Conhecer o Taj Mahal, na Índia, é o sonho de muita gente. E não é para menos. O lugar é gigantesco, incrível, belíssimo e repleto de história. Localizado na cidade de Agra, a 212 km de Nova Deli, é um dos principais day trips que você pode fazer a partir da capital indiana.

Mas, visitar qualquer destino na Índia não é para fracos. É um país com muitas desigualdades, com uma pobreza agressiva, um trânsito caótico e um barulho desconcertante. A cada vez que voltava de lá, tinha a certeza de que seria a última. Porém, passados alguns dias, já estava planejando a próxima visita. É impossível não reconhecer a alegria da população, a beleza do país, sua cultura, história e deliciosa culinária.

Hoje, entretanto, quero falar do seu principal atrativo: o Taj Mahal.

Taj Mahal: um pouco de história

Taj Mahal, Agra, Índia
Taj Mahal

Taj Mahal é um suntuoso mausoléu considerado Patrimônio Mundial pela Unesco e uma das 7 maravilhas do mundo moderno. Foi construído pelo Imperador Shah Jahan para sua amada esposa Mumtaz Mahal que significa “a joia do palácio”.

Mumtaz Mahal casou-se com o imperador aos 19 anos e logo se tornou sua esposa preferida, além de principal conselheira. Juntos tiveram 14 filhos, porém, durante o parto do último bebê, ela faleceu aos 39 anos (1631). Em seu leito de morte, fez 3 pedidos a Shah Jahan: que não se casasse novamente; que se dedicasse à criação dos filhos; e que construísse um monumento que representasse o amor entre eles.

Em razão da morte de sua esposa, Shah Jahan decretou luto por 2 anos no seu império, proibindo músicas e outras comemorações.  Em 1632, iniciou a construção da grande prova de amor: um mausoléu gigantesco e fabuloso, para honrar a memória da amada esposa. Era o Taj Mahal.

Essa belíssima história de amor também tem seu lado triste. Durante os 22 anos que duraram a construção do complexo, mais de 20 mil pessoas trabalharam na construção. Diz a lenda que os construtores eram cegados e tinham as mãos cortadas ao final para que não edificassem nada parecido.

Pouco tempo após o fim da construção do Taj Mahal, a saúde de Shan Jahan deteriorou-se e a luta pela sucessão do trono intensificou-se. Em 1658, foi deposto por seu filho Aurangzeb que o prendeu no Forte de Agra. Conta-se que Shan Jahan passou o resto dos seus dias apreciando o Taj Mahal a partir de uma pequena janela da sua cela. Em 1666, ano de sua morte, foi sepultado ao lado da amada.

Rio Yamuna: vista a partir do Taj Mahal
Rio Yamuna: vista a partir do Taj Mahal

Todo o complexo do Taj Mahal é simétrico. A localização do túmulo de Shan Jahan é exceção.  Esse não era o seu desejo. Sua ideia original era a construção de um Taj Mahal negro (feito de ônix preto) para sua sepultura, do outro lado do Rio Yamuna. Entretanto, o projeto não saiu do papel e, por isso, seu corpo foi sepultado ao lado da esposa, de maneira assimétrica.

Um pouco sobre o complexo do Taj Mahal

Taj Mahal, Vista de Satélite
Taj Mahal, Vista de Satélite (fonte: Google Maps)

O complexo do Taj Mahal abrange uma área de 17 mil m2 e é composto por 3 edifícios principais: o mausoléu e 2 edifícios idênticos (um de cada lado), 4 minaretes e gigantescos jardins que pretendiam recriar o Paraíso.

  • Curiosidade: os minaretes de 41 metros foram construídos com uma leve inclinação  para fora (2,5°) de forma a não atingirem o palácio, caso houvesse algum terremoto.

Os 2 edifícios ao lado do mausoléu são uma mesquita (à direita – voltada para Meca) e uma “casa de hóspedes” à esquerda. Segundo o que nos contaram, a mesquita foi construída para que os trabalhadores, na sua maioria muçulmanos, não precisassem andar 2,5 km para rezarem 5 vezes ao dia, o que atrasaria os trabalhos. Já a casa de hóspedes foi construída para manter a famosa simetria.

Para chegar até o complexo, você segue por um caminho de aproximadamente 1km desde o estacionamento até o Portão Leste, que dá acesso a um Pátio (Jilaukhana).

