O turismo religioso tem como motivação fundamental a fé das pessoas, mas independente de qual religião você professe, muitos desses lugares tem uma arquitetura incrível e uma energia inigualável, sendo obrigatória uma visita.

Confira nossa seleção com os 10 mais belos templos religiosos do mundo.

Budismo

1. Pagode Shwedagon, Myanmar

Shwedagon Pagoda, Yangon, Myanmar
Shwedagon Pagoda

A Pagoda Swedagon é considerada uma das mais bonitas construções budistas e com certeza a mais importante de Yangon, em Myanmar. Embora o número de visitantes antes do golpe militar de 2021 estivesse aumentando (500.000 turistas por ano), a atração ainda não havia sido inundada pelos viajantes tal como aconteceu com a Tailândia. Isso tornou a visita ao país uma experiência emocionante e ainda mais autêntica.

A Pagoda é fantástica, indescritível. Na verdade, me faltam adjetivos para descrevê-la! Logo na entrada, existem pessoas que cuidam dos seus sapatos e, “em troca” , você compra umas flores para oferecer ao buda.

Esse complexo de cerca de 2.500 anos possui uma estupa central dourada folheada a ouro e com aproximadamente 4.500 diamantes encrustados no topo dos seus 95 metros de altura. Essa enorme estupa, em formato de sino, pode ser vista de qualquer lugar, tanto da Pagoda, quanto da cidade, principalmente à noite quando fica linda toda iluminada. Não me cansei de procurar novos ângulos para fotografá-la.

Existem 4 entradas no complexo, mas independente de qual você escolher, não terá erro, pois encontrará um caminho circular! Apenas atente-se ao fato que a visita deve ser feita no sentido horário.

Shwedagon Pagoda, Yangon, Myanmar
Entrada da Shwedagon Pagoda

Shwedagon é também o principal sitio religioso de Myanmar, pois acredita-se que lá existam relíquias dos 4 Budas, como, por exemplo, 8 fios de cabelo do buda Siddharta. Os turistas a visitam pela sua grandiosidade e beleza única, mas, os Birmaneses vão para rezar, prestar homenagem aos Budas, agradecer aos Nats e livrar -se do mau Karma.

Para esse renascimento, além das orações, são feitas muitas oferendas de frutas, flores, e incensos (esse último, para invocar os espíritos). É bastante comum também o Ritual da Lavagem do Buda. Não deixe de faze-lo!!

Para fazer o Ritual, você deve encontrar o Buda do dia da semana do seu nascimento (cuidado: a quarta-feira possui 2: o da manhã e o da tarde) e despejar uma caneca de água nele por 7 vezes!

O mais encantador desse templo, não é a sua arquitetura, mas o fato de você conseguir sentir o clima de paz e harmonia no local. Você pode rezar tranquilamente ou mesmo meditar sem ser incomodado. Dentro do complexo, pudemos ver inúmeros locais fazendo lanches com a família e monges fazendo suas orações. Achei isso sensacional! Para mim, essa combinação de beleza e paz torna Shwegadon a Pagoda mais bonita que já conheci.

Infelizmente, devido ao recente golpe militar ocorrido no pais, talvez demore décadas até que possamos viajar novamente para lá, o que é uma pena gigantesca.

O que se pode observar ao longo da história contemporânea é que, após rupturas institucionais, segue-se um período de restrições, conflitos e perseguições a opositores. Os opositores são frequentemente rotulados pelo governo na tentativa de justificar as suas ações ou de obter maior adesão social. Leia nossa reflexão sobre isso no artigo Adeus, Myanmar!

2. Royal Grand Palace, Tailândia

Royal Grand Palace - Bangkok
Royal Grand Palace

Grande Palácio Real (Royal Grand Palace) é um conjunto de edificações em Bangkok que serviram de residência oficial do Rei da Tailândia até o século XX. Foi construído pelo Rei Rama I, a partir de 1782. Desde então, diversas novas construções foram adicionadas ao complexo nos sucessivos reinados.

Sem dúvida, é a principal atração turística da incrível cidade de Bangkok. É imperdível! Sua beleza é indescritível! Não é à toa que o complexo do Palácio costuma ficar lotado de turistas e de locais (peregrinos budistas e nacionalistas). E quando eu digo lotado, quero dizer muito lotado mesmo! Se você espera poder meditar no local, esqueça!

