberta ao público é composta por:

  • Centro de visitantes: informações sobre exposições e eventos estão disponíveis nesse local, que também está disponível para aluguel para eventos.
  • Centro de excelência do cerrado: o belíssimo edifício construído em 2015 conta com auditório, biblioteca, espaço para exposições e um mirante com uma vista fantástica.
  • Espaço Oribá: espaço extremamente agradável. Além de árvores frondosas, possui um lago, espaço para piquenique, bancos de madeira. Há também um parquinho infantil com casa na árvore, castelo, área para rapel e balanços entre outros.
  • Orquidário: em uma casinha de madeira o visitante vai se encantar com a coleção de mais de 3 mil orquídeas que florescem em diferentes épocas do ano.
  • Permacultura: O espaço é  uma unidade metodológica auto-interpretativa. Todos os elementos agregados ao processo construtivo são destacados sob o ponto de vista da sustentabilidade ecológica. Seu entorno agrega um quintal agroflorestal e uma unidade de captação de água da chuva para abastecimento do espaço, que atualmente é utilizado pelos educadores ambientais para promoção de encontros e exposições de arte (site do Jardim Botânico)
  • Trilhas Interpretativas: o parque possui 5 trilhas com níveis de dificuldade diferentes. A maior delas tem 12 km sendo adequada tanto para caminhada quanto para ciclismo. O objetivo dessas trilhas é encantar o visitane com a flora e fauna do cerrado, conscientizando-o da importância do equilíbrio ecológico. Em algumas trilhas, com um pouco de sorte, você pode avistar um tatu ou um tamanduá.
  • Jardins temáticos :
      • Jardim Evolutivo: concebido em um formato circular, tem as plantas com sistemas reprodutivos mais primitivos no seu centro. O espelho d agua, além de belíssimo, funciona como suporte para o sistema de irrigação
      • Jardim de Cheiros: espaço lúdico que estimula os 5 sentidos. Imperdível!
      • Jardim Japonês: traz a simbologia da cultura japonesa milenar através da integração dos seus elementos.
      • Jardim de Contemplação: representa os seis Biomas brasileiros: Mata Atlântica, Cerrado, Pampas, Floresta Amazônica, Caatinga e Pantanal
  • Restaurantes: são 2 restaurantes que oferecem café da manha, almoço e um lanchinho (em um deles é possível ficar em mesas de piquenique). Aos finais de semana, é mais seguro reservar com antecedência. Na nossa última visita, almoçamos no Restaurante Caliandra, que tem uma belíssima vista do lago e Jardim Evolutivo. A comida estava bem servida e muito saborosa, além de um preço justo (R$ 46,00 o prato de tilápia com risoto de alho poró).
Piquenique no Jardim Botânico de Brasília
Piquenique no Jardim Botânico de Brasília

Funciona de terça feira a domingo das 9h às 17h. O ingresso custa R$ 5,00 e só pode ser pago em dinheiro. Ciclistas e pedestres tem entrada gratuita das 7h30 às 8h50.


Conheça outros parques pelo mundo! As meninas do grupo Viagens por Escrito deram dicas fantásticas abaixo!

Author

Médica, 42, apaixonada por pessoas, sabores e novas culturas.

6 Comments

  1. Ai, Lu, ia comentar aqui que amei o post que traz esse outro olhar de Brasília, já que sempre que pensamos no lugar, nós automaticamente pensamos na arquitetura icônica e na questão de ser uma cidade planejada.
    Mas não vou mais parar por aí. Que demais saber que o segundo maior parque urbano do mundo é do Bra-sil-sil-sil (fora a relação com Eduardo e Mônica que fizeram do Sarah Kubitschek um tem-que-ir, né). Quando estava escrevendo sobre o Phoenix Park para o Voyajando, me veio na cabeça quais seriam os outros, mas acabei não pesquisando. Eis que encontro aqui. Amei e amei! <3

  2. Barbara Cortat Reply

    Chocada que Brasília e DF possuem tantos parques. Dos 10 que você citou eu conheço somente 2 e já ouvi falar de 4, sendo um deles o Parque Nacional, o qual tenho muita vontade de conhecer e fazer suas trilhas!

  3. Lu, que maravilha de post! Eu não fazia ideia de que Brasília tinha tantos parques assim! Quando estive aí da ultima vez em 2010, dei um mergulho na lagoa nesse píer do Parque Dom Bosco. Foi uma delicia pra espantar o calorão! Bons tempos! hahaha O Sarah Kubistchek também adorei, super bem projetado. Agora preciso voltar pra conhecer os outros! Beijoo

  4. Nossa Lu, não tinha ideia que em Brasília existiam tantos parques! Eu sou apaixonada por eles e sempre incluo nos meus roteiros de viagem! Brasília está nos planos para conhecer em breve e seguirei todas suas dicas! Obrigada.

  5. GETÚLIO A. DE OLIVEIRA Reply

    – De médico e louco, todos nós temos um pouco”.
    Esse dito popular é conhecidíssimo. Agora, uma Médica, TÃO BOA JORNALISTA, não conhecia, principalmente, com abordagens de temas assim atraentes e prazerosos.
    Sou Jornalista, septuagenário, acamado, vivo ligando pras Redações, criticando Colegas. Você é 10!
    Pra quem está há mais de três anos praticamente olhando pro teto, cheio de doenças ruins e dores insuportáveis, com SAUDADE de Brasília, ler Você foi uma TERAPIA, que só conheço por referência.
    PARABÉNS a quem pode contar com seu amor pelo assunto, com sua enamorada disposição e alto conhecimento da espécie.
    O Mundo tem jeito. A HUMANIDADE tem salvação, e há quem muito contribui pra isso. Aos que nada fazem, resta-lhes NENHUM FRUTO COLHER NEM VÊ A LINDA ALVORADA QUE SE NOS DÁ.

    • Luciana Mardegan Reply

      Obrigada Sr Getúlio! Sua mensagem aqueceu meu coração! Espero que nosso artigo tenha ajudado a aplacar um pouquinho suas saudades de Brasilia. Recentemente escrevi sobre os lindos Ipes da capital federal! As fotos estão lindas! Acho que o senhor vai gostar! Um abraço carinhoso, Luciana

Write A Comment

Pin It