Great Gate, Taj Mahal
Great Gate, Taj Mahal

Nesse pátio, à sua frente está a Entrada Real (Great Gate), com uma belíssima construção em pedra vermelha (Darwaza), ricamente decorada. A visão da porta central, que funciona como uma moldura para o mausoléu ao fundo, com certeza irá encantá-lo.

Taj Mahal, Agra, Índia
Primeira Visão do Taj Mahal

Já dentro do complexo, o simétrico jardim, composto de árvores, canteiros de flores e caminhos elevados é um convite para a contemplação. Bem no centro, o famoso espelho d’água que rende as melhores fotos da visita. É simplesmente encantador conseguir captar a imagem do Taj Mahal refletido nesse espelho d água.

Reflexo do Taj Mahal no Espelho d'água
Reflexo do Taj Mahal no Espelho d’água

O complexo ainda possuiu outras construções que não chamam tanto a atenção do turista, como, por exemplo, os túmulos em memória às 2 outras esposas de Shan Jahan e o túmulo que acreditam ser da principal dama de companhia de Mumtaz Mahal.

Um pouco da arquitetura do Taj Mahal

Taj Mahal é uma fusão perfeita da arquitetura indiana e persa. O mausoléu foi construído com placas de mármore branco e decorado com diversas pedras preciosas e semipreciosas como a Lápis-lazúli do Afeganistão, as jades da China e ametistas da Pérsia, que foram delicadamente incrustadas no mármore.

Taj Mahal - Pedras Incrustadas no Mármore
Taj Mahal: pedras incrustadas no mármore

O trabalho é tão perfeito que o deixará intrigado. São flores e plantas coloridas, figuras geométricas e escritos do Alcorão, que decoram as paredes do local.

Tenho certeza de que você não deixará de notar a cúpula principal do mausoléu. Bastante comum na arquitetura islâmica, além de grandiosa e imponente, ela é toda decorada com fios de ouro e flores de Lotus esculpidas. Seu pináculo era originalmente feito de ouro, mas após pilhagem, foi substituído por um de bronze.

  • Curiosidade: as paredes do Taj Mahal parecem mudar de cor durante o dia. Dependendo da iluminação podem adquirir um coloração rosada ou dourada.

Um pouco sobre o interior do Mausoléu

O interior do mausoléu é ricamente decorado. Preste atenção nas paredes! No salão central, estão os dois cenotáfios. São bem simples como exige a tradição muçulmana. Entretanto, os restos mortais não estão lá, mas sim no subsolo do palácio, que não é aberto ao público. Não é permitido tirar fotos!

  • Curiosidade: os responsáveis pela segurança têm sempre em mãos uma lanterna para iluminar uma pedra que está presente em todos os lugares e parece vermelha. Quando iluminada, é, na verdade, transparente.

Como visitar o Taj Mahal?

Você pode fazer um day trip até Agra. Saindo de Nova Deli, o trajeto de 210 km pode ser feito de carro (3 horas) ou de trem. Nós optamos pelo trem de alta velocidade e foi bem confortável.

Algumas pessoas optam por pernoitar em Agra. Não acho que valha a pena, pois a cidade não tem muitos outros atrativos. A grande vantagem é poder visitar o templo ao nascer do sol (quando está bem mais vazio) ou no pôr do sol, o que rende fotos lindíssimas.

O complexo está aberto a visitação todos os dias, exceto às sextas-feiras. A visitação inicia-se 30 minutos antes do nascer do sol e encerra-se 30 minutos antes do pôr do sol.

Os ingressos podem ser comprados na bilheteria ou por meio dos sites oficiais (Payumoney & Asiagracircle). Caso venha de excursão, fique atento e confirme antes se o seu ticket já não está incluído no pacote.

O valor do ingresso para turistas é de 1.300 rupias (aproximadamente R$ 100,00). Existem outras tarifas para locais e crianças abaixo de 15 anos não pagam.

Não é permitida a entrada com alimentos ou com drones. Lembre-se de se vestir de forma respeitosa!

Outros pontos turísticos em Agra e nos arredores

Além do Taj Mahal, Agra e seus arredores oferecem outros pontos turísticos aos visitantes. Durante nosso tour, visitamos apenas os 2 primeiros.