Cuidado com o famoso golpe que é aplicado nas proximidades do Grand Palace: um simpático tailandês vai se aproximar de você, puxar papo e dizer que infelizmente o Grand Palace está fechado, mas que ele, por uma pequena quantia consegue viabilizar sua entrada, ou uma variação, é propor levá-lo para conhecer outra atração e você volta no Grand Palace no dia seguinte. NÃO CAIA NESSA! Todo mundo que foi a Bangkok com certeza passou por isso.

O Grand Palace é um local de peregrinação. Portanto, fique atento às regras de etiqueta. Ombros e tornozelos devem estar cobertos. Caso não queira padecer o dia inteiro com roupas compridas no calor escaldante da capital, você pode, gratuitamente, pegar emprestado uma roupa que cumpra os requisitos.

Sugiro que vá de chinelo de dedos ou sandália pois só é permitido entrar nos templos descalço. O tira e põe de sapato no calor inclemente pode tirar seu bom humor!

O complexo é imenso. São 218 mil metros quadrados de área, circundada por muros cujo comprimento é 1.900 metros. Não deixe de pegar um mapa ou um audioguia para ter certeza de que visitou tudo ou, saber ao menos o que está visitando.

Há muita coisa para ver: templos, estátuas, museus e jardins bem cuidados. Tudo é muito grandioso, dourado e majestoso. Alguns templos e estátuas são forradas de vidrilhos e espelhos encantadores. Prepare-se para ficar horas fotografando esses coloridos e magníficos detalhes.

Decoração no Grand Palace
Decoração no Grand Palace

Próximo ao pátio externo, encontra-se o  Templo do Buda Esmeralda (Wat Phra Kaew), uma das principais construções a serem visitadas.

No seu interior, está uma estátua de Buda, sentada num trono, feita de um bloco de jade. As imagens sagradas do templo têm suas vestimentas trocadas conforme a estação do ano, com a presença de Sua Majestade, o Rei. Infelizmente, as fotos são proibidas.

Conheça as outras atrações de Bangkok, clique aqui.

Hinduismo

3. Batu Caves, Malásia

Batu Caves
Batu Caves

As Cavernas de Batu (Batu Caves) são um dos mais importantes santuários hinduístas fora da Índia. Consistem de uma série de cavernas construídas numa colina a 13 km de Kuala Lumpur, na Malásia.

O que mais se destaca nessa atração é a estátua de Murugan, o Deus hindu da guerra, com mais de 42 metros, que reflete a luz do sol e torna-se esplendorosa. Apenas para você ter uma ideia da sua magnitude, o Cristo Redentor tem “apenas” 38 metros.

Ao lado da estátua, encontra-se uma escadaria com mais de 250 degraus que dá acesso às cavernas principais. Essa escadaria, em 2018, foi pintada com cores vibrantes, tornando-se ainda mais procurada pelos turistas, pois rende excelentes fotos coloridas e instagramáveis! Quando fomos, as cores estavam um pouco apagadinha e todo o complexo um pouco mal cuidado, mas isso não tirou seu brilho e nem nos incomodou.

Dica: Cuidado com os Macacos. Evite levar comidas ou brincar com os animais, pois eles podem ficar agressivos. São inúmeros relatos de turistas que tiveram seus alimentos ou acessórios roubados pelos pequenos meliantes.

A atração é local de peregrinação de hindus de vários países da região, principalmente para famílias indianas e é palco de diversas festividades religiosas, sendo a mais famosa delas a Thaipusam.

Não deixe de visitar a caverna dos morcegos, a Dark Cave. É uma atração guiada paga à parte. É um sítio de conservação onde você poderá aprender sobre um ecossistema bem diferente, que se sustenta à base de guano.

Para chegar à atração, basta pegar o trem KTM na estação central de Kuala Lumpur (KL Sentral) em destino às Batu Caves. O trajeto dura 30 minutos.

Para conhecer outras atrações de Kuala Lumpur, clique aqui.

4. Akshardaham, India

Akshardham Temple at Gandhinagar, New Delhi, India
Templo Akshardham em Nova Delhi, Índia

Um gigantesco oásis no meio da caótica e barulhenta Nova Delhi. Inaugurado em 2005, é o maior templo hindu do mundo e o principal cartão postal da cidade. Sua construção contou com a participação de mas de 7 mil artesãos e 8 mil voluntários.

