Nápoles é a terceira maior metrópole da Itália e um destino turístico imperdível. Apesar da fama de suja e perigosa, Nápoles tem um charme especial e oferece muitos atrativos para o turista. De um lado, um incrível centro histórico e, de outro, um belo litoral tendo o vulcão Vesúvio como pano de fundo [foto em destaque].

O nome ‘Napoli’ tem origem no grego ‘Neapolis’, que significa ‘cidade nova’ (neo = novo e polis = cidade). Paradoxalmente, Nápoles é uma das cidades italianas mais antigas, fundada por volta do século VIII a.c.

É conhecida como a terra natal da pizza. Afinal, a pizza teria sido difundida no século XIX graças a um padeiro napolitano. Não deixe de conhecer a Antica Pizzeria PortAlba que é considerada a pizzaria mais antiga do mundo (1830) e funciona até hoje no centro histórico de Nápoles (Via Port’Alba 18).

A localização de Nápoles é estratégica. É parada obrigatória para quem quer visitar a Costa Amalfitana, a Ilha de Capri, a belíssima Ilha de Ischia, a cidade antiga de Pompeia e o Vulcão Vesúvio. Há conexões de trens de alta velocidade e o Aeroporto Internacional de Nápoles (NAP) dispõe de voos diretos para vários destinos europeus.

Vale a pena passar de 3 a 5 dias por lá. Mas, se você  tiver apenas um dia livre na cidade, não deixe de fazer esse roteiro de um dia em Nápoles, que foi preparado pela proprietária da nossa hospedagem.

O percurso começa e termina na Piazza Giuseppe Garibaldi. O ideal é fazê-lo a pé para sentir o clima napolitano, mas, se estiver cansado, pode fazer alguns trechos de metrô. Confira!

1. Piazza Giuseppe Garibaldi

Piazza Giuseppe Garibaldi, Nápoles, Itália
Piazza Giuseppe Garibaldi, Nápoles

Inicie seu percurso na Piazza Garibaldi, uma das mais importantes praças de Nápoles. Com 65 mil metros quadrados de área é a maior praça dessa metrópole italiana.

Surgiu após a unificação italiana, em razão da construção da estação ferroviária. Já teve outros nomes: Piazza della Stazione e Piazza dell’ Unità Italiana. Só passou a se chamar Piazza Garibaldi com a instalação de um monumento em homenagem a Giuseppe Garibaldi em 1904. A praça foi reconstruída nos anos 60 e passou por uma grandiosa reforma em 2004.

A praça homenageia o militar e político Giuseppe Garibaldi (1807-1882). Também chamado de “herói de dois mundos”, ele participou de eventos históricos importantes na Europa e na América do Sul. No Brasil, Garibaldi atuou na Revolução Farroupilha (1835-1845). No Uruguai, foi capitão da frota que lutou contra o ditador argentino Juan Manuel Rosas, que pretendia criar a chamada “Grande Argentina” com a fusão dos dois países. De retorno à Itália (1848), participou de várias lutas para a unificação do país, que até 1870, era um conjunto de reinos, alguns dominados por potências estrangeiras. Vários monumentos, praças e ruas homenageiam Garibaldi na Itália. No Brasil, o município de Garibaldi/RS também presta homenagem ao revolucionário.

Considero a Piazza Garibaldi uma localização estratégica em Nápoles. Está próxima da estação central ferroviária, de linhas de metrô, da Circumvesuviana e de linhas de ônibus para o aeroporto. Conta com uma galeria comercial na parte subterrânea, além de vários restaurantes (como a La Cantina dei Mille), lojas e hospedagens em seus arredores.

Galeria Comercial, Piazza Giuseppe Garibaldi, Nápoles, Itália
Galeria Comercial, Piazza Giuseppe Garibaldi

A propósito, se você pretende ficar poucos dias em Nápoles, considere se hospedar próximo à Piazza Garibaldi pois vai ficar perto de um hub de transporte que vai facilitar bastante a sua viagem.

Um ponto negativo da praça é que ela é ocupada por muitos pedintes e moradores de rua, mas não nos sentimos inseguros.

2. Corso Umberto I

Corso Umberto I, Nápoles, Itália
Corso Umberto I, Nápoles (fonte: Google Street Viewer)

O Corso Umberto I é uma grande avenida que liga a Piazza Garibaldi à Piazza Giovanni Bovio (uma rotatória). A avenida conta com bonitas construções, mas merecia uma renovação. Não apresenta atrações turísticas mas, caminhando por lá, você pode encontrar lojas, principalmente de roupas, com preços em conta.