Forte Agra ou Forte Vermelho

Forte de Agra, Índia
Forte de Agra, Índia

Trata-se de uma cidade-palácio murada, construída às margens do Rio Yamuna entre 1565 e 1573 pelo Imperado Akbar. O Forte, todo construído de pedra vermelha e mármore branco, ocupa uma vasta área. Contém 3 mesquitas (sendo uma delas para as mulheres do Harém do Imperador), dois palácios com belíssimas paredes com diversos detalhes entalhados e um espaço para audiência pública entre outras atrações.

Foi no Forte Vermelho que Shah Jahan ficou aprisionado e passou seus últimos dias apreciando o Taj Mahal ao longe.

Itmad-ud-Daulah

Itimad-ud-daulah, Agra
Itimad-ud-daulah (créditos: g.kaustav /CC BY-SA 3.0)

Carinhosamente apelidado de Mini Taj, foi encomendado pela Imperatriz Noor Jahan em memória a seu pai Mirza Ghiyas Beg. É a primeira construção no estilo Mongol antes do Taj Mahal. Também construído em mármore branco e com um jardim anexo, possui vários detalhes que serviram de inspiração para o Taj Mahal.

Seu portão de entrada também é belíssimo. Construído em pedra vermelha e decorado com flores e motivos geométricos resultantes de incrustações de mármore branco, merece uma visita. O mausoléu é ricamente adornado! Ao chegar perto você ficará encantado com a delicadeza dos detalhes.

Sikandara

Localizado a 7 km da cidade de Agra, é o mausoléu do Imperador Akbar, o grande.

Fatehpur Sikri

Fatehpur Sikri, Índia
Fatehpur Sikri, Índia (créditos: Marcin Białek/CC BY-SA 3.0)

Localizada a 40 km de Agra, foi construída no final do século XV pelo imperador Akbar para ser um local de apoio para a capital do Império Mongol. Foi misteriosamente abandonada após 14 anos. Não se sabe se isso foi devido à falta de água  no local ou a questões geopolíticas. A cidade continua muito bem preservada após os quase 500 anos de existência.

O ponto alto da visita é a tumba do Sheik Salin, na Mesquita Jama Masjid, aonde muitos fiéis vão em busca de milagres. Diz a lenda que Sheik Salin teve uma visão do nascimento do filho tão sonhado do Imperador e a mesquita foi construída em sua homenagem. Para tentar a sorte, amarre uma fitinha em uma tela, cubra a tumba com um belo tecido e jogue pétalas de rosa por cima. Tudo vendido pelos vendedores ambulantes no local. Fiquei triste de não ter visitado. Fica para a próxima!

Como foi nossa experiência em Agra?

Estação de Trem em Nova Deli, Índia
Estação de Trem em Nova Deli

Contratamos um day trip partindo de Nova Delhi. A operadora era a empresa Travel Creators of India. O tour incluía o pick-up no hotel e um guia nos acompanhando até o nosso vagão do trem (ele só foi embora quando entramos no trem). Tanto na ida, quanto na volta.

O trem era o Gatimaan Express, o trem mais rápido da Índia, que chega a 160 km/h. Partimos às 8h10min e chegamos em Agra às 9h50min da manhã. O café da manhã, na ida, e o jantar, na volta, estavam incluídos no preço.

Interior do Trem, Estação de Nova Deli, Índia
Interior do Gatimaan Express: o trem mais rápido da Índia

Ao chegarmos em Agra, nosso motorista e o guia já nos aguardavam na plataforma da estação. Fizemos a visita ao Taj Mahal bem cedinho. Em seguida, visitamos o Forte Agra e o Itmad-Ud-Daulah. Todas as entradas já estavam incluídas, o que fez com que evitássemos a fila para comprar, mas não para entrar nas atrações.

The MasterChef Restaurant, Agra, Índia
The MasterChef Restaurant, Agra, Índia

Almoçamos no The MasterChef Restaurant, um restaurante multi-cozinha (indiana, italiana, chinesa, continental) bem agradável em Agra. O restaurante é todo decorado na cor azul. A comida é boa e o preço razoável. O atendimento é excelente.

Técnica de Incrustar Pedras no Mármore, King Craft Palace, Agra, Índia
Técnica de Incrustar Pedras no Mármore, King Craft Palace

Em seguida, passamos pela loja de artesanato King Craft Palace, onde pudemos observar, em diversos objetos, a técnica usada no Taj Mahal para incrustar pedras no mármore. São pratos, copos, porta-copos, budas, taças de vinho, caixas, dentre outros, todos feitos de mármore e decorados. São diferentes desenhos. Cada um mais bonito que o outro. Os preços, entretanto, são bem caros e cotados em dólares americanos.  Foi só uma olhadinha mesmo!