Akshardham significa morada eterna e foi construída em homenagem ao Bhagwan Swaminarayan, um iogue (aquele que pratica ioga no seu sentido mais estrito) e asceta (aquele que busca afastar-se dos prazeres, dedicando-se a orações e privações) cuja vida e ensinamentos trouxeram um renascimento das práticas hindus

A principal atração é o Mandir (templo). Construído em mármore branco e arenito rosa, tem dimensões impressionantes: são 43 metros de altura e 96 metros de largura. Além disso, possui 234 pilares belissimamente esculpidos, 9 domos magníficos, 20 pináculos e 20.000 imagens perfeitamente esculpidas. A riqueza de detalhes do que foi esculpido nas pedras é impressionante. Não tenho palavras.

No centro do Mandir, encontra-se um gigantesco Murti  (no hindu murti significa imagem na qual se manifesta um espírito divino) de Bhagwan Swaminarayan. Os ricos detalhes das dourada esculturas e o trabalho com pedras e cores nas paredes internas do recinto são incríveis.

No pátio interno do Mandir existe um espelho d´agua com flores de lótus e água sagrada. É muito comum ver os indianos ao redor desse local.

Logo após a entrada, você passará pelos “Ten Gates”, representando as 10 direções e simbolizando a liberdade de pensamento. A cortina de água em cada um dos 10 portões acalma a mente de todos os pensamentos mundanos.

Tem muito mais coisa por lá! Jardins estonteantes, pavão esculpido em pedra, esculturas de elefantes que quase parecem reais, museu, passeio de barco por um rio artificial e um famoso show de águas.

Reserve, portanto, pelo menos uma período inteiro para visitar o complexo. A entrada é gratuita porém existe muita fila e muitas regras. Além do código de vestimenta que tem que ser seguido, não é permitido entrar com  bolsas, maquinas fotográfica, celulares e alimentos. Existem armários para você guardar seus pertences.

Para evitar o transito caótico de Delhi, você consegue chegar ao templo de metro. Não deixe de conhecer esse lugar. Trata-se de uma experiência espiritual enriquecedora. Saímos de lá energizados e abençoados, porém sem nenhuma foto pois não é permitido.

Fé Bahá’í

5. Templo de Lotus, Índia

Templo de Lotus, Nova Delhi, Índia
Templo de Lotus, Nova Delhi

O Templo de Lotus é uma Casa de Adoração Bahá’í, localizado em Bahapur, no sudoeste de Nova Delhi, na Índia. É um dos templos religiosos mais visitados do mundo.

A Fé Bahá’í é uma religião monoteísta surgida em Shiraz, na Pérsia (1844). Seu fundador foi Bahá’u’lláh, líder espiritual que sofreu perseguições pelos clérigos muçulmanos, sendo obrigado a se exilar no Império Otomano. Posteriormente, sob a liderança de seu filho, a religião se espalhou pela Europa e Américas e hoje tem em torno de 5 milhões de fiéis espalhados por mais de 100 países.

A Fé Bahá’í assenta-se, basicamente, em três princípios: unidade de Deus (religião monoteísta), unidade de religião (as religiões tem a mesma fonte espiritual) e unidade de humanidade (igualdade entre os seres humanos e aceitar a diversidade). Em razão disso, prega-se a união espiritual de toda a humanidade. Há templos, sítios sagrados e centros de estudo dedicados à Fé Bahá’í espalhados por vários países e continentes.

O Templo de Lotus é um templo aberto a todos independentemente da religião. Trata-se de uma construção magnifica, única, de 70 metros de diâmetro e 34 metros de altura, rodeada por 9 piscinas. Como o próprio nome diz, a construção se inspirou na flor de lótus. O destaque do templo são as 27 pétalas em sua superfície externa. São lajes de concreto revestidas em mármore.

Na área interna, onde os fiéis se reúnem, não há pilares. A construção é sustentada nas laterais. Infelizmente, não é possível tirar fotos no interior do templo.

Por do Sol, Templo de Lotus, Nova Delhi, Índia
Por do Sol no Templo de Lotus

O Templo de Lotus encontra-se rodeado por belos parques. A área total do complexo é de 105 mil m2.  Vale muito a pena apreciar o por do sol por lá.

A entrada é gratuita. Entretanto, costumam formar-se filas longas na entrada. Evite visitá-lo nos feriados hindus, pois, nessas ocasiões, o templo costuma receber mais de 150 mil visitantes por dia. Imagine a muvuca!

Durante a pandemia, o Templo de Lotus está fechado. Costumava ficar aberto das 9 às 19h no verão e das 9 às 17:30hs no inverno. O acesso ao templo pode ser feito de metrô, pelas estações de metrô Nehru Place e Kalkaji Mandir (linha violeta).

Islamismo

6.Mesquita Azul, Turquia

Vista da Mesquita Azul - Bairro Sultanahmet
Vista da Mesquita Azul no bairro de Sultanahmet, Istambul

Istambul, a antiga Constantinopla, é um dos nossos destino turístico favorito. Porta de entrada da Turquia, é uma cidade que contempla arte, história, religiosidade, beleza natural e uma excelente gastronomia. Situada nos continentes europeu e asiático, é Istambul que aproxima o ocidente e o oriente, com a sua incrível riqueza cultural.

Entre as diversas atrações da cidade, não deixe de visitar a Mesquita Sultan Ahmet, também conhecida como Mesquita Azul, em razão dos azulejos azuis que adornam as suas paredes. São mais de 20 mil azulejos que criam belíssimos mosaicos na cúpula e parte superior. Seus ricos vitrais são da mesma cor, o que, com a claridade, cria um ambiente quase místico, de uma beleza incomparável.

Trata-se da maior mesquita de Istambul e constitui, em verdade, um complexo com túmulos, escolas, bazar, banhos e um hospital. A Mesquita Azul é uma das poucas mesquitas com 6 minaretes. Na época da sua construção isso causou uma certa confusão pois a Mesquita de Meca também possuía esse número. Para apaziguar as discussões, construiu-se um sétimo minarete em Meca. Nos minaretes estão os alto-falantes que transmitem as orações diárias que todos os visitantes de Istambul ouvem de longe, independente de onde estejam.

Importante ressaltar que não há figuras no interior da Mesquita, pois os muçulmanos não cultuam imagens, por isso, você terá todo o tempo necessário para apreciar os famosos mosaicos azuis e os gigantescos lustres que finalizam essa bela composição.

Fique atento: na entrada da Mesquita você inevitavelmente será abordado por um jovem simpático que perguntará de onde você vem e coincidentemente terá um primo, tio ou irmão que vive ou viveu na sua cidade. Ele quer engatar uma conversa e quer convence-lo a visitar a loja de tapetes da família que fica naquela região. É só ser firme e dizer que tem alergia a carpetes!

A mesquita está aberta à visitação, mas o acesso para não-muçulmanos é restrito a determinados locais e horários. Fique atento para não perder a chance de visitá-la. Os visitantes devem tirar os sapatos e colocá-los num saco plástico. As mulheres devem cobrir a cabeça com um véu (hijab). A entrada é gratuita, mas aceitam-se doações.

Conheça mais sobre Istambul. Leia nosso roteiro de 4 dias.

7. Pink Mosque, Irã

Pink Mosque, Shiraz, Irã
Pink Mosque, Shiraz

Um caleidoscópio de cores. Que interior mais incrível dessa mesquita. Ela emociona os visitantes com a profusão de cores e desenhos que se formam em seu interior. Localizada em Shiraz, no Irã, a Mesquita Nasir ol Molk, conhecida como Pink Mosque, foi construída entre 1876 e 1888 pela Dinastia Qajar.

Embora não seja a mesquita mais importante da cidade, tanto seu exterior quanto interior são impressionantes. Entretanto, nada nos prepara para a explosão de cores causada pela luz refletindo nos vitrais com a qual nos deparamos ao entrar.

Pink Mosque, Shiraz, Irã
Pink Mosque, Shiraz

Há um predomínio de vermelho, verde, azul e amarelo nos vitrais, porém, o nome Pink Mosque advém da predominância dos azulejos rosas que foram usados no seu interior. Possui, também, um pátio externo retangular com um charmoso espelho d’agua, bastante agradável.

8. Mesquita Sheikh Zayed, Emirados

Mesquita Sheikh Zayed, Abu Dhabi, Emirados Árabes Unidos
Mesquita Sheikh Zayed, Abu Dhabi

A Mesquita Sheikh Zayed é uma das principais atrações de Abu Dhabi, nos Emirados Árabes Unidos. Feita de mármore branco reluzente e detalhes em ouro, essa gigante mesquita é composta por 4 minaretes e 82 cúpulas representando diferentes estilos islâmicos. De fato, a ideia por trás da construção era unir a diversidade cultural do mundo islâmico e os valores históricos e modernos da arte e da arquitetura.

Começou a ser construída nos anos 1990 e foi inaugurada em 2007. A mesquita tem capacidade para 40.000 fiéis, sendo 10.000 nas áreas internas e 30.000 nas áreas externas. É a oitava maior mesquita do mundo.

Seu amplo pátio externo tem deslumbrantes espelhos d’água que refletem a mesquita e mais de 1000 colunas em mármore branco adornadas com mosaicos florais coloridos.

Mesquita Sheikh Zayed, Abu Dhabi, Emirados Árabes Unidos
Mesquita Sheikh Zayed, Abu Dhabi

Seu interior também é grandioso. São 3 ambientes ricamente ornamentados com lindos mosaicos, piso decorado e o maior tapete persa do mundo. Quando estiver por lá, não esqueça de olhar para o alto e apreciar os riquíssimos lustres de ouro cravejados de cristais Swarovski e outras pedras semipreciosas. O maior deles chega a pesar 12 toneladas.

A mesquita está aberta à visitação de sábado à quinta-feira, das 9 às 22 horas, só fechando para os turistas nos horários de oração.

Na sexta-feira de manhã, a mesquita fica fechada para atividades de turismo, e abre somente das 16:30hs às 23hs.

É importante respeitar a etiqueta e as regras de vestimenta para a entrada na mesquita. Roupas adequadas são emprestadas no local. Se for mulher, fique atenta pois os cabelos tem que estar cobertos. Sempre haverá um segurança por perto para garantir que as regras estão sendo cumpridas.

Catolicismo

9.Basílica de São Pedro, Vaticano

Interior da Basílica de São Pedro, Vaticano
Interior da Basílica de São Pedro, Vaticano

A Basílica de São Pedro é um dos locais cristãos mais visitados no mundo. Localizada na Praça de São Pedro, no Vaticano, tem 23mil m2 e pode abrigar 60 mil devotos. Sua imponente fachada é belíssima, mas é a sua cúpula que chama a atenção dos turistas que passeiam por diversos lugares da cidade-estado.

Existem 5 portas de entrada para a nave da Basílica. A Porta Santa, localizada à direita, é bastante interessante. Ela permanece fechada e coberta com cimento pelo lado de dentro. Apenas o Papa pode abri-la e fechá-la nos anos santos (a comemoração do ano santo ocorre apenas a cada 25 anos).Cada vez que cruzamos a Porta Santa, ganhamos uma graça especial! Não custa tentar!

O interior da Basílica é lindo! Chama a atenção seu revestimento em mármore e a riqueza da decoração. Acredita-se que São Pedro, um dos 12 apóstolos e o primeiro papa, está enterrado abaixo do Altar-Mor.

Não deixe de apreciar a belíssima  Pietá de Michelangelo. A imagem de Jesus morto nos braços de Maria, esculpido em mármore carrara é realmente uma obra prima.

É imperdível também, a visita à cúpula da Basílica. Depois de subir mais de 550 degraus (há a possibilidade de pegar um elevador para ajudar, mas ainda assim, ficarão faltando mais de 250 degraus), você será agraciado com um vista incrível de 360graus de todo o Vaticano. Se você perdeu o fôlego subindo a escada, perderá novamente ao apreciar a vista lá do alto.

Com certeza, a Basílica tem diversos outros tesouros escondidos como a cátedra e o baldaquino, entre outros. Se eu puder dar uma dica seria para não ter pressa e admirar cada cantinho com um carinho especial!

10.Santuário de Fatima, Portugal

Santuário de Fátima, Portugal
Santuário de Fátima, Portugal (créditos: cuetor59/pixabay)

O Santuário Nossa Senhora de Fátima, localizado na cidade de Fátima, em Portugal, é um local de peregrinação cristã. É um destino internacional de turismo religioso, recebendo cerca de 6 milhões de visitantes por ano. Fica a aproximadamente 130 km (1h30m) de Lisboa e pode ser visitado de excursão ou por conta própria (deslocamento de carro ou por trem – o qual não recomendo pois a estação fica a 23km do Santuário).

Independente da sua religião, é uma emoção enorme visitar esse Santuário. A paz e energia que ele emana é incrível. A simplicidade do local também encanta a todos.

O coração de todo o complexo é a Capelinha das Aparições. Ela foi erguida em 1919, dois anos após a última aparição da Nossa Senhora para os 3 pastorinhos (Lucia e seus primos Francisco e Jacinta).  Das 6 aparições, 5 ocorreram nesse local. O pedestal onde está a imagem da Nossa Senhora marca o local onde crescia a azinheira (árvore) sobre a qual a santa foi avistada.

Anteriormente à aparição Mariana, as crianças contam 3 aparições de um anjo (ou uma “luz mais branca que a neve”), sendo 2 delas na Loca do Cabeço (um abrigo rochoso na base de um pequeno morro), em Valinhos, uma freguesia de Fatima onde moravam os pastorinhos.

Ao longo dos anos, o santuário foi sendo expandido e conta hoje com duas basílicas, uma área externa de oração, casa de retiro, uma via sacra em Valinhos e o Centro Pastoral Paulo VI, além de centro médico, área de acolhimento de peregrinos e um vasto comércio.

A Capelinha das Aparições é bastante singela, pequenina e mantém a estrutura original em pedra e cal. A belíssima imagem da Nossa Senhora que fica na capela mede 1,34m e pesa 19kg. Ela aquece nossa alma, enquanto agradecemos pelas graças alcançadas.

No ponto mais alto do santuário, local onde os 3 pastorinhos brincavam quando viram o clarão (2a aparição do Anjo) que antecedeu a aparição da Virgem, foi construída a Basílica do Rosário. Faz parte dessa construção a famosa torre de 65 metros que sempre aparece nas fotos do local. Uma série de colunas majestosas (colunata) ligam essa basílica às Casas de Retiro, delimitando a Área de Oração que chama a atenção de todos os turistas.

Em 1973, constatou-se que a Basílica do Rosário não comportava mais o grande números de visitantes e foi construída a Basílica da Santíssima Trindade. Bastante moderna, tem um formato circular com 125 metros de diâmetro, suficiente para acomodar 9.000 fieis.

Não deixe de percorrer a Via Sacra, um trajeto de pouco menos de 3km que nos leva até a casa dos pastorinhos (abertas a visitação – gratuita) e à Loca do Cabeço. No trajeto foram construídas capelas que contam a Paixão de Cristo. Sem palavras para descrever a emoção!

Para saber mais, acesse o site oficial do santuário

 


O grupo Viagens por Escrito vai surpreendê-lo com essas top 10 dicas de viagem ou lugares para conhecer. Não deixe de ler!

*Créditos da Foto em Destaque: THÁI NHÀN/Pexels.

Author

Médica, 42, apaixonada por pessoas, sabores e novas culturas.

8 Comments

  1. Luciana, que post mais lindo! Viajei com você em cada um dos templos que você citou por aqui. Os lugares são espetaculares em história, arquitetura e riqueza de detalhes. Arrasou demais!

    • Luciana Mardegan Reply

      Oi Jeanine, tem mesmo muita historia e arquitetura juntas! Adoro conhecer esses lugares especiais, independente de qual religião esteja envolvida!

  2. Eu adoro listas, e amei seu rol sobre os templos mais belos do mundo. Fiquei contente em saber que dessa seleta lista de 10 eu já visitei 7.
    Dois templos que eu incluiria aí é o Ankor Wat, no Camboja e um que ainda não tive o privilégio de conhecer que chama Borobudur, na Indonésia. Estou adorando acompanhar o blog. Parabéns pelo post e obrigada por compartilhar. Beijinhos

    • Luciana Mardegan Reply

      Oi Elizabeth, foi mundo dificil escolher apenas 10 rsrs… com certeza esses deveriam ter entrado, bem como a Catedral de San Basilio em Moscou! Quem sabe nao sai um post parte 2! Bjo

  3. Barbara Cortat Reply

    Apesar de ser ateia eu sempre incluo nos meus roteiros de viagem os principais templos religiosos do local, pois me encantam a história, a arquitetura e a magnitude desses belos templos. Sem conhecer a religião deixamos de conhecer um boa parte da história do local.
    Eu conheci o Templo de Lotus em Santiago. Além do belo edifício, a vista de lá é incrível!

    • Luciana Mardegan Reply

      Que legal Barbara! O templo de Lotus em Santiago eu não conheci! Ja anotei aqui para, quando voltar a Santiago, ir visitá-lo! Bjo

  4. Lu, nossos posts estão em plena sintonia! hahaha ameiii! Estou pirando aqui nessa seleção maravilhosa de templos que vocês fez! Tem vários que estão na minha listinha de desejos de viagem, principalmente o Batu e a Pink Mosque. Adorei a forma como vc descreveu! Não vejo a hora de poder voltar a viajar… Beijos!

  5. Difícil de escolher o templo religioso mais lindo… só fico triste de ainda nao ter conhecido nenhum dos que mencionou! Ano passado era para ter conhecido o de Fátima,
    mas agora quero conhecer todos os que indicou. Rs
    Ah, tem um local que conheci e achei surpreendente e incluiria na lista, a Sagrada Família em Barcelona!

Write A Comment

Pin It