3. Via Duomo

Vire à direita na Via Duomo para adentrar o centro histórico de Nápoles e visitar a próxima atração: o Duomo di Napoli 

A propósito, o termo ‘duomo’ em italiano refere-se a uma igreja com as características de catedral, independentemente de  servir ou não a esse propósito (fonte: Wikipedia).

4. Duomo di Napoli

Catedral de São Januario, Duomo di Napoli, Nápoles, Itália
Duomo di Napoli

O Duomo di Napoli, também conhecido como Catedral de Santa Maria Assunta ou Catedral de São Januário, é um dos principais pontos turísticos de Nápoles. Está localizado na Via Duomo, já no centro histórico.

A igreja, em estilo gótico, foi construída em 1294 mas sofreu várias reformas durante os séculos, sendo a maior delas após os bombardeios da Segunda Guerra Mundial.

Seu interior é ricamente ornamentado, há mais de 15 capelas. A que chama mais a atenção do turista é a Capela dos Tesouros de São Januário, com magníficos afrescos, um belíssimo busto do santo com mais de 700 anos de existência e mais de 21 mil peças de ourivesaria e joalherias (que parecem valer mais que os tesouros da coroa britânica). É nessa capela que está o colar de São Januário com suas mais de 4 mil pedras preciosas.

Lenda: São Januário é um mártir cristão decapitado no ano 305 durante a perseguição aos fiéis promovida pelo Imperador Diocleciano. Após sua morte, foram encontrados, próximos ao corpo, frascos com o seu sangue empedrado. Todos os anos, no dia 19 de setembro (data de sua morte), no dia 16 de dezembro (data em que o santo teria livrado Nápoles de uma erupção do Vesúvio) e no 1º final de semana de maio (mês em homenagem a Virgem Maria), ocorre o milagre da liquefação do sangue, evento considerado, pelos napolitanos, um sinal de proteção.

Logo abaixo do altar central, na Capela de São Januário, fica a cripta de mesmo nome, onde estão guardados os ossos do padroeiro da cidade.

5. Via San Biagio dei Librai

Via San Biagio dei Librai, Nápoles, Itália
Via San Biagio dei Librai, Nápoles

Retorne um pouco na Via Duomo e entre à direita na Via San Biagio dei Librai, uma estreita viela que corta todo o centro histórico.

Você também pode percorrer o centro histórico pela Via dei Tribunale, uma rua paralela à Via San Biagio dei Librai.

Aqui você se sentirá no coração de Nápoles. Percorrendo a viela, você encontra lojas, igrejas, museus, pequenas praças (piazzetas), cafés, palácios, galerias de arte e estátuas, dentre outras atrações. Por vezes, você terá que entrar em alguma travessa para visitar alguma atração.

Via San Gregorio Armeno, Nápoles,
Via San Gregorio Armeno: uma travessa da Via San Biagio dei Librai

Na Via San Biagio dei Librai, merece destaque o Ospedale delle Bambole, um tradicional museu de bonecas.

Outro ponto de interesse é o Museo delle Torture, dedicado a ilustrar os períodos mais sombrios da história e a estimular uma reflexão a esse respeito. Sua coleção contempla peças raras dos séculos XVI ao século XX. As peças expostas demonstram o quanto a imaginação humana não teve limites para infligir as mais abomináveis torturas, esquecendo toda forma de respeito humano. Também mostra a resistência de Nápoles à instalação de um tribunal da inquisição na cidade.

Numa travessa, a Via Nilo, não deixe de visitar a Cappella San Severo. Belíssima!

Próximo à Via dei Tribunale, na Piazza San Caetano, você não pode deixar de visitar a Underground Naples (Napoli Sotterrata), uma das principais atrações de Nápoles, segundo o Tripadvisor.

As visitas são guiadas por galerias subterrâneas a 40 metros abaixo do nível das ruas. É uma oportunidade para conhecer um pouco da história de Nápoles desde sua fundação até a Segunda Guerra Mundial. Não é recomendado para quem sofre de claustrofobia.

Importante mencionar que a Via San Biagio dei Librai muda de nome durante o percurso, passando a se chamar Via Benedetto Croce, depois Via Domenico Capitelli e finalmente Via Maddaloni.

Numa das travessas da via Benedetto Croce, a via Santa Chiara, encontra-se o Complesso Monumentale di Santa Chiara, cuja construção começou em 1310. Trata-se de um enorme e belíssimo complexo que contempla: a Basilica di Santa Chiara, o Chiostro Mariolicato, o Museo dell’ Opera, a área arqueológica e o presépio. Aqui se destacam as pinturas e os azulejos do claustro.

Na Via Benedetto Croce, encontra-se, ainda, a Igreja do Jesus Novo (Chiesa del Gesù Nuovo di Napoli), que também pode ser visitada.

6. Via Toledo

Via Toledo, Nápoles, Itália
Via Toledo, Nápoles

Entre, agora, na Via Toledo à esquerda. Você pode utilizar a agência do Banco di Napoli como ponto de referência.

A Via Toledo é uma antiga rua de Nápoles, criada em 1536 pelo Vice-Rei Espanhol Pedro de Toledo, com projeto dos arquitetos Ferdinando Marlio e Giovanni Benincasa. A rua ligava os alojamentos das tropas espanholas, localizadas nos hoje chamados Quartieri Spagnoli.

Pedro de Toledo, durante o seu longo Vice-Reinado (1532-1553), foi responsável por várias construções e reformas urbanísticas em Nápoles, transformando a cidade em uma das fortalezas do Império Espanhol.

Um pouco de história: O Vice-Reino Espanhol de Nápoles durou de 1505 até 1707 e abrangia o território ao sul da península da Itália. Durante esse período, mais de 40 Vice-Reis assumiram o poder sob delegação do Rei da Espanha. Em 1707, o Reino de Nápoles foi ocupado pelo exército austríaco.

A rua tem extensão de 1,2 km, começando na Piazza Dante e se estendendo até quase a Piazza del Plebiscito. Coberta de paralelepípedos, é bonita e agradável ao pedestre.

Atualmente, a rua conta com várias lojas, principalmente as de grife, boutiques, galerias, bancos, palácios, igrejas, bares, sorveterias, fast-food etc. É muito agradável caminhar por essa via que é considerada uma das mais importantes de Nápoles.

7. Trattoria da Concetta

Trattoria da Concetta, Nápoles, Itália
Trattoria da Concetta, Nápoles

Na hora do almoço, siga para a Trattoria da Concetta,  localizada em uma travessa da Via Toledo à direita (Via Santa Maria delle Grazie a Toledo). O restaurante fica bem próximo à estação de metrô Via Toledo. Essa região é chamada de Quartieri Spagnoli.

A Trattoria da Concetta é um restaurante especializado na “vera e autentica” cozinha napolitana. Foi fundado em 2017 por Gaspare e Concetta, que possuem mais de 20 anos de experiência no ramo de alimentação (ristorazione).

O restaurante está avaliado com nota 4,5/5 no Tripadvisor, com selo Travellers’ Choice 2021.

O cardápio inclui pratos com frutos do mar, da terra e massas. Todos muito saborosos. Não deixe também de experimentar os antepastos.

Decoração de Parede, Trattoria da Concetta, Nápoles
Decoração de Parede, Trattoria da Concetta

O atendimento é bom e a decoração do ambiente chama a atenção de qualquer visitante. Os preços são razoáveis, levando-se em conta os padrões italianos.

8. Continuando pela Via Toledo

Saia dos Quartieri Spagnoli e retorne à Via Toledo. Percorra a rua em toda a sua extensão. Aproveite para apreciar a beleza dos vários Palazzos e, quem sabe, fazer algumas comprinhas nas lojas.

9. Galleria Umberto I

Galleria Umberto I, Nápoles, Itália
Galleria Umberto I, Nápoles

Ao final da Via Toledo, à esquerda, você encontrará a Galleria Umberto I. É uma galeria comercial, construída entre 1887-1890, dedicada ao Rei Umberto I de Saboia, filho de Emanuell II, primeiro rei da Itália.

Umberto I ficou na lembrança dos napolitanos em razão do enfrentamento à epidemia de cólera em Nápoles (1884).  O Rei foi para Nápoles e visitou os doentes tentando trazer-lhes uma palavra de conforto. Por não se intimidar e por continuar a sua missão entre os doentes sem se importar com o perigo do contágio, ficou conhecido como “Il Re Bueno”, ou seja, o Rei Bom (fonte: Impronta Magazine).

A galeria é elegante e belíssima. É muito parecida com a Galeria Vittorio Emanuelle II de Milão. Conta com diversas lojas, especialmente as de grife, cafés e bares.

Galleria Umberto I, Nápoles, Itália
Galleria Umberto I, Nápoles

A galeria é formada por duas ruas que se cruzam perpendicularmente e são cobertas por uma estrutura de ferro e vidro com 57m de altura. No cruzamento, há uma magnífica cúpula redonda que se destaca na edificação, podendo, inclusive, ser vista até de longe.

As entradas e as fachadas externas também são magníficas. Sem dúvida, a Galleria Umberto I é uma das mais belas atrações de Nápoles.

10. Piazza del Pebliscito/Palazzo Reale

Piazza del Plebiscito, Nápoles, Itália
Piazza del Plebiscito com a Basilica Reale ao fundo

A Piazza del Plebiscito está localizada entre a Via Toledo e a Beira-Mar. Tem esse nome devido ao Plebiscito de 21 de outubro de 1860 quando ocorreu a anexação do Reino das duas Sicílias ao Reino de Itália.

Com uma área de 25 mil m2, é considerada uma das maiores praças de Nápoles e, por isso, palco de grandes manifestações.

Além de ser um reduto de tranquilidade na caótica Nápoles, a praça está rodeada por importantes construções históricas como o Pallazzo della Prefeitura, o Pallazzo Salerno, a Basílica de San Francisco de Paola (uma das maiores igrejas de Nápoles) e o belíssimo Palácio Real, que está extremamente bem conservado.

Palácio Real, Nápoles, Itália
Palácio Real, Nápoles

O Palácio Real, desenhado por Domenico Fontana em 1600, foi residência dos vice-reis espanhóis por mais de 150 anos. O imponente edifício histórico hoje abriga a biblioteca nacional e um museu que permite a visita aos antigos aposentos reais que mantêm sua decoração original.

11. Zona Litorânea

Via Cesario Console, Nápoles, Itália
Via Cesario Console, Nápoles

Continue na rua da Piazza del Plebiscito e desça a Via Cesario Console em direção à zona litorânea de Nápoles. A marina e o vulcão Vesúvio ao fundo, rapidamente chamarão sua atenção. Não deixe de reparar nos postes antigos, sem fios expostos, que conferem um charme especial ao litoral.

Na parte mais baixa, vire à direita e percorra as amplas, regulares e agradáveis calçadas da Via Nazario Sauro. Em alguns pontos, é possível descer e tomar banho de mar.

Beira-Mar, Luogomare, Via Nazario Sauro, Nápoles
Beira-Mar, Via Nazario Sauro

A Beira-Mar (luogomare) de Nápoles possui uma barreira de rochas. Não há faixa de areia. Mesmo assim, os napolitanos trazem suas cadeiras, ou se sentam nas pedras e dão um mergulho para se refrescar do calor inclemente do verão.

Fontana del Gigante, Beira-Mar, Nápoles
Fontana del Gigante, Beira-Mar

Na primeira curva, já na Via Partenope, encante-se com a Fontana del Gigante, também chamada de Fontana della Immacolatella. Simplesmente belíssima!

Trata-se de uma fonte monumental do século XVII, construída inicialmente ao lado do Palácio Real, e de uma estátua colossal de Júpiter, também chamada de ‘O Gigante’. Daí a origem do nome. Em 1882, a fonte foi posicionada perto do Palazzo dell’Immacolatella, motivo de seu segundo nome. Em 1905, foi removida para o sítio atual.

Via Partenope, Nápoles
Via Partenope, Nápoles

A Via Partenope, por sua vez, é famosa pelos seus hotéis 4 ou 5 estrelas. Um pouco mais à frente, chegamos ao Castelo dell’Ovo.

12. Castel dell’Ovo

Castel dell'Ovo, Nápoles, Itália
Entrada do Castel dell’Ovo

O Castel dell’Ovo (Castelo do Ovo) é considerado o mais antigo de Nápoles. Está localizado numa pequena ilhota no golfo de Nápoles. O castelo funcionou como vila romana, convento, castelo medieval e prisão estatal.

Seu nome tem origem em uma lenda, segundo a qual, um ovo mágico estaria escondido no castelo e, se fosse encontrado e destruído, levaria à destruição não somente o castelo, mas toda a cidade de Nápoles.

Há uma área externa no Castelo, de visitação gratuita, e uma área interna, paga, onde são feitas algumas exposições. A maioria dos visitantes, entretanto, fica só na parte externa.

Restaurantes e barcos ao lado do Castelo do Ovo, Nápoles
Restaurantes e barcos ao lado do Castelo do Ovo, Nápoles

Ao subir as rampas do castelo, você se deparará com uma vista espetacular, ideal para tirar muitas fotos. De lá, você apreciará o Mar Mediterrâneo, o Golfo de Napoli e, ao fundo, o Vulcão Vesúvio. Vale também admirar o pôr do sol no castelo.

13. Começando o Retorno

Fontana del Carciofo, Nápoles, Itália
Fontana del Carciofo e uma das entradas da Galeria Umberto I na Via San Carlo

Volte pela Via Nazario Sauro e suba a Via Cesario Console até a rotatória da Fontana del Carciofo. Vire à direita, pegue a Via San Carlo, e alguns minutos à frente você encontrará o Castel Nuovo à direita.

14. Castel Nuovo

Castel Nuovo, Nápoles
Castel Nuovo, Nápoles

O Castel Nuovo (Castelo Novo) é um castelo medieval e renascentista que funcionou como residência real, fortaleza militar e centro de cultura. Está localizado na Piazza Município. Foi construído entre 1279 e 1282 e passou por diversas reconstruções e reformas ao longo do tempo, pelos diversos povos que dominaram Nápoles, inclusive, pelo Pedro de Toledo já mencionado.

O nome Castelo Novo serve para distingui-lo dos antigos castelos do Ovo e do Capuano. Também é chamado de ‘Maschio Angioino’ pelos napolitanos. O nome ‘Maschio’ (Masculino) se refere à torre mais importante de um castelo, por isso, é um termo que costuma ser usado como sinônimo de Castelo. O termo ‘Angioino’ se deve ao fato de o castelo ter sido construído por Carlos I de ‘Angio’.

 Tem planta trapezoidal e conta com 5 torres, uma ponte, um arco triunfal, capelas, pátio, salas e prisões. Atualmente, funciona no local um museu cívico que pode ser visitado pelos turistas.

O ingresso custa 6 Euros e inclui acesso aos três pisos.

  • Primeiro Piso: Coleção Jerace (Sala Carlo V) e Pinacoteca
  • Segundo Piso: Pinacoteca
  • Terceiro Piso: Sala Novecentos, esculturas, pinturas e coleções da municipalidade de Nápoles.

Dependendo da disponibilidade de staff, poderão ser visitados, também, a Sala dos Barões, a Rota Arqueológica, o Pátio e a Sala com vista para os arsenais. Segundo os visitantes, a visita guiada custa 10 Euros.

15. Retorno à Piazza Garibaldi

Hora de retornar para casa e descansar. Você pode voltar de metrô ou a pé. A estação mais próxima é a Municipio, na linha Amarela. Essa linha vai até a estação Garibaldi, localizada na Piazza Garibaldi.

Desça e continue a pé na Via Medina.  Vire à direta na Via Cardinale Guglielmo SanFelice cuja continuação é a Corso Umberto I. A partir daí, você já sabe!

16. La Cantina dei Mille

Descansados, fomos jantar num restaurante próximo à nossa hospedagem.

La Cantina dei Mille é um restaurante e pizzaria também especializado na cozinha típica napolitana situado na Piazza Garibaldi. Fica bem próximo à Galeria Comercial. Bastou atravessar a praça para chegar lá. A cantina é avaliada com nota 4,1/5 no Google e nota 4/5 no Tripadvisor (selo Travellers’ Choice 2021).

Conta com uma área externa, com vista para a praça, e outra interna, com mesas umas próximas às outras. A decoração é de uma cantina típica, com toalhas de mesa quadriculadas.

O menu inclui antepastos, massas, peixes, carnes, pizzas, ovos e queijos e sobremesas. As pizzas são deliciosas e com aquelas bordas crocantes. Excelentes!

Os preços são bem em conta (considerando os padrões europeus). As pizzas custavam de 5 a 10 Euros e a maior parte dos pratos custava até 15 Euros. Entretanto, a cantina cobra uma taxa de serviço de 14%. Mesmo assim, tem excelente custo-benefício.

Fomos muito bem atendidos na cantina, mas há algumas reclamações do atendimento nas avaliações (Tripadvisor/Google). Cremos que isso não seja a regra. Pode ser um mero estranhamento com o “jeitão” dos garçons napolitanos ou o fato de poucos deles falarem inglês.

De qualquer forma, há outras opções de restaurante ao lado da Cantina dei Mille para você provar:

E aqui termina o nosso roteiro de 1 dia em Nápoles, que nos deixou com muitas lembranças. A única certeza é de que vamos voltar.

 

Apaixonado por viagens e por fotografia. Começou a descobrir o mundo há 10 anos e já visitou 71 países. Gosta de caminhar a esmo pelas cidades mundo afora, observando as pessoas, as comidas, as construções e a arquitetura. É formado em Engenharia e Direito.

Escreva seu Comentário

Pin It