Pratos, King Craft Palace, Agra, Índia
Pratos, King Craft Palace

Após a visita à loja às 15hs, já estávamos prontos para retornar a Nova Deli. Entretanto, nosso trem só partia no início da noite. Deu tempo para fazer uma pausa para o café antes de retornar à estação.

Chegamos em Nova Deli em torno das 19h30 e nosso motorista estava lá na plataforma nos esperando para levar para o hotel. Excelente atendimento!

Pagamos, na ocasião, 120 dólares americanos por pessoa, mas acho que valeu a pena. Visitar Agra como um day trip foi cansativo, mas, como falei, não acredito que valha a pena dormir por lá. Também achei importante ter um guia, não apenas pelas informações fornecidas mas por tornar mais tranquilo todo o passeio pois, como já disse, o clima caótico da Índia pode ser um pouco extenuante.

#FicaaDica

Durante o passeio, você vai gastar muito tempo tentando tirar a foto perfeita do Mausoléu refletido no espelho d’água. Por isso, sugiro que seja a primeira coisa a ser feita, principalmente, se conseguir chegar cedinho ao complexo, assim, evita aquela multidão na sua tão sonhada foto.

Jardins e Espelho d'água do Taj Mahal
Jardins e Espelho d’água do Taj Mahal

Passeie tranquilamente pelos jardins, apreciando toda a atmosfera local. Não tenha pressa. Depois de ver essa perfeição arquitetônica, os outros pontos turísticos não são tão interessantes, exceto o Forte de Agra, de onde você vai mais uma vez tentar tirar foto do Taj Mahal.

  • Curiosidade: Fui abordada diversas vezes durante nossa viagem pela India por crianças, mulheres e até homens, que pediam para tirar uma foto comigo. Muitos até pediam autorização para o meu esposo, mas não deixavam ele aparecer… acho que as diferenças étnicas e até de vestimenta, chamavam a atenção dos indianos!Essa foi uma dessas fotos especiais!
Crianças pedindo para tirar foto - Forte de Agra
Crianças pedindo para tirar foto no Shah Jahani Mahal/Forte de Agra

Conhecer o Taj Mahal é indescritível. Sim, ele é lindo, imponente e emocionante. É com certeza um destino incrível.


Blogagem Coletiva

Este post faz parte de uma blogagem coletiva do grupo Viagens por Escrito com o tema Lugares incríveis! Não deixe de conferir outros lugares incríveis postados por nossas amigas.

4 Comentários:

  1. Ai que delícia de relato, Luciana. Tenho muita vontade de conhecer não só o Taj Mahal, como também outros pontos da Índia, mas ainda não criei coragem principalmente pelos relatos de mal estar devido à comida. E como eu sou daquelas que ama experimentar comida local (e sou louca por comida indiana), já sei que fará parte do meu roteiro!!! Você chegou a ter esse tipo de problema?

    1. Obrigada Bárbara! Os relatos de mal estar devido à comida são bem frequentes mesmo! Não tivemos problemas pois, como na India a comida não é cara, acabávamos optando por restaurantes indicados. Mas, entendo seu lado, muita gente gosta de comer a comida de rua, raíz mesmo… eu sou mais medrosa rsrsr. De qualquer forma, é um país fantástico! Vamos voltar para visitar o que não tivemos tempo pois, pra mim, a India tenho que fazer em pequenas pílulas… não aguento passar 20 dias direto por la!!

  2. Eu sou louca pra conhecer a India, já rabisquei alguns roteiros até…está super na minha lista…uma viagem independente seria muito caótica? Fico imaginando todos os pontos turísticos muito cheios mesmo…mas vivo assistindo filme indiano e acho essa viagem o máximo! Obrigada pelas dicas!

    1. Oi Dani, tem muita gente mochilando por la! Já ouvi sobre pessoas que até se arriscaram a dirigir naquele transito maluco! Numa outra oportunidade, visitamos um estudio de Bollywood… foi muito divertido! Acho que deve ir sim… e se você gosta de viagens totalmente independentes, se joga!:)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

